sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Agravam-se as consequências das ultrapassagens na graduação...

Mais uma vez este blogue é voz solitária no problema das ultrapassagens na graduação resultantes da não consideração das vagas libertadas pela Mobilidade por Doença (MpD) para os concursos de professores que entretanto vão decorrendo...

Senão, vejamos:

a) As vagas resultantes dos deferimentos da MpD podiam ter sido consideradas para as colocações concretizadas a 30 de agosto (Mobilidade Interna e Contratação Inicial), mas não foram... O argumento foi o tal compromisso com os sindicatos no sentido dos colegas da MpD apenas conhecerem os deferimentos após os resultados da Mobilidade Interna. Recordo que se fosse este o caso, os deferimentos poderiam ter sido concretizados antes, os colegas dos quadros / contratados teriam sido colocados nas vagas libertadas e podia ter sido dado conhecimento dos deferimentos no dia 31 de agosto. Assim as vagas libertadas pela MpD teriam ido para os professores melhor graduados.

b) Feitas as colocações de agosto, pensei que os horários libertados pelos professores cujos pedidos de MpD fossem deferidos, fossem considerados para a primeira Reserva de Recrutamento (a de hoje), mas não foram... E não tinha grandes dúvidas que não fossem, pois os docentes de MpD apenas tiveram conhecimento ontem do seu deferimento e tiveram que ir hoje à escola de MpD ou telefonar para aceitar um pedido (que eles próprios tinham feito). Mas... Mesmo que estes horários fossem considerados nesta Reserva de Recrutamento, por si só já estaríamos perante uma ultrapassagem na graduação, pois este "segundo lote" de colocados na Reserva de Recrutamento, em princípio, será menos graduado que o "primeiro lote" das colocações de agosto.

c) Resta agora a segunda Reserva de Recrutamento... E estou certo que será nesta segunda Reserva de Recrutamento que as centenas de horários libertados pelos colegas da MpD serão considerados para efeitos de colocação. E se bem que fique contente com a existência de mais horários, subverte-se a regra da graduação, onde colegas melhor graduados ficam colocados mais longe e com menos horas.


Infelizmente, os sindicatos parecem não se importar com isto.

E se me vierem com o argumento que as ultrapassagens de graduação são normais nas Reservas de Recrutamento, eu respondo-vos: esta tipologia específica de ultrapassagem podia ter sido evitada pelo Governo Central (bastava terem seguido aquilo que escrevi em a), ao contrário de outras que surgem de horários "guardados" ou por qualquer vicissitude.

13 comentários:

  1. Perfeito.
    Concordo plenamente!
    Não percebo o silêncio (ou melhor, percebo: é importante reiterar a ideia de que tudo está a correr dentro da normalidade e os professores estão todos colocados).
    É urgente um concurso transparente, pela graduação profissional.
    É urgente rigor e transparência em todo o processo concursal, nas suas variantes, ao contrário do que se tem.vindo a passar e que, na minha opinião, este ano, rebentou com a falta de rigor, falta de transparência e desonestidade por parte da tutela!!
    Estou cansada desta novela e destes atropelos que causam injustiças tremendas, e jogam com a vida das pessoas (vulgos professores) como se de lixo se tratasse!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se acha que este ano rebentou com a falta de rigor, etc.… então que dizer doa ano passado… No ano passado sim… isso aconteceu mesmo…

      Eliminar
  2. Enquanto existir uma ultrapassagem obscena entre a 1a e 2a prioridade da Mobilidade Interna (isto relativamente aos QZPs em 1a), as ultrapassagens faladas são pormenores. Basta comparar as "ultrapassagens" de um lado e de outro e ver que é um mundo de diferença.
    Que tal resolver estes problemas todos nestas negociações? É o que todos pedimos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A 1ª é dos QZPs e QE/QA sem componente letiva… e não vou explicar porque existe uma 1ª e 2ª prioridade… devia ser lógico… Para além disso as graduações são respeitadas em ambas as prioridades…
      Contudo… concordo que um professor QZP não deveria concorrer na 1ª prioridade fora do seu QZP caso haja vagas no mesmo e que devia ser obrigado a concorrer a todas as escolas/agrupamentos do seu QZP antes de concorrer a qualquer outro…
      (Sou QA…)

      Eliminar
    2. Concordo!
      Um QZP nunca deveria concorrer em primeira prioridade para fora do seu QZP.
      Compreendo a lógica da primeira e da segunda prioridade mas na situação atual é o principal motivo das ultrapassagens... por isso defendo a colocação por graduação.

      Eliminar
    3. Concordo em pleno com o que o Paulo diz. QZPs e QA sem componente letiva em primeira prioridade e a concorrerem apenas em primeira prioridade à área geográfica do seu QZP. A diferentes áreas geográficas concorriam em segunda prioridade, como todos os outros.

