quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Preocupante

O Paulo Guinote alertou aqui para o facto de não existir uma equivalência entre manutenção da carga horária e a respetiva componente letiva. De facto, Nuno Crato pode perfeitamente dar a volta ao texto (implementando, de facto, os inevitáveis cortes) aumentando as horas de componente letiva e/ou erradicando as reduções do muito falado artigo 79º (que introduz a redução da componente letiva aos 50 anos de idade e 15 anos de serviço docente).

E ao contrário do que determinados "tolos" dizem, as implicações não se abatem apenas sobre quem já anda na profissão há mais anos... Todos seremos contemplados. O problema é que uns de uma forma ou de outra, ainda se irão manter por mais algum tempo no sistema. Os mais novos, esses, serão empurrados para o desemprego.

Mais alguns meses e veremos as frases "levadas à letra" por Nuno Crato.


6 comentários:

  1. Já ouviram falar das "cabeçadas da vida"? Muitos dos meus colegas estão a precisar delas.

    ResponderEliminar
  2. O problema é que levam os que estão e fazem por merecer... e os outros. ;)

    ResponderEliminar
  3. Isso de chamar "tolos" a colegas...

    ResponderEliminar
  4. Tolos ou não, no fim quem andou distraido vai levar a cabeçada...

    ResponderEliminar
  5. Aqui vai as minhas dicas para o barbudo do ministro da educação:

    -Retirar a redução da componente lectiva a todos os docente.

    -Aumentar , ainda mais, o horário da componente lectiva.

    -Diminuir em 10 % o salário dos doentes a partir do 3º escalão.

    Pronto os objectivos serão atingidos rápidamente, acabar com o ensino em Portugal.Será que mesmo assim haverá "tolos" que aguentam!

    Ehhh burros de carga....

    ResponderEliminar
  6. Há pessoas que são autênticas bestas nos comentários e que até são um desprestígio para as bestas de carga, pois essas, ao menos, ainda são úteis...coitadas...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...