quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Não nos atirem areia para os olhos!

Estou tão, mas tão farta da demagogia que tem marcado este assunto...
E como me revejo nas declarações do nosso ilustre deputado Porfírio Silva, quando disse que "a desfaçatez em política deveria ter, apesar de tudo, alguns limites."....

Hoje não pude deixar de ler as declarações da Alexandra Leitão. E, se nada mais, haja ao menos coerência!  Afirmou a Srª Secretária de Estado que:


Ah.... mas esperem lá... 

Se a preocupação do ME é, de facto, a poupança - coisa que não posso deixar de defender enquanto contribuinte - não deveria ter garantido, aquando da RR1 (dia 6 de setembro), que qualquer professor dos quadros de um determinado grupo fosse colocado em horários com, pelo menos, maior número de horas que os dos contratados do mesmo grupo?     DEVERIA!
Foi isso que aconteceu?      NÃO!

Vou ilustrar com alguns exemplos, que facilmente poderão confirmar no sítio da DGAE. 

LISTA DE COLOCAÇÕES DA RESERVA DE RECRUTAMENTO 1 - GRUPO 330 - (6/9/17) 

     Quadro 1 | MOBILIDADE INTERNA:
Comentário:
Basta uma página para se constatar que o ME colocou, no dia 6/9/2017, vários professores dos quadros (obrigatoriamente opositores a todas as escolas do QZP 1) em horários incompletos. 


     Quadro 2 | CONTRATAÇÃO:
Comentário:
Também aqui e bastando para tanto uma página, podemos confirmar que o ME contratou, no dia 6/9/2017, vários professores contratados para horários completos em escolas pertencentes ao QZP 1.

Agora voltem acima nesta publicação, releiam as afirmações da secretária de Estado da Educação e tirem as vossas conclusões... 

20 comentários:

  1. A SE Leitão MENTE descaradamente.
    O Ministro nem abre a boca - coitadinho.....
    O PM apresenta já laivos de furia. O discurso corre agora noutro tom.

    Este é Ministério da FALTA DE EDUCAÇÃO.

    ResponderEliminar
  2. Este foi o ano "experimental". Daí todas as confusões nos concursos, começaram nas exclusões indevidas no CE com a aplicação de filtros informáticos inadequados à legislação que rege os concursos de professores e da carreira docente (basta consultar as extensas listas de exclusão deste ano letivo para perceber que algo de profundamente anormal se estava a passar e dar o alerta para o que se seguiu) e terminou com a MI e toda a confusão na MPD. A DGAE está neste momento atolada de Recursos Hierárquicos e mereceu bem cada um deles. Uma percentagem considerável está a vir deferida, outra parte a indeferida facilmente pode ser revertida em tribunal por quem tiver tempo e dinheiro suficiente para se chatear. Este Ministério é o caos e espalhou o caos à sua volta! Nem sequer os deferidos está a executar. Pessoalmente estou convencida da inevitabilidade de os pôr em tribunal para os obrigar a cumprir a lei. No meio disto os sindicatos assobiam para o lado comprometidos que estão com as dependências politicas e económicas com as quais já não conseguem viver. Um bom exemplo disso a a infeliz Associação de Professores Contratados. Essa nem se ouve é como se não existisse.

    ResponderEliminar
  3. Mário Nogueira foi engolido pela máquina COMUNISTA. Fenprof não defende os professores. Fenprof defende o PCP.

    ResponderEliminar
  4. Pois, é preciso não esquecer que eles são a esperança, pois...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperança?!... Estes também não o são.

      Eliminar
  5. Parece que a preocupação de preferencialmente atribuir horários completos aos professores do quadro e NÃO aos contratados só existiu em Agosto! Em setembro já passou a valer tudo: professores do quadro com horários incompletos, mesmo que isso tivesse implicado contratarem professores contratados para horários completos que poderiam ser atribuídos aos professores dos quadro. Mas alguém ainda acredita que a poupança foi o móbil desta trapalhada toda? (Se o fosse, eu juro que entenderia)

