terça-feira, 27 de maio de 2014

Ainda o concurso IEFP 2014

Depois de ler os comentários ao post "A quem se destina o concurso para o IEFP 2014?" que publiquei no dia 22 de maio, admito ter ficado um pouco impressionado com os relatos (não pelas descrições em si, mas pelo número de relatos) de "exploração" que aparenta existir em alguns Centros de Emprego e Formação Profissional do IEFP. No entanto, julgo que só mesmo quem esteja completamente alienado da realidade poderá julgar que aquilo que se vive e se trabalha nestes centros possa ter equivalência ao que é feito nas escolas. Deste modo, ficarem surpreendidos com os relatos de "exploração" é uma surpresa por si só.

Estamos a abordar realidades completamente diferentes...

Julgo não estar errado quando afirmo que só mesmo a hipótese de estar mais próximo do local de residência (ou outro local onde queremos estar próximos) poderá servir de argumento para arriscar neste concurso. Existe outro argumento, nomeadamente o medo da manutenção sem componente letiva, mas creio que não será o mais relevante para uma escolha deste tipo.

E se têm dúvidas que poderão estar a arriscar mais horas de componente letiva daquela que estão habituados, basta ler o que consta no "convite à manifestação de interesse" (aqui), no que concerne aos destinatários: "Docentes de carreira dos ensinos básico e secundário do Ministério da Educação e Ciência que aceitem lecionar no mínimo 22 horas / 25 horas (grupo 110)". Os mínimos estão bem explícitos.


Deste modo, ao concorrerem têm de ter bem presente que o modo de funcionamento, as horas de trabalho, a dinâmica e a exigência pessoal serão radicalmente diferentes. Não sei se para melhor ou pior, mas diferente. Tendo como base estas premissas e sabendo que a colocação no IEFP poderá exigir mais do que estamos habituados, só temos mesmo de pesar os "prós" e os "contras", e agir em conformidade.

25 comentários:

  1. importa lembrar que há centros que abrangem dez concelhos e a maioria das ações são externas. É normal fazer duzentos quilometros num dia. E todos os dias se vai para concelhos diferentes. O factor geográfico perde um pouco de peso face a esta realidade. Gostava de saber se há alguma penalização por desistência após a colocação e requisição.

    ResponderEliminar
  2. isto não é para todos...é demasiada areia para muitas camionetas...cheira-me que ainda vão sobrar vagas para contratados :D

    ResponderEliminar
  3. Estou colocada no IEFP, ao abrigo do concurso para professores. É um ambiente muito diferente daquele que se vive na escola, em todos os aspetos: público alvo (muita gente contrariada mas que se vê obrigada a frequentar cursos para não perder apoios sociais), horários (das 8 às 8 e diferentes todas as semanas), ausência de interrupções letivas, formação em locais afastados, etc. Não me queixo, preciso mesmo é de trabalhar! Mas, para quem tem filhos menores e sem apoio familiar, a tarefa de prestar apoio à família é quase impossível. Apetece-me convidar os colegas, que estão a pensar concorrer, a virem passar um dia connosco. A vossa decisão tornar-se-ía mais fácil. Eu, se pudesse, voltava para a Escola...

    ResponderEliminar

  4. Para mim faz sentido, assim estou perto da minha Braseira

    ResponderEliminar
  5. Estou no IEFP e dou em média 32h lectivas. Desloco-me 3 vezes ao dia e mesmo 4 qdo há reuniões. Tenho locais de trabalho a 80kms do centro....Não há férias, não podemos ficar doentes, nem nossos filhos...se não formos trabalhar, ninguém nos paga.
    Temos serviço que nem sequer é pago. Não há horas para preparação nem correção de testes.
    Tenho um amigo do QZP que foi para o IEFP em 2013, como eu.
    Trabalhava 40h por semana. Dava mts vezes + do que 25h semanais lectivas, pois qdo há interrupções tinha que repor as aulas...as outras 15h era de coordenação e mediações longes...fazia horários, enfim estava inundado de trabalho....conclusão rescindiu com o ME!
    Qdo encontro os meus antigos colegas que falam que tem mt trabalho, só me dá vontade de rir...mas tenho trabalho, não sou esquisito

    ResponderEliminar

  6. Concordo com o colega! com tantos Pilotos por aqui e por ali (começando por mim) que estar longe é complicado

    ResponderEliminar
  7. Orlando, também eu tenho uma média superior a 32h letivas.. aliás, até há um mês tinha 5 mediações (para quem não sabe, é o equivalente a ser Diretor de turma), uma das quais fora do centro, que nunca consegui cobrar.. as 744h deste contrato foram cumpridas a dar aulas efetivamente. Todo o outro trabalho, cobrável, de mediações e reuniões nunca o consegui cobrar... mas, como digo, não me estou a queixar. Estou a trabalhar só lamento que nem todo o meu trabalho é remunerado... ontem, por exemplo, dei 6h mas o meu horário foi das 8 às 11 e das 17 às 20. Gastar combustível para ir a casa, está fora de questão.. muitas vezes preferia estar como formadora externa.. sempre ganhava as 12h...

