terça-feira, 6 de setembro de 2016

Acordaram tarde, senhores sindicalistas...


Comentário: A FNE começa hoje a dar conhecimento de uma preocupação - da qual tenho sido surpreendentemente voz singular (e que relatei aqui a 30 de agosto, isto é, aquando da publicitação das listas de colocação) - relacionada com as inevitáveis "ultrapassagens" na graduação que irão ocorrer quando alguns dos docentes colocados agora em Mobilidade Interna (MI) ou com horário letivo na sua escola de colocação / provimento virem os seus pedidos de Mobilidade por Doença (MpD) deferidos

E mais uma vez explico o meu raciocínio (o qual, até à data, ninguém conseguiu provar que possa estar profundamente errado): os horários "libertados" pelos docentes que virem os seus pedidos de MpD deferidos (a data prevista para tal, é 8 de setembro) serão integrados na Reserva de Recrutamento (resta saber se na primeira que irá surgir a 9 de setembro), e como tal, serão colocados à "disposição" de colegas  (contratados e dos quadros) eventualmente menos graduados relativamente aos que foram colocados através de MI a 30 de agosto

Dizem-me (e nestes últimos dias, mais vezes do que gostaria) que as ultrapassagens são normais e inevitáveis, e que ocorrem todos os anos. É verdade que ocorrem ultrapassagens e que nas reservas de recrutamento até aparecem horários melhores e mais próximos, mas esta situação de ultrapassagem constitui uma novidade. E mais do que uma novidade, é algo que poderia ter sido evitado se os horários libertados pelos deferimentos tivessem sido considerados para a Mobilidade Interna. E se queriam dar conhecimento dos deferimentos após publicitação das listas de agosto, que o dessem passadas (por exemplo) 24 horas das mesmas serem conhecidas.

E se isto para já aparenta não chatear muitos professores, deixem que sejam publicitadas as listas da reserva de recrutamento... Quando se aperceberem que colegas menos graduados foram colocados com melhores horários e mais perto, é que irão acordar. Mas isso sou eu... E provavelmente estou a ser exagerado e alarmista (pode ser que como agora a FNE reagiu surjam mais vozes discordantes ou pelo menos passem a ter autorização para discordar).

Da FENPROF, ainda nada...

44 comentários:

  1. Boa noite,

    Mas não foram os sindicatos que exigiram que as MPD saíssem depois da MI?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que não seria está a intenção dos sindicatos...

      Eliminar
    2. Não exigiram… mas negociaram… é um bocadinho diferente…
      Já expliquei neste mesmo blog ( https://profslusos.blogspot.pt/2016/09/resultados-da-mobilidade-por-doenca.html ) a lógica disto… por isso não me vou repetir…

      Eliminar
  2. Mas há ainda prof mobilidade interna por ser colocados. Penso que primeiro devem ser colocados nesses lugares e depois os contratados. Não sei, mas tb já há pessoas colocadas mais longe que podetiam ficar mais perto se as condiçoes especificas saíssem ao mesmo tempo. Confuso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é assim que irá ocorrer, Dora. Primeiro os colegas dos quadros e depois os colegas contratados. Só que entretanto foram colocados colegas mais "graduados" em "cascos de rolha" ou com menos horas. E agora deverão aparecer mais horários e mais para norte e centro.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Eu bem lhes "dou", mas como sou apenas um não consigo grandes resultados. Quando surgirem as listas da primeira reserva de recrutamento, muitos vão falar nisto. Mas aí parece-me que já será demasiado tarde. Mesmo agora já o será... Enfim.

      Eliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. No ano passado os docentes em MPD foram criticados pelos SEUS COLEGAS pois estavam a tirar horas para os profs dos quadros. Conclusão: há que mudar o concursos!
    Este ano colocam os profs de carreira que aguardam MPD nas suas escolas, longe, mas são as suas escola, outros, por graduação, obtiveram colocação na MI. Conclusão: Aguardem a MPD nas vossas escolas e nas de nova colocação até sair o deferimento e serem divulgados os resultados dos mms.
    Todos os anos há sempre colegas insatisfeitos,
    Será que os docentes de carreira que querem trabalhar, mm sem horário, não têm direito a um pouco de Paz.
    ESPERO DO FUNDO DO CORAÇÃO QUE TANTO OS COLEGAS COMO A TUTELA TENHAM SEMPRE MUITA SAÚDE.

    ResponderEliminar
  6. O pior é que todos os colegas do QZP concorrem na 1º prioridade na mobilidade interna e os do Quadro de Escola na 2º. Todos os colegas do QZP ficam nos melhores lugares e os outros com melhor graduação ficam 4 anos longe de casa. Todas as fases do concurso deveriam ter em conta a graduação profissional. Ainda não alteraram as regras dos concursos. É sempre a mesma injustiça, ano após ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem colega. Ninguém fala desta injustiça. Devia ser por graduação.Há QZP menos graduados a ficarem em escolas perto da residência e QA a irem para muito longe. E esta hem?

