sábado, 4 de julho de 2015

Calendário de Provas, Exames e PET (Cambridge) 2015/2016

E cá está ele. A 1ª fase das provas finais de 4º e 6º ano mantém-se em pleno 3º período, bem como o PET, que parece ter vindo para ficar. E, a julgar pela data da afixação das pautas do último, continua a ser para inglês ver.

Aqui fica o "best of":





quinta-feira, 2 de julho de 2015

Da mudança...

...de sonoridade dos Blasted que ainda não consegui consentir. 

.
Música dos "Blasted Mechanism" - (Tema: Really Happen)

Ah pois é...

...mas infelizmente temos memória curta!


Da loucura neoliberal...

Procura no profissional é tanta que já há turmas cheias para cursos ainda por aprovar

Comentário: Infelizmente todos (professores) sabemos que este acréscimo de procura dos cursos profissionais (e vocacionais) não está relacionada com a qualidade desta tipologia de ensino, nem sequer com uma eventual maior probabilidade de empregabilidade a jusante. Este aumento de alunos deve-se em grande parte ao facto dos mesmos (e respetivos encarregados de educação) saberem que ingressarão numa tipologia de ensino onde o facilitismo impera, agressivamente pouco exigente e onde os únicos obstáculos à conclusão do curso serão mesmo uma tremenda (e excessiva... mesmo muito excessiva) falta de assiduidade ou um desinteresse com valores próximos dos 100%.

Para além disso, os alunos sabem que os professores estão instruídos para suportar maiores doses de indisciplina... E alguns Encarregados de Educação gostam disso, pois sabem que serão "importunados" menos vezes.

Sendo QEna/QA, qual será a minha prioridade na mobilidade interna?

Esta é a questão que muitos fizeram, concretizando obviamente para a sua situação específica... Como se torna algo cansativo estar a analisar cada uma das situações enviadas por correio eletrónico, e porque será mais fácil fazer generalizações que cada uma adaptará para si, irei colocar as 3 situações que me parecem mais vulgares.

Assim,

Situação 1: Docente de Quadro de Escola não agrupada (QEna) ou de Quadro de Agrupamento (QA) que se encontra a lecionar na sua escola/agrupamento de provimento (ou seja, onde é "efetivo") e que não irá ter componente letiva (o mínimo de 6 horas) no próximo ano letivo, irá concorrer em primeira prioridade.

Nota: Existe ainda a situação que tenho recebido com maior insistência e que se enquadra na situação 1 (e que já expliquei no ponto 2 deste outro post), que é a dos docentes de QEna ou QA que ficaram colocados por Mobilidade Interna e que não irão possuir componente letiva na sua escola de provimento no próximo ano letivo. Estes, ficarão de igual forma em primeira prioridade, por não terem componente letiva na sua escola de provimento (que é sempre o factor determinante na prioridade em Mobilidade Interna).

Situação 2: Docente de QEna ou QA que ficou colocado por Mobilidade Interna (em 2013/2014 ou 2014/2015) e que irá possuir componente letiva na sua escola de provimento no próximo ano letivo,  irá a concurso em segunda prioridade;

Em resumo: se repararem, todas as situações em termos de prioridade são definidas pelo facto de terem (ou não) componente letiva na vossa escola de provimento. Se entretanto, estão "destacados" numa escola, o facto de terem componente letiva nessa escola (ou seja, a de colocação) é completamente indiferente, uma vez que pelas atuais regras do jogo (e por favor, não me venham com o argumento de algo que escrevi no passado, pois já expliquei isso acolá), pelo facto de ter existido um concurso interno cessam as colocações por mobilidade interna

É por determinados comentários...

...que tenho a (infeliz) oportunidade de ler em outros sítios virtuais que muito prezo, que neste blogue existe "higienização" regular dos devaneios de alguns. Já basta a desunião, o apontar de dedos e as azias sentidas no "ar", para ainda ter de aturar frustrações vertidas em textos de agressividade para com colegas de profissão.

E nas alturas mais complicadas dos concursos, os "malucos" estão sempre mais ativos. Dificilmente se darão conta deste trabalho de "higienização", mas já é implementado há dois anos neste blogue. Temos menos comentários, menos polémica, menos visitas e menos visitantes, mas... eventualmente mais "RTP 2" e menos "TVI". É uma opção editorial.


Deputado passa fome | Prémio: ANEDOTA DO ANO (e ainda mal vamos em julho...)




