terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Incompreensível

Depois de ler a notícia de que a Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) tinha sido abolida para uma parte dos colegas contratados (com 5 ou mais anos de tempo de serviço) e que a mesma terá constituído uma vitória da FNE (e da UGT), não consigo deixar de pensar no slogan adotado por esta federação sindical:

"Todos contra a prova"

Todos...

Mas parte dos colegas contratados será dispensada de a concretizar... E será dispensada com base em mais um daqueles acordos que a melhor tradição da FNE já nos habituou. Por mais que me expliquem que muitos dispensados é melhor do que nenhum, a questão não se coloca nos números, mas sim na argumentação para a não concretização da prova.

Se a prova é injusta... Se a prova não permite aferir grande coisa no que concerne à qualidade dos docentes... Se a prova não faz sentido a jusante da formação específica... Então que raios! Porquê admitir em acordo que alguns a façam e outros não? Será que não entendem que deste modo a justificação para a não concretização se esvazia em grande parte?!

Admito que em questões de estratégia sindical a FNE me deixa completamente desconcertado, e não são raras as vezes que dou por mim a pensar como é possível que ainda exista no mundo sindical. Sim, porque os sindicatos só existem porque existe quem neles se filie.

22 comentários:

  1. A prova deixou de existir para os contratados com mais de 5 anos de serviço da mesma forma que nunca existiu para os dos quadros. Quero crer que a prova não terá efeitos para os colegas com menos de cinco anos de serviço. Aguardemos. Será uma questão de tempo.

    ResponderEliminar
  2. Pensemos no seguinte - a FNE foi colocada entre a espada e a parede. Ou aceitavam dispensar os contratados com mais de 5 anos ou iam todos à prova.... o que era preferível?
    Sabendo que os contratados com menos de 5 anos não têm a mínima hipótese de arranjar horário, a prova para eles é praticamente indiferente.... perante isto, que fez a FNE?
    Os contratados com menos de 5 anos só têm que faltar à prova se querem que ela vá abaixo.

    Embora continue a ser inadmissível a existência da prova.

    ResponderEliminar
  3. Mais valia acordarem que cada candidato teria que pagar os 20 paus por concurso!

    ResponderEliminar
  4. concordo em absoluto com o conte+udo do texto. e até sou um daqueles que com a decisão de ontem, se vê livre de fazer esta prova.
    ou era para todos, incluindo docentes do quadro, ou para absolutamente ninguém.

    ResponderEliminar
  5. Uns são meninos lindos e outros são filos da p... ; e lá continua uma classe profissional desunida que ninguém leva a sério. Não seria esta a intenção! e os que se livraram da prova já estão muito caladinhos... pelo sim pelo não vou a prova, não se pode acreditar em ninguém, incluindo nos os professores ...

    ResponderEliminar
  6. Eu acho uma verginha. É por isso que a constestação no nosso país não leva a quase nada. E a estratégia dos governantes é dividir para reinar. E os tolos ficam contentes, porque acham que já salvaram a sua pele! (Eu sou dos quadros)

    ResponderEliminar
  7. A FNE é uma bosta e nunca mais participarei nas suas acções.

    ResponderEliminar
  8. 5 anos de função pública ou o tempo no particular também conta?

    ResponderEliminar
  9. 5 anos de serviço… seja na função publica, antes da profissionalização ou depois… 5 anos de serviço são 5 anos de serviço...

    ResponderEliminar

  10. Façam a prova e bico calado, ou procurem emprego

    ResponderEliminar
  11. Eu com este acordo acabei por não ter que ir fazer a prova, no entanto a minha opinião sobre este acordo é a mesma que tenho sobre a prova, uma palhaçada, uma idiotice. Tem tanta lógica nós ficarmos de fora da prova como a prova em si mesmo, nenhuma. E não me venham com a treta de que quem não tem 5 anos não vai ter hipótese de entrar, porque isso não tem nada a ver contra o princípio que me levou a mim e a muitos outros contestar a prova. Já agora deixo um aviso para os meus colegas professores que se livraram como eu desta prova ou que já são dos quadros, se aceitarmos isto e mantivermos a boca calada, mais cedo ou mais tarde vai-se virar contra todos nós e a tática de virar uns contra os outros vai continuar a ser usada pelos governos empestados de gente com interesses privados que querem acabar com a escola pública. Eu vou lutar por nós e pelo sangue novo que faz falta a todas as escolas (os contratados).

    ResponderEliminar

  12. Ora ora João Pedro, és um impostor, do contente te ri o dente, deixa-te de lérias

    ResponderEliminar

  13. Pois pois....deviam mesmo acabar com a escola pública, vcs têm medo de que? querem mama do Estado não é isso?

    ResponderEliminar
  14. A Prova ou é feita por todos os professores ou não é feita por ninguém. Só em PORTUGAL é que se vê isto sinceramente é uma vergonha de país.
    Tem alguma lógica fazer uma prova depois de fazer o curso em todos os países civilizados fazem a prova ANTES.
    Mas este país já não tem remédio mesmo.
    Mas deixem lá agora somos nós a fazê-la e daqui a pouco são os outros esperem para ver.

    ResponderEliminar
  15. Aqueles que tem menos de 5 anos de serviço são tão competentes como os que tem 5 ou mais anos de serviço. Pela lógica eram 3 anos e não 5 anos como em todos os contratos de trabalho. Tenham santa paciência para uns 3 anos e para professor 5 anos isto não tem lógica nenhuma. Vivemos num país que para uns é uma coisa e para outros outra já não tem emenda mesmo.

    ResponderEliminar
  16. Claro que eram 3 anos e não 5 anos como em todo o lado. Fazem umas regras para uns e umas regras para outros, isto é uma autêntica palhaçada.
    Este país já nunca mais vai ao sitio.

    ResponderEliminar
  17. Espero que Deus nos ouça e esta prova seja abolida.

    ResponderEliminar
  18. querem ver q os boys e jotinhas além de encherem as páginas de comentários do público, expresso, dn, etc... tb já vêm aqui mandar papaias para lançar confusão...

    ResponderEliminar
  19. Como bons estrategas,dividiram a classe!

    ResponderEliminar
  20. "A mama do estado"é para o povo.o povo somos nós.se a educação digna for uma boa mama ,o teu filho,filho do povo,será robusto

    ResponderEliminar
  21. Há tanta injustiça !!!
    Alguém já tomou consciência que em Mts escolas teip há professores QE com menos tempo d serviço que Mts contratados?E que estão muito atrás de Qzps?

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...