quarta-feira, 27 de março de 2013

Questões extremas?

Nuno Crato: “A mobilidade especial para os professores só deverá ser aplicada em questões extremas”  

Comentário: Mobilidade especial aplicada apenas em situações extremas?! E uma das soluções para evitar estas situações extremas é a redução do número dos quadros de zona pedagógica? Continuem a mexer nos normativos legais que regem a organização das escolas e que definem os currículos, que nem com um quadro de zona nacional conseguem evitar mobilidades...

Este argumento é falacioso... E os mais penalizados serão mesmo os colegas contratados.

3 comentários:

  1. Uma coisa não tem nada a ver com a outra! É mais uma desculpa para penalizar os professores, desta vez os qzp.

    ResponderEliminar
  2. Essas situações extremas têm de ser evitadas, custe o que custar. Nem que seja à custa da mobilidade geográfica. Espera-se que sindicatos saibam apresentam alternativas credíveis e que não abusem da crítica fácil e inócua, bem ao estilo da Fenprof...

    ResponderEliminar
  3. Pedro, espera-se é que o MEC esteja disponível para ouvir e aceitar as alternativas credíveiss dos sindicatos, ao contrário do estilo do MEC...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...