segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Algumas informações da reunião FENPROF/DGAE

A FENPROF publicitou no sábado, algumas das informações obtidas na reunião com a DGAE da passada 6.ª feira... No sítio da FNE, absolutamente nada relativamente à mesma reunião.

Adiante.

Das informações constantes no sítio virtual da FENPROF (aqui), eis algumas que considero relevantes:

a) A DGAE não irá abrir um novo período para retirar docentes da mobilidade interna, comprometendo-se apenas a "fazer regressar os docentes (que assim o desejarem) às suas escolas de colocação inicial, nos casos em que nelas se confirme a existência de horários que lhes possam ser atribuídos";

b) No que concerne à "Bolsa de Contratação de Escola":
b.1) O tempo de serviço relevante para efeito do cálculo da graduação é inequivocamente aquele que foi prestado prestado até 31-08-2013;

b.2) No âmbito do preenchimento das candidaturas, e no que concerne às questões relacionadas com subcritérios especificamente associados a determinados agrupamentos de escolas/escolas não agrupadas, os responsáveis da DGAE, embora tenham afirmado que os docentes não poderão ser acusados de prestar falsas declarações ou serem prejudicados, não garantiram que as colocações não venham a ser anuladas caso a resposta a esses subcritérios tenha sido involuntariamente incorreta.

b.3) A DGAE comprometeu-se a retirar os subcritérios ilegais (exemplo: tempo de serviço prestado no agrupamento), no caso de confirmarem a sua existência;

b.4) Apenas serão retirados de todas as Bolsas de Contratação de Escola os colegas colocados em horário completo e somente durante o período de contratação estabelecido;

b.5) De igual modo, a colocação no âmbito da contratação inicial ou da reserva de recrutamento determina a retirada do docente nela implicado da Bolsa de Contratação de Escola a que, eventualmente, tenha sido opositor nas situações de colocação em horário completo;

b.6) O regresso dos docentes à reserva de recrutamento no final de contratos temporários que tenham eventualmente celebrado no âmbito de colocação obtida em sede de contratação de escola ou Bolsa de Contratação de Escola, apenas se concretizará no caso de a colocação temporária decorrer da Bolsa de Contratação de Escola, mas não no caso de a contratação temporária resultar da contratação de escola.

6 comentários:

  1. A aplicação do que referes no ponto a) vai criar uma tal confusão. A isto se chama entropia.

    ResponderEliminar
  2. Vergonhosa a atitude dos "nossos" sindicatos (nada a que não estejamos já habituados!) que nem sequer se souberem pôr ao lado do representante da associação de diretores de escolas na questão dos horários zero na exigência de que todos fossem devidamente assinalados/retirados. Aceita-se assim, com um "quem quiser e tiver horário pode regressar à escola de origem" sem se pensar na confusão que isso vai gerar e nas ultrapassagens várias, quer porque os colegas vão continuar a concorrer em primeira prioridade quando assim não devia ser, quer porque lá vão sei lá quantas vagas ao ar (para os professores dos QA/QE)à conta disso!

    ResponderEliminar
  3. Um esclarecimento, não percebi o B6, se for colocada num temporário por contratação de escola, quando terminar não volto à bolsa dos dois?

    ResponderEliminar
  4. O MEC nem imagina a embrulhada e a confusão que esta nova bolsa vai dar.

    ResponderEliminar
  5. A)
    Ou seja, somos agora colocados e se a escola onde estivemos o ano passado tiver horário para nós podemos não aceitar a colocação da mobilidade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que sim mas vai dar confusão.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...