    ResponderEliminar
  8. Nao ganha as 12 todos os dias... os formadores tem um limite de 20.000 euros ano....

    ResponderEliminar
  9. A acrescentar a tudo o que foi dito, neste momento que vão começar os concursos, grande parte dos docentes/formadores não têm o tempo de serviço passado, porque o IEFP anda às turras com o MEC para saberem como passam o papel!!! E quem se lixa somos nós! UMA VERGONHA! DENUNCIEM ESTA VERGONHA!

    ResponderEliminar
  10. Maria,gostava de fazer-lhe algumas perguntas sobre as funções no IEFP. Já tinha decidido concorrer mas depois de ler o seu texto fiquei baralhada... A ideia de passar lá um dia e ver como funciona é interessante mas não é viável. Haverá alguma maneira de poder falar consigohoje ou amanhã?
    Aguardo,
    Isabel

    ResponderEliminar
  11. Maria,gostava de fazer-lhe algumas perguntas sobre as funções no IEFP. Já tinha decidido concorrer mas depois de ler o seu texto fiquei baralhada... A ideia de passar lá um dia e ver como funciona é interessante mas não é viável. Haverá alguma maneira de poder falar consigohoje ou amanhã?
    Aguardo,
    Isabel

    ResponderEliminar
  12. Querem um conselho?
    IEFP, só mesmo se não houver qualquer alternativa. Caso contrário, ir-se-ão arrepender todos os dias do ano.
    É uma desmotivação do princípio ao fim.

    ResponderEliminar
  13. Não esquecer as horas passadas na estrada sem serem pagas. Não esquecer que facilmente podemos de manhã sair de casa e fazer 70kms, e tendo 1h de almoço, conduzir para mais 80km, para depois voltar para casa.Não esquecer que estar como formador do iefp é levra com a raiva de todo o formando obrigado a estar lá... o caso de alcoolismo durante as aulas é normal.Já lá estive já me vim embora.Exploração absoluta!

    ResponderEliminar
  14. Isabel Rosa, estou disponível para responder a todas as suas perguntas... o meu comentário não é para assustar ninguém.. eu estou lá a trabalhar e gostaria de lá ficar já que um lugar na escola deve ser difícil (isto ao fim de 16 anos de contratos!). Só gostaria que quem para lá concorrer, o faça em plena consciência. Ficaria muito triste se os colegas concorrerem, só porque sim, e ao fim de um mês ou dois decidirem rescindir porque as suas expetativas foram defraudadas. Deixe-me um contato, mesmo um mail e eu entro em contato consigo.

    ResponderEliminar
  15. Isabel Rosa, estou disponível para responder a todas as suas perguntas... o meu comentário não é para assustar ninguém.. eu estou lá a trabalhar e gostaria de lá ficar já que um lugar na escola deve ser difícil (isto ao fim de 16 anos de contratos!). Só gostaria que quem para lá concorrer, o faça em plena consciência. Ficaria muito triste se os colegas concorrerem, só porque sim, e ao fim de um mês ou dois decidirem rescindir porque as suas expetativas foram defraudadas. Deixe-me um contato, mesmo um mail e eu entro em contato consigo.

    ResponderEliminar
  16. Isabel Rosa,gostava de partilhar consigo algumas dúvidas sobre este assunto do concurso. amanhã ainda se concorre.
    sou do Porto ,como podemos contactar?

    LuZ

    ResponderEliminar


  17. Isabel Rosa!
    És muito boa,já papei pior

    ResponderEliminar


  18. Até eu, e sou uma criança

    ResponderEliminar
  19. Anónimo filho vem para casa estou á tua espera para o esfreganço com o teu pai.