    ResponderEliminar
  6. Helena Rechena, como bem disseste noutro comentário algures "Não entende quem não quer entender".
    Ontem, em frente a Belém, tive a "certeza" que os Inomináveis estão a contar com a via judicial: custa dinheiro (muita malta está numa situação de ruptura) e os processos são morosos. Querem desgastar-nos e ganhar a causa pelo cansaço...
    No que me toca: a Luta continua até reposição da Justiça.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Tendo sido professor durante 38 anos...fora o resto...desconheço a lei actual de concursos..mas por aquilo que tenho lido...faço uma pergunta...o professor A, está numa escola a 30 Km de casa, é do quadro, mas neste concurso, resolve concorrer, para ficar apenas a 10 Km...foi obrigado pela lei a concorrer? Se não foi porque concorreu? Correndo o risco de ir para a 60 Km de de casa...foi assim ou estou enganado...informem se entenderem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é nada disso. Está completamente enganado/mal informado. O problema foi, resumidamente, colegas menos graduados ficarem em horários que docentes mais graduados preferiam. Os mais acima na lista não tiveram acesso a variadíssimos horários que os menos graduados tiveram, sendo obrigados a ficar nas suas últimas preferências.

      Eliminar
  8. Não atirem terra para os olhos. Ninguem ficou longe de casa. A casa é onde tem o trabalho e que eu saiba os colegas ficaram no QZP a que pertencem, nomeadamente o 7. Chega de envergonhar toda uma classe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você com esse discurso é p exemplo acabado de quem é violado e no fim agradece...

      Eliminar
  9. Os Quadros de Zona Pedagógica são obrigados a concorrer a todo o seu QZP e são opositores obrigatórios à mobilidade. Os QZP podem ter mais de 300km quadrados.

    ResponderEliminar
  10. Mas isto sempre aconteceu com os educadores e professores do 1 ciclo. Os 1 a colocar nem sempre ficam nas melhores vagas. É que no 100 e 110 só há horários completos quebefabo que deveria haver nos outros grupos Mas tb penso que ninguém ficou colocado fora do seu qzp

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh meu Deus! Ninguém está a falar de colocações em datas diferentes. Claro que o futuro a Deus pertence e ontem posso ter sido colocado numa escola a 50 km da minha vila e daqui a uma semana abrir uma vaga para a escola ao lado da minha casa.O desbaratar de dinheiro acontece é quando NA MESMA DATA colocam um professor dos quadros num horário de 9 horas e um contratado num completo. E SERÁ QUE É ASSIM TÃO DIFÍCL PERCEBER QUE A QUESTÃO NÃO É TEREM SIDO COLOCADOS PARA ESCOLAS PARA ONDE CONCORRERAM???? Apre

      Eliminar
  11. Acho que há aqui uma confusão entre OPINIÕES e FACTOS. A publicação apresenta apenas factos e, diga-se, irrefutáveis. Não se trata de saber se isto já aconteceu ou deixou de acontecer no passado ou tão pouco se os professores dos quadros concorreram ou deixaram de concorrer para as escolas em q ficaram colocados. As opiniões são discutíveis, os factos podem ser, ou não, refutaveis. Os quadros apresentados provam, CABALMENTE, que, ao contrário do que a Alexandra Leitão afirma, os professores do quadro não foram preferencialmente colocados en horários completos!

    Helena Rechena

    ResponderEliminar
  12. Só não vê quem não quer ver ou quer assobiar para o lado. É uma questão de inteligência. A questão não está em primeira instância em querer ou não ficar perto de casa... é não ter ficado colocado perto de casa porque se foi ultrapassado por candidatos à distância de 100/200 lugares mais abaixo na lista.

    Está provado no exemplo... que querem mais!!

    ResponderEliminar
  13. Sou QZP do 100, vivo em Viseu, fui colocada na 1º semana em Castelo de Paiva. Depois da RR1, foram colocadas todas as semanas colegas bem perto de Viseu e algumas até são contratadas. Sempre assim foi. Os colegas do 100 e do 110 só tem horarios completos e por isso nunca tiveram as benesses dos outros colegas dos outros grupos. Habituem-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não seja imbecil, colega! Está-se a falar de colocações ocorridas NA MESMA DATA e isso faz toda a diferença.

      Eliminar
  14. É triste ver comentários como o que vejo acima. Para mm eu quero fazer as horas letivas não quero horários incompletos, eu gosto de estar dentro das 4 paredes e ensinar, prefiro isso a apoios ou outras coisas que tais, portanto não sou ou somos uma data de malandros que não querem trabalhar, queremos é justiça. E justiça passa por cumprir e fazer cumprir as listas de graduação - elas existem para isso.


    Quando pessoas da própria classe laboral tem este tipo de comentários está tudo dito, nunca iremos a lado nenhum.

    ResponderEliminar
  15. Conclusao querem meios horários e ganhar ordenado completo.
    Uma coisa sao horarios completos premanentes outra sao horarios completos ocasionais....

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...