      Eliminar
    2. Falar… até falei… mas só que foi noutro post deste mesmo blog… 😏
      https://profslusos.blogspot.pt/2016/09/resultados-da-mobilidade-por-doenca.html
      no comentário de 08 de setembro, 2:14 da manhã…

      Eliminar
    3. Infelizmente ainda não entendeu que a aproximação à residência é uma benesse. Os QA sem componente letiva, independentemente da graduação, também concorrem na 1ª prioridade , assim como os QZP que não têm escola. Mude-se para QZP e pare de queixar-se. Já agora gostaria de dizer que estou há 18 anos num QZP por preferência. Mais informo que, embora tenha ficado colocada em Agosto a 30 km da minha residência, na RR1 surgiram 4 horários do meu grupo em escolas a 2 minutos a pé de minha casa e entendo perfeitamente o que poderá ter acontecido. Os docentes deveriam ser colocados nas escolas não por graduação, mas em função do que exatamente fazem em prol dos seus alunos e tempo de serviço.

      Eliminar
    4. Anónimo setembro 11, 2016 6:24 da tarde…
      A aproximação à residência não é uma benesse… é um direito… e de momento devidamente reconhecido… e como tal implica uma 2ª prioridade na MI…
      Também lhe digo que no meu caso não mudo de QA para QZP… porque o meu "QZP de residência", que é ao qual também pertence o meu agrupamento, é muitíssimo extenso, com maus acessos ou então com acessos muito caros… Como o meu QA é no mesmo extremo da minha residência (embora distante desta umas boas dezenas de Km), é um riso muito grande mudar para QZP e ficar ainda mais longe da minha residência…

      Eliminar
    5. Nem sempre é verdade, pois há quem esteja em QA, com graduação profissional inferior, a quem está em QZ...

      Eliminar
  7. Vai ser pior. Acredita! Os horários da MPD não vão ser recuperados para a primeira RR e vão parar às mãos de colegas ainda menos graduados na 2ª RR. Mas isto não é novidade nenhuma. Já era assim anteriormente. Só no ano passado é que não foi. Já referi em comentário aqui no blog que foi por causa disto e da situação referida no comentário anterior (na altura também tinha a sensação que era o único a reclamar desta situação) que disse adeus ao meu sindicato.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem podem ser recuperados na primeira RR, porque a sê-lo ainda vão gerar mais trapalhadas! Temos aqui duas situações em que isso a acontecer vão 2 horários completos de MPD para RR quando têm que ir 2 horários incompletos para MPD, porque há colegas do quadro colocados em horários incompletos com menor graduação, que os colegas que pediram MPD.

      Eliminar
    2. Mas aí atenção… segundo a própria lei… a colocação de um docente DCE não pode gerar falta de componente letiva para o docente do quadro… Neste caso não há qualquer duvida…
      E também pode acontecer professores DCE irem ocupar vagas que de outro modo iriam para a RR… e já não vão…

      Eliminar
  8. Se no ministério as pessoas tivessem cabeça (ou quisessem de facto fazer as coisas bem feitas) era óbvio que, para se evitar estas situações, teria de haver cruzamento de dados (nada de transcendente, visto que estamos na era digital) e, em 1º lugar, teriam de ser analisados os casos dos professores que pediram cumulativamente MPD e MI. Mesmo que não fossem anunciados os resultados da MPD previamente, aqueles cujo pedido de MPD reunisse condições para ser deferido seriam automaticamente retirados da MI, e nesse caso não aconteceriam estas ultrapassagens.
    Por outro lado, em relação às reacções indignadas de colegas (nomeadamente QZP's) que se vêem ultrapassados por outros menos graduados que vão ocupar as vagas dos colegas que vão conseguir MPD, é para sentirem na pele o que eu e outros QA/QE também sentimos quando não conseguimos vagas mais próximas de casa porque esses mesmos QZP's são colocados de acordo com uma prioridade estabelecida por uma lei aberrante e que nenhum partido mudou, desde o seu malfadado aparecimento em 2004, em vez de a colocação ser feita de acordo com a lista graduada, como é óbvio que devia acontecer, a bem da justiça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão. Sou QA a 160 km de casa e sou ultrapassada por QZP menos graduados

      Eliminar
    2. Tem toda a razão. Sou QA a 160 km de casa e sou ultrapassada por QZP menos graduados

      Eliminar
    3. Ainda não entendeu que os QZP não têm escola, logo concorrem na 1ª prioridade? Qual o motivo que o levou a concorrer a QA? Mais, a aproximação à Residência é uma benesse que deveria desaparecer.