    ResponderEliminar
  20. Bem… trabalhar das 8 às 20 é o normal, ter uma hora de almoço e fazer do nosso automóvel restaurante é o normal, haver dias que não existe hora de almoço também é normal… também é normal acabar uma formação às 14h e entrar noutra, a 50km de distância, às 14h… n, n me enganei, no IEFP conseguimos fazer a magia de sair e entrar à mm hora em locais diferente. Já n entro pela obrigatoriedade dos formandos frequentarem estas formações ou menos por muitos deles se encontrarem alcoolizados, drogados ou com graves problemas psicológicos… Entro pelas condições de trabalho… fotocópias??? imprimir é em casa porque ou não existe fotocopiadora ou a que existe está constantemente avariada… projetores??? 4 ou 5 a funcionar e, desses 4 ou 5, a maioria não projeta em condições… Internet?? praticamente nula… computadores??? em salas com 25 pc´s existem 6 a funcionar… desses 6, 3 ou 4 não tem rato ou teclado… Manuais??? fazemos nós… horários das ações??? fazemos nós??? planificações??? uma para cada módulo dado, mesmo que se repitam… trabalho administrativo… fazemos nós...enfim… ainda assim gosto muito do que faço, gosto muito de trabalhar com este público… o que revolta é n haver condições e material para se FORMAR com qualidade.

    ResponderEliminar
  21. Bem… trabalhar das 8 às 20 é o normal, ter uma hora de almoço e fazer do nosso automóvel restaurante é o normal, haver dias que não existe hora de almoço também é normal… também é normal acabar uma formação às 14h e entrar noutra, a 50km de distância, às 14h… n, n me enganei, no IEFP conseguimos fazer a magia de sair e entrar à mm hora em locais diferente. Já n entro pela obrigatoriedade dos formandos frequentarem estas formações ou menos por muitos deles se encontrarem alcoolizados, drogados ou com graves problemas psicológicos… Entro pelas condições de trabalho… fotocópias??? imprimir é em casa porque ou não existe fotocopiadora ou a que existe está constantemente avariada… projetores??? 4 ou 5 a funcionar e, desses 4 ou 5, a maioria não projeta em condições… Internet?? praticamente nula… computadores??? em salas com 25 pc´s existem 6 a funcionar… desses 6, 3 ou 4 não tem rato ou teclado… Manuais??? fazemos nós… horários das ações??? fazemos nós??? planificações??? uma para cada módulo dado, mesmo que se repitam… trabalho administrativo… fazemos nós...enfim… ainda assim gosto muito do que faço, gosto muito de trabalhar com este público… o que revolta é n haver condições e material para se FORMAR com qualidade.

    ResponderEliminar
  22. Bem… trabalhar das 8 às 20 é o normal, ter uma hora de almoço e fazer do nosso automóvel restaurante é o normal, haver dias que não existe hora de almoço também é normal… também é normal acabar uma formação às 14h e entrar noutra, a 50km de distância, às 14h… n, n me enganei, no IEFP conseguimos fazer a magia de sair e entrar à mm hora em locais diferente. Já n entro pela obrigatoriedade dos formandos frequentarem estas formações ou menos por muitos deles se encontrarem alcoolizados, drogados ou com graves problemas psicológicos… Entro pelas condições de trabalho… fotocópias??? imprimir é em casa porque ou não existe fotocopiadora ou a que existe está constantemente avariada… projetores??? 4 ou 5 a funcionar e, desses 4 ou 5, a maioria não projeta em condições… Internet?? praticamente nula… computadores??? em salas com 25 pc´s existem 6 a funcionar… desses 6, 3 ou 4 não tem rato ou teclado… Manuais??? fazemos nós… horários das ações??? fazemos nós??? planificações??? uma para cada módulo dado, mesmo que se repitam… trabalho administrativo… fazemos nós...enfim… ainda assim gosto muito do que faço, gosto muito de trabalhar com este público… o que revolta é n haver condições e material para se FORMAR com qualidade.

    ResponderEliminar
  23. Boa noite!
    Alguém me sabe dizer as condições de trabalho de um formador externo?

    ResponderEliminar
  24. O valor por hora de formação ministrada era de 17 euros mas penso que agora é menos, baixou recentemente. E o tempo de preparação das sessões (aulas) ou o trabalho burocrático não é pago à parte, só são pagas as horas efetivamente ministradas (pelo menos era assim até há pouco tempo, penso que poderá ser diferente para o ano que vem, porque creio as regras do financiamento comunitário mudaram). Os manuais e todo o trabalho de tirar fotocopias, etc. geralmente têm que ser feitos pelo formador.

    ResponderEliminar
  25. O valor à hora é de 14,4€ o qual tem ainda um desconto de 25% para IRS (3,6€) Assim efetivamente o valor à hora é de 10,80€
    Tendo em conta que os formadores externos ainda têm de pagar a totalidade das deslocações de 100km diários ou mais o valor à hora reduz drasticamente para um miseros 6 a 7 € por hora.
    Mas se dividirmos o que ganhamos por mês pelo número total de horas deslocação, preparação e horas efetivas deve dar pouco mais de 3€ por hora.
    Experimentem, força

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...