      Eliminar
  3. Ricardo…
    Tal como já comentei em outros posts vou ter que discordar especialmente da tua alínea a)… garanto-te que a colocação da MPD/DCE primeiro que a MI permite muitas mais injustiças do que as que potencialmente possam ocorrer agora… e digo-te isto com conhecimento de causa… Aliás a “vergonha” foi tanta o ano passado que os sindicatos tentavam defender o indefensável perante os sócios que concorreram à MI no ano letivo anterior… não foi por acaso que eles negociaram este ponto…
    Mais uma vez digo-te isto com absoluto conhecimento de causa…
    Para além disso julgo que muitos desses horário nem sequer vão chegar RR2 pois vão ser ocupados antes… alguns porque serão ocupados por colegas sem componente letiva (vulgo, horário zero)… outros porque já podem ser de colegas que se encontravam sem componente letiva, por isso já não há sequer horário… outros ainda podem ser ocupados por colegas em MPD, sem impedimento para a docência, que entretanto aí tenham sido colocados (imagina que concorres à MPD, sem impedimento para a docência, para uma escola de onde também saiu um colega em MPD libertando um horário. Esse horário é-te atribuído e não vai a RR)… E atenção que muitos desses horários nem são completos, porque eram de colegas já com reduções…
    Contudo concordo com a tua alínea b)… os deferimentos da MPD deveriam ter saído mais cedo para que os horários sobrantes pudessem ter sido tomados em conta na RR1…
    E embora já tenha muitas vezes ficado decepcionado com os sindicatos, olha que eles desta vez (por muito que ainda devam haver alguns acertos… e há) responderam aos protestos de uma grande maioria dos docentes insatisfeitos com o que se passou no ano letivo anterior… Para além disso, como deves imaginar, não tem lógica nenhuma uma vaga plurianual (sei que não era o caso deste ano porque estamos em fim de ciclo, mas é a norma da MI) ser ocupada por uma colocação anual…
    Por isso não posso concordar com a aplicação de a)…
    Bom… posso contudo ser eu que não estou a interpretar devidamente a tua alínea a) e aí estar a argumentar de forma errada… se assim for… retrato-me… ;-)

    ResponderEliminar
  4. Caro Paulo, a sua explicação sobre os horários de MPD faz todo o sentido e aplica-se decerto nos casos com números "normais" desses pedidos. Mas repare que no caso de Bragança essas "trocas" de lugares não devem acontecer pois cerca de 350 professores pediram MPD para essa cidade e o contrários não se verifica!
    Em relação aos sindicatos, é verdade que lutam muito pelos nossos direitos (pena haver tanta gente abusadora e oportunista)e erros irá havê-los sempre porque isto é um processo complicado, mas de facto acho que o Mário Nogueira e as meninas do Bloco de Esquerda estão bem menos exigentes em relação ao ano passado (até o tom de voz é mais baixo)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim é verdade que em casos extremos como esse de Bragança e outros do género a coisa fica complicada…
      Só uma curiosidade… fiquei impressionado particularmente com os números do 1º ciclo em algumas dessas localidades…
      É claro que andam "menos exigentes" :-)… quando se vão conseguindo satisfazer alguns pedidos e satisfazendo algumas reivindicações… fica difícil levantar muito a garimpa, sobre risco de a coisa começar a correr mal… ;-)

      Eliminar
    2. Gostaria de saber quais são esses números do 1'ciclo... Pode ser mais concreto e fornecer esses dados? Obrigada.

      Eliminar
    3. Rita…
      Não tenho os números de cabeça… mas posso dizer-lhe que em alguns casos que vi eram mais metade das MPD nesses agrupamentos…

      Eliminar
  5. Boa tarde,
    Após fazer 198km para completar mais um dia de trabalho, cheguei a casa e, o que suspeitava aconteceu. Sou professor QA (horário zero) e no ano passado fiquei colocado a cerca de 30Km de casa a substituir uma colega que entretanto tinha saído por MPD. Este ano o Diretor informou-me que teria que concorrer. Em Agosto recebi a "prenda"! Colocado a 100Km de casa. Entretanto a colega que eu estava a substituir obteve MPD. O horário ficou livre e eis que, é ocupado na RR2 por um CONTRATADO. Como devem calcular sou uma pessoa "feliz". Por questões de educação não posso escrever aqui tudo o que vai na alma. Ao fim de 20 anos de serviço este e mais um murro no estômago que levo. É esta a JUSTIÇA da Educação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo o seu desgosto… e que se sinta injustiçado(a) no seu caso… mas posso contudo dizer-lhe que as injustiças em sentido contrário no ano passado foram muito mais… Se bem que isso não lhe acalme de modo nenhum o desgosto…

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...