sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Vai ser um novo ano letivo interessante

Pessoal não docente das escolas com ordem para mudar de estabelecimento de ensino  

Comentário: Por enquanto, e até mais informações, esta medida aparenta estar contida às escolas não agrupadas e agrupamentos de escolas do norte do país... No entanto, e pelas vantagens financeiras que tal medida poderá trazer ao Governo estou em crer que facilmente será alargada a todas as outras áreas geográficas.

E se bem que numa leitura superficial este procedimento possa parecer natural, transcrevo de seguida um parágrafo do artigo em causa, que já não me parece assim tão normal:

"O que a tutela não diz, mas está escrito na ordem de serviço recebida nos agrupamentos escolares do Norte, é que quem não aceitar a transferência pode ser colocado noutro estabelecimento de ensino compulsivamente. A selecção será feita com base no tempo de serviço na carreira, nas três últimas avaliações de desempenho e no tempo de serviço na função pública".

Isto é o início de um ano letivo previsivelmente "caótico" para a escola-pública. Como sempre, não existirão culpados e mesmo que sejam determinados jamais serão responsabilizados.

14 comentários:

  1. É o ataque "meticuloso" à escola pública...descaradamente!
    Carmo Roby

    ResponderEliminar

  2. Isto vai deixar milhares de trabalhadores que se encontram em férias a ferver...

    Ainda não aprenderam a negociar!

    Vais ficar-lhes caro!

    Depois querem que um trabalhador depois de ter sido colocado a 60 kms, trabalhe mais 5 horas por semana, e sem qualquer ajuda nos transportes!

    Entre outras situações...

    ResponderEliminar
  3. Se não somos seletivos nas críticas começamos a disparar em todas as direções e não acertamos no alvo. Esta medida faz todo o sentido e foi a pedido de diretores conscientes da péssima distribuição dos operacionais pelas escolas. Se num mesmo agrupamento o rácio é "x" porque carga de água é "Y" numa outra? Esta medida é absolutamente necessária para uma melhor gestão.

    ResponderEliminar

  4. Claro que a medida peca por tardia.

    E já agora despedir os colegas professores que estão em algumas escolas aos magotes

    ResponderEliminar
  5. A Portaria n.º 1049-A/2008 de 26 de setembro, define com toda a clareza o número de funcionários que uma escola deve ter, pelo que, estão 5 anos atrasados...

    ResponderEliminar
  6. e...já....que se faz tarde...ponham a andar metade dos politicos,que estamos fartos de encher o ...a gulosos.

    ResponderEliminar
  7. "os professores vão receber mais para rescindir"

    http://expresso.sapo.pt/a-primeira-pagina-do-expresso=f825415

    ResponderEliminar
  8. Esta medida não é nova...
    No final do ano passado (2011/2012) aconteceu o mesmo no meu agrupamento/conselho.
    As direções receberam listas de pessoal não docente (os mais velhos das escolas) de onde teriam de selecionar alguns para irem para outros dos agrupamentos dos conselhos (foi incompreensível porque o agrupamento tinha pessoal a menos... e em vez de se escolher as pessoas que chegaram há menos tempo ao agrupamento, escolheram (não a direção) os que já lá estavam há mais tempo).

    ResponderEliminar
  9. É o país da república das bananas! Cada um faz pior que o outro e nada lhe acontece... Impressionante!

    ResponderEliminar
  10. SE é para cortar na educação, acho bem que se corte nos excessos. Temos que ser realistas e concordar com esta medida. Há muita escola com excesso de funcionários e esses devem ser abrangidos pelas mesmas regras do que os professores. Tirar onde há a mais e colocá-los onde fazem falta. 30 Km é uma distância justa e exequível. Não estamos em tempo de estar a pagar salários e o funcionário estar à rente do Computador o dia todo sem trabalho por fazer.Posso dizer que no meu agrupamento temos 24 funcionários administrativos quando para o mesmo trabalho serão precisos no máximo 10. Pessoal auxiliar temos 3 elementos por cada bloco e quando queremos um pau de giz não está ninguém.
    Chegou a vez do Pessoal Não Docente ter que fazer as malas coisa que os professores o fazem a muito tempo.

    ResponderEliminar
  11. Convém esclarecer o seguinte: a ordem para as escolas do norte vem de alguém que tem nome. Chama-se Aristides Sousa, delegado regional da DGEST, um boy do cds. Outro aspeto é o facto de só os funcionários ligados ao MEC estarem abrangidos por esta medida. Nas escolas/agrupamentos onde se verificou transferência de competências para as autarquias não mexem. É uma competência de cada municipio.

    ResponderEliminar
  12. Para Assistente Técnico: Não sei se não aprenderam a negociar ou se apenas aprenderam a negociar aquilo que os afeta diretamente.

    ResponderEliminar
  13. Quando iniciaram a criação de Mega Agrupamentos, uma das coisas logo visível era a questão: duas secretarias para uma escola! Isto é muito pessoal! Finalmente se percebe o porque dessa criação! Em relação aos profs, acho que o mec não tem coragem em cortar o art 79! Isto sim era uma boa medida! Podiam assim reduzir o número de alunos e aumentar a qualidade/sucesso no ensino!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...