      Eliminar
    4. Bom…
      já expliquei isso aqui… https://profslusos.blogspot.pt/2016/09/resultados-da-mobilidade-por-doenca.html
      Quanto muito o que podem contestar é o que eu comento nesse mesmo post a 08 de setembro pelas 2:14 da manhã…

      Eliminar
    5. Caro anonimo das 12.54 da tarde,
      O motivo que me levou a concorrer a QA, por muito estranho que pareca a muitos QZP que por aqui andam a lancar 'filetes' foi a lei que vigorava ha mais de uma decada atras, quando era obrigatorio concorrer a uma das quatro zonas 'horizontais', sob penalizacao, se nao o fizesse... Pois sim, sou desse tempo e sou ultrapassada por colegas centenas e centenas de lugares atras de mim, talvez tambem pelo caro anonimo, uma vez que parece nao ser desse tempo! Todos sabem onde esta o problema, porem a lei nao muda... sera que estao todos cegos???????? Depois e aquela aberracao de mobilidade por doenca! Claro, as pessoas esgueiram-se por onde a lei o permite e nao estou a falar de mim, tal repugnar_me_ia!!! LISTA DE GRADUACAO, JA, COMO UNICO CRITERIO DE COLOCACAO!!!!!!! iSSO E QUE ERA! Mas deve incomodar alguns poderosos, ou em peso ou em numero... os sindicatos la sabem!HIPOCCRISIA, E O QUE E!!!! NOTA:sim, escrevi sem acentos e outras coisas,mas e o meu teclado que esta como o ministerio: sem conserto!

      Eliminar
    6. O problema não está na Graduação… essa é respeitada em ambas as prioridades… e a razão de ser das prioridades julgo que toda gente sabe qual é… mas vou transcrever o comentário que referi atrás e que coloquei noutro post, fazendo a mesma declaração de interesses… sou QA… e não… não fui obrigado a concorrer a QE por aquela dita "ministra"… sou QE ainda antes de haver QZP…
      "O professor QZP concorre nessa prioridade (1ª) a outro QZP porque é tratado pelo sistema como “professor sem componente letiva”… Mas…
      Tenho que concordar, pelo menos parcialmente, com a sua opinião (a da Susana)… O professor QZP só deveria poder concorrer a outro QZP depois de ter concorrido a Todas as Escolas do seu QZP, podendo então manter a 1ª prioridade no concurso a outro QZP se não houvesse vaga no seu QZP… caso contrário até poderia manter-se a concurso para outro QZP, mas aí deveria passar para a 2ª prioridade (porque neste caso já seria considerado uma aproximação à residência)… Haverá quem diga, que isto seria muito difícil/complicado/impossível… meus caros… com a informática de hoje em dia, isso é uma brincadeira… nada de desculpas…"

      Eliminar
  9. Cresce ainda as angustiantes semanas de agosto e agora setembro. Não chega estarmos doentes, como sem saber o que fazer, como fazer. E aos nossos filhos?? mantemos matrículas? Mudamos de escola? Teremos vagas para eles?
    Espero que quem tenha reclamado no ano letivo anterior nunca passe por esta situação, pois lembrar-se-à de quanto foi injusto.

    ResponderEliminar
  10. Os sindicatos quiseram porque os professores quiseram. É angustiante e desumano este compasso de espera, diria até vergonhoso.

    ResponderEliminar
  11. A somar à vergonha. Surgem agora notícias que os professores que concorreram em simultâneo à MI e MPD vão poder optar por uma das escolas. Ou seja se estão doentes e pediram uma determinada escola é porque seria a espectável! Em alguns casos já não é???!!! São demasiadas novidades e alterações de regras sem fundamento legal que o suporte. Apenas porque apetece ou convém a alguns. Este concurso faz lembrar que este país ainda se encontra a anos luz da UE. A melhor profissão é sem dúvida ser político ou gestor de uma público privado e repito a canção: Mãe fazias-me rico (ou com grande padrinho!) em vez de bonito!!!

    ResponderEliminar
  12. Estas situações só deixarão de acontecer quando criarem um programa capaz de fazer a recuperação das vagas automaticamente. Só assim!

    ResponderEliminar
  13. Pode-se optar, entre mobilidade interna e MPD ???
    Quem disse???
    Qualquer coisa deverá ser feita, este impasse é insustentável!

    ResponderEliminar
  14. Estas situações só deixarão de acontecer quando criarem um programa capaz de fazer a recuperação das vagas automaticamente. Só assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só deixarão de existir quando as escolas abrirem as vagas reais nos quadros. E a custo zero, pois há QA e QZP suficientes para suprir as necessidades e ganham o mesmo quer tenham horário completo ou 6 horas letivas. As necessidades temporárias iriam a concurso e acabavam -se os concursos a la carte.
      SÓ assim os profs e as escolas terão estabilidade.