Realmente, se no mesmo mês uma pessoa calha de ter que passar duas semanas nas Caraíbas, pagar o casamento da filha "maivelha" e mudar os pneus do Mercedes CLK do "mainovo".... Lá passa a família a ter que comer sandes de torresmos o resto do mês. 

O drama está relatado aqui...


PS. Constatei agora que esta notícia data de 2010, facto que não diminui a comicidade da mesma (eventualmente até a aumenta).

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Alguns esclarecimentos relativos à Mobilidade Interna 2015

Embora seja complicado ir ao encontro de toda e qualquer dúvida, tentarei resumir neste post as respostas a diversas questões relativas ao concurso de Mobilidade Interna que me foram colocadas ao longo destes últimos dias. 

Recordo ainda que aquilo que coloco abaixo, é derivado não só do normativo legal em vigor relativo aos concursos (aqui), mas também do Aviso de Abertura dos concursos 2015/2016 (acolá) e da nota informativa da DGAE divulgada a 6 de março (ali). Isto porque sei que existe quem me vá remeter para um post que escrevi há um ano...

Para ser mais fácil a leitura, colocarei os esclarecimentos por pontos: 

1) O concurso de Mobilidade Interna deverá ocorrer ainda este mês de julho (tal como o de Contratação Inicial); 

2) TODOS os docentes do quadro (isto é, Quadros de Zona Pedagógica e Quadros de Escola/Agrupamento) que foram colocados através de Mobilidade Interna terão a sua atual colocação terminada, de acordo com o ponto 3 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 83-A/2014, de 23 de maio; 

3) Os docentes do quadro de escola/agrupamento sem componente letiva (mínimo de 6 horas letivas) na sua escola de provimento (onde são "efetivos") e de quadro de zona (atuais e que ingressaram em QZP neste concurso externo), são obrigados a concorrer e fazem-no em primeira prioridade (para quem é "novo" nisto, será aquilo que antigamente se denominava por Destacamento por Ausência de Componente Letiva);

4) Os docentes do quadro de zona pedagógica (atuais e que ingressaram em QZP neste concurso externo) são obrigados a concorrer a todo o seu Quadro de Zona Pedagógica (QZP). No entanto, isso não significa que tenham de concorrer primeiro para o vosso QZP (ou se quiserem códigos de escolas/agrupamentos, concelhos e mesmo de QZP), pelo contrário. Podem colocar o que quiserem, pela ordem que quiserem, existindo porém a obrigatoriedade de algures no vosso concurso (até pode ser no fim) manifestarem preferência pela vosso QZP;

5) Em segunda prioridade, concorrem (de forma facultativa) os docentes dos quadros de escola/agrupamento que pretendam exercer transitoriamente funções docentes noutra escola/agrupamento (seria o equivalente ao "antigo" Destacamento por Aproximação à Residência) que não a do seu lugar de provimento, e tendo nesta última pelo menos 6 horas letivas (ou seja, têm componente letiva). Traduzindo: têm "horário" na sua escola/agrupamento de provimento, mas querem optar por concorrer para outra(s) escola(s)/agrupamento(s); 

6) Os docentes referidos em 3) que não se apresentem a concurso de mobilidade interna serão sujeitos a instauração de processo disciplinar aos docentes de carreira com vista à demissão ou despedimento.

Mais um artigo de opinião de Santana Castilho

Danos e dolo

Comentário: Santana Castilho levanta algumas questões pertinentes num registo próprio que costuma agradar, mas que nesta altura de grande cansaço e incerteza me leva a pensar que gostaria de ler algo mais positivo e reconfortante. Sim, eu sei... É complicado com tanta crise (nomeadamente, a de valores) ter uma visão construtiva do futuro, mas se não tentarmos ver algo bom em tanto mau, receio bem que a esperança fique definitivamente colocada na gaveta.

Mas isto é apenas um desabafo...

terça-feira, 30 de junho de 2015

Notória a pré-campanha eleitoral...

Chumbos e desistências tiveram queda generalizada no último ano lectivo

Comentário: Se forem à fonte (aqui) o título ainda é mais bombástico, e se bem que a esmagadora maioria do texto publicitário seja algo enfadonho, saliento esta passagem:

"Os dados indicam que o sistema de avaliação externa, nos anos finais de ciclo, está a conseguir incentivar os alunos a progredir".


Enfim. Que grande treta...


Para quem estiver interessado em ler o estudo que sustenta a publicidade partidária, o melhor mesmo é utilizarem os links abaixo:


Estatísticas da Educação 2013/2014 

[PDF] [XLSX] [ODS]