quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Iniciativas...

E depois de...

Professores e alunos invadem Ministério 

A resposta é... 

Ministério da Educação diz que não cede a "pressões ilegítimas"

Comentário: Bem sei que é de louvar este tipo de iniciativas, no entanto, dou por mim a pensar se na zona da Grande Lisboa não existirão mais de 50 professores em situação precária.

Poucos e bons?! Pode ser... Mas com tanto professor em situação precária e outros tantos desempregados, tenho sempre alguma dificuldade em compreender estes níveis baixos de adesão. 


13 comentários:


  1. Querem emprego? e os outros grupos profissionais ? deixem-se de imposições.

    Arranjem outro emprego se querem trabalhar

    Muito bem sr. ministro não ceda a chantagens

    ResponderEliminar
  2. os professores querem trabalhar
    os alunos não teem professores
    cada classe deve lutar sim,existe algum mal nisso ?
    medíocridade de gente e de pensamento

    ResponderEliminar
  3. Faltou uma divulgação atempada por parte da SPGL... N sou de Lisboa, mas teria ido com mais umas dezenas de colegas e amigas desempregadas...
    É lamentável ainda haver quem critique os professores ignorando por completo o q está a acontecer neste momento: Alunos sem profs, turmas a arrebentar pelas costuras onde poucoou nada se vai aprender (porque nós n somos santos milagreiros!), alunos c/ NEE em casa sem apoios, terapias e afins!!!

    ResponderEliminar
  4. muito provavelmente quem critica não tem os filhos em escolas públicas, nem tem filhos com necessidades especiais ... isto é tudo tão triste que nem sei ...
    se tudo começa mal desde o início da formação das crianças , não sei que tipo de sociedade estes governantes querem... ou melhor desconfio

    ResponderEliminar
  5. A resposta a tudo isto é muito simples:o que aconteceu foi que enquanto tiveram na campanha eleitoral não existiu tempo para lançar as bolsas de recrutamento foi isso que aconteceu.

    ResponderEliminar

  6. Por acaso não tenho filhos no ensino público, já frequentaram sim, mas tive de os retirar para o ensino privado, pois não sabiam a ponta de um corno, os professores não sabiam ensinar só se preocupavam com as horas e nada mais.

    Venham agora ver a diferença.

    O ensino público devia acabar

    Assim como a saúde pública

    Tudo privatizado, só assim todos se esforçavam

    Tudo que é público não funciona

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É provável que os os professores dos seus filhos também venham de escolas privadas... Para se referir desta forma ao serviço publico é porque nunca precisou de trabalhar para poder dar de comer aos seus filhos e nao sabe o que é estar doente e nao ter dinheiro para ir ao médico.

      Eliminar
  7. Ricardo
    O sucesso deste tipo deste tipo de ações depende da sua não divulgação.
    Se fosse divulgada nas redes estariam à espera e não conseguiriam entrar

    ResponderEliminar
  8. Provavelmente não foi a escola pública que ensinou ou ensina os alunos a serem mal formados. O professor também educa, mas a formação é de casa que deve vir. O difícil é educar no ensino público e, para se aprender, é preciso ter alguns valores e princípios.E enquanto no público, alguns pais e alunos não acatam as exigências ao nível do comportamento, quando vão para o privado, ou acatam ou saem. Crianças com comportamentos ajustados, aprendem e tanto faz estarem no privado ou no público. Muitos dos meus alunos são hoje reconhecidos nacional e internacionalmente e orgulho-me, e muito, de para isso ter contribuído. Pena é que se descredibilize tanto a classe dos professores. A maioria formou-se nas universidades públicas e são professores tanto no privado como no público. A questão sobre a qual se deveria refletir é porque é que alguns professores a ensinar no público não atingem os mesmos resultados que, quando cumulativamente, trabalham no privado?

    ResponderEliminar
  9. De facto com o actual sistema de ensino acho quase um milagre ainda haver professores que consigamm ensinar ... com turmas de 30 alunos, com professores a serem colocados a 200Km de casa, as vezes o casal até, com filhos também pequenos para cuidar, ... outros a terem de suportar do seu próprio bolso todo o material necessário para as aulas .... outros a terem de suportar o frio e o calor sem o mínimo de condições ... outros ainda a terem turmas onde as poucas refeições que as crianças comem são na escola ... agora diga me lá ó sr. anónimo que já teve os filhos no público e agora tem no privado ...
    o que é que será mais justo, é criar um sistema onde dêem condições aos professores para ensinar e não um sistema onde se brinca com as pessoas e com os seus filhos ... ou puro e simplesmente acabar com o estado social

    ResponderEliminar
  10. Áqueles coleguinhas q votaram no partido do BPN desejo-lhes uma estadia bem longa no desemprego!! Dá-me um especial gostinho ouvi.los com os queixumes!

    ResponderEliminar
  11. Sabem que mais daqui a pouco os professores estão todos com contratos emprego inserção do IEFP. Estes contratos deviam ser proibidos e continuam a escravizar as pessoas e a tirar postos de trabalho.Divulguem por favor a ver se acabam duma vez com esses contratos. Obrigado

    ResponderEliminar
  12. Qual a culpa de um aluno carenciado para que, em razão das dividas fiscais dos seus pais, não lhe seja atribuída uma bolsa de estudo?

    Se a um aluno carenciado, em razão das dívidas fiscais dos seus progenitores, é lícito negar uma bolsa de estudo, por maioria de razão aos sócios da SLN, sociedade detentora de 100 % do capital social do BPN, também poderá ser cortado alguma coisa…

    Fosse eu aluno universitário, chamaria à razão o Governo com a discussão do que então cortar aos sócios da Sociedade Lusa de Negócios … nunca cotada em bolsa, holding de um grupo que se financiava no BPN, que muito provavelmente ficará para a história como a maior fraude da 3.ª República, em razão da sua magnitude cujo impacto nas contas públicas ainda hoje não é possível determinar completamente.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...