      Eliminar
  15. Não sei bem se vai ser assim relato aqui o meu caso eu concorri a MPD estou colocado na MI logo liberto um horário de 22h. No entanto acho que outro colega do meu grupo também concorreu a MPD e aguarda deferimento se ambos conseguirmos o deferimento ele fica com o meu horário. Logo não vai para a reserva.

    ResponderEliminar
  16. Não, não foram os sindicatos. Foi um sindicato: FENPROF. Foi a FENPROF que pediu ao MEC que a MPD fosse posterior à MI. Resultado, ultrapassagens. O que o Ricardo refere foi sugerido em sede de audiência de interessados, mas como a FENPROF meteu o bedelho estragou a MI para os da 2ª prioridade, estragou a vida a quem precisa da MPD e trouxe instabilidade e confusão às escolas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os sindicatos cederam às pressões dos colegas indignados com o facto de a MpD subtrair horários a concurso de MI e contratação. Foi consensual, pelo lido nas redes sociais e queixas publicadas em jornais, quanto ao facto de ser dada prioridade à colocação na MI, de modo a que a MpD não criasse ultrapassagens injustas. Tendo sido feita a vontade àquilo que parecia ser o desejo de todos, não se percebe, agora, esta indignação. Enfim...
      AP

      Eliminar
    2. Não podia estar mais de acordo com o "Anónimo setembro 07, 2016 10:28 da tarde"…
      É uma questão obvia… e já me fartei de explicar isso neste outro post: https://profslusos.blogspot.pt/2016/09/resultados-da-mobilidade-por-doenca.html por isso não me vou repetir…

      Eliminar
  17. Ricardo,
    Não estás só... e eu ainda levei com um dos "vermelhos" fanáticos nos comentários.
    http://educaraeducacao.blogspot.pt/2016/08/mobilidade-por-doenca-listas-e-atrasos.html
    Isto este ano com a MpD é uma vergonha, mas como tem o aval dos sindicatos que conseguiram levar o governo a um frustado acto legislativo sobre a MpD em que, bem ou mal, ficou tudo na mesma e atrasaram as autorizações. São todos coniventes no atraso.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito azedume…
      Mas nem vou repetir o que já me fartei de argumentar aqui: https://profslusos.blogspot.pt/2016/09/resultados-da-mobilidade-por-doenca.html

      Eliminar
  18. Situação vergonhosa. Eu próprio sou já uma vitima. Estive colocado no ano passado numa Escola a 30Km de casa. Tive que concorrer pois ocupava um lugar de uma colega de MpD. Agora, fui colocado a 100Km e daqui a uns dias a colega é destacada e alguém atrás de mim na lista de graduação ocupa o lugar. Sou QA.

    ResponderEliminar
  19. Eu sou vítima dessa situação vai para 5 anos; desde que entrei em Mobilidade Interna. Acabo por ser colocada numa escola e, uns dias depois abre vaga porque há uma colega doente que não vem... e já não há possibilidade de regressar à "minha escola" - sou do Q.A. - a vaga aberta é ocupada por um professor contratado(normalmente)ou menos qualificado.

    Neste momento, não fui colocada. Aguardo. Apresentei-me na escola de provimento - entregaram-me um horário, mas não me retiram do concuroso. Sou obrigada a assumir o horário, ir a reuniões de directores de turma, fazer planificaçoes...., iniciar as aulas, etc?

    ResponderEliminar
  20. Ainda em relação às ultrapassagens... Eu sou do QA e concorri à MI para me aproximar de casa, como aliás tenho feito nos últimos anos, sem sucesso!
    Este ano, finalmente, consegui!!! No entanto, no início desta semana fui informada pela Direção do Agrupamento em que fui colocada que não me pode ser atribuída uma turma porque houve um engano da plataforma e foi por isso que ali fui colocada , com horário 0... Não tenho garantia de ninguém (Direção, CAT da DGAE e/ou sindicato) que em qualquer altura serei retirada do agrupamento em que estou para ser colocada sabe-se lá onde!!! Isto é normal?! Entretanto, também eu serei ultrapassada por colegas com menor graduação... Não é justo!!! Já não sei muito bem a quem mais posso recorrer!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O erro não é seu… por isso a escola onde foi colocado/a em MI é a sua escola para este ano letivo… tenha ou não horas…

      Eliminar
  21. Ricardo…
    Embora perceba a lógica do que dizes no teu texto… e até pudesse concordar… tal colocação teria que ser feito, no mínimo, de forma a evitar que fossem ocupadas vagas da MI (que por norma é plurianual), por docentes colocados em DCE (que é uma colocação anual)…

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...