quinta-feira, 14 de junho de 2012

Na rua...

Professores contratados e desempregados protestam na rua

Comentário: Mais uma iniciativa organizada por colegas contratados... Seria interessante se estas iniciativas  fossem integradas num mesmo "movimento" ou "organização". E como tudo o que se tem passado nestes últimos meses irá "agredir" a classe docente no seu todo (e não apenas aquilo que muitos denominam como "franja"), parece-me que faria todo o sentido integrar dentro desse "movimento" professores contratados e do quadro. E mesmo que me digam que isso é complicado ou mesmo impossível, pelo menos seria mais interessante (e mobilizador) integrar as diversas iniciativas dos colegas contratados sob o mesmo "teto".

Por aquilo que me dita a experiência, "movimentos" de professores com objetivos demasiado específicos ou com públicos-alvo demasiado restritos poderão esvaziar-se de fôlego em pouco tempo. Espero que tal não ocorra, mas deixo a dica para quem quiser avançar com algo um pouco mais "complexo". 

20 comentários:

  1. Ricardo,
    mais uma boa ajuda à causa dos professores contratados. Obrigado por isso.
    Estou de acordo que os movimentos que vem lutando pela vinculação dos professores contratados se unisem, mas tenho receio que tal não aconteça. Já se começa a ver procura de protagonismo de mais e associando a este movimento indeoendente os sindicatos.
    Não tenho nada contra os movimentos sindicais, considero que são muito importantes em democracia, mas neste caso preferia que a base fosse um movimento independente forte e que contasse com a solidariedade de todos os colegas professores.
    Também eles são prejudicados com as policas do governo.
    BEM HAJA!

    ResponderEliminar
  2. Não concordo, Ricardo. Esta luta é dos contratados. Têm que ser eles a resolver a sua situação profissional. Temos exemplos no passado de que a luta conjunta não resulta. Isto não invalida que os efetivos também não lutem por mais dignidade.

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o anónimo das 5:49

    Os contratados devem continuar esta luta.

    Bem haja,

    Rosária

    ResponderEliminar
  4. Ricardo, julgo que a procura de convergência entre os colegas contratados está a acontecer. O que se deve questionar é porque terão que ir os sindicatos a reboque destes movimentos... não deveriam ser eles a representar-nos?

    ResponderEliminar
  5. Eu tb sou da opinião que uma luta conjunta de TODOS os professores seria muito mais interessante. TODOS temos a mesma profissão e é a nossa profissão que está a ser atacada. Não são só os professores contratados que estão a ser alvo de ataques. Todas a últimas políticas no campo da educação/ ensino desrespeitam a profissão, desvalorizam o trabalho do professor, põem em causa a qualidade do ensino e condicionam os (bom) funcionamento das escolas.

    Sim, os contratados estão numa situação bem mais preocupante que os do quadro. Mas da mesma forma como a vida vai mudar para contratados, tb ela vai mudar para os do quadro.

    Por isso, JUNTEMO-NOS nesta luta e façamos dela a luta pela qualidade do sistema de ensino português. Façamos desta luta, a luta de TODOS os que partilham esta profissão.

    Nós somos mais do que os rótulos que nos colam na testa!!

    ResponderEliminar
  6. Para essas "lutas" de todos já existem os sindicatos com os resultados que se conhecem.

    Os problemas dos contratados são tão graves e tão ignorados pelos demais há tantos anos, que torna impossível essa união forçada.

    Quanto aos movimentos... bem, acreditemos que o Jorge Costa vai conseguir, porque basta abrir a página do fb do mais recente movimento, para verificar que já está irremediavelmente capturado pelos sindicatos. É pena!

    ResponderEliminar
  7. Se os efetivos se juntam aos contratados bem que podem dizer ADEUS à esperança das coisas mudarem para os contratados. Não é verdade que os interesses sejam os mesmos. Concordo com o tt. Temos que ser nós contratados a exigir alguma justiça para nós próprios. Claro que os efetivos também estão a ser atacados, mas os contratados correm o risco de NUNCA MAIS VOLTAREM A TRABALHAR. É o mesmo tipo de ataque?????
    Além disso, se lutarmos todos juntos a comunicação social NUNCA vai entender as nossas verdadeiras reivindicações.
    Peço desculpa, mas não alinho em lutas conjuntas.

    ResponderEliminar
  8. Recebi uma convocatória extraordinária do centro de emprego para o dia da manif.
    Coincidência?

    ResponderEliminar
  9. Qtos apareceram? uns 50? É assim que pensam lutar? Haja paciência! Se os mais interessados não querem saber...

    ResponderEliminar
  10. obviamente que o ideal seria uma força conjunta que unisse todas as categorias de professores. convém lembrar que para as grandes manifestações de há uns anos - que se alicerçavam, no que às reivindicações diz respeito, quase em exclusividade os docentes do quadro - os contratados lá se fizeram representar.

    abraço,

    josé ricardo

    ResponderEliminar
  11. Apenas coloquei uma proposta. Como sempre não agrada a todos... Mas mesmo assim continuarei a colocá-las.

    Pode ser que um dia destes consiga obter um consenso alargado. E a partir desse consenso gerar algo de positivo.

    ResponderEliminar
  12. Problemas específicos devem ser resolvidos(na minha humilde perspetiva) com soluções específicas. Duvido da eficácia dos "antibióticos de largo espectro". Constatamos esta realidade na comunicação, no marketing, em que as estratégias passam pela aposta em "nichos" de mercado.Sendo um problema que aflige essencialmente os contratados (os já vinculados na carreira docente sofrerão danos colaterais), temos de nos mobilizar para que seja reparada a grave injustiça social e laboral resultante da precariedade dos Professores contratados em geral e dos de longa duração em particular.E o objetivo que nos une é a vinculação em 2013 dos Professores contratados que satisfazem ano após ano (transitóriamente!!)as necessidades permanentes do sistema educativo.

    ResponderEliminar
  13. Os sindicatos, na sua cegueira ideológica, não deram conta que os professores não querem rua, tal como não a querem outros profissionais qualificados como médicos ou magistrados.

    É curioso ler desabafos críticos de sindicalistas profissionais contra os representados, sem que por um momento lhes ocorra que quem deve mudar não são os representados, são os representantes.

    Não lhes ocorrerá que ninguém vai esquecer tão cedo a inutilidade da mega-manifestação ADD, deiatada ao lixo numa noite de convívio e pizas?

    ResponderEliminar
  14. Boa noite. Estou solidário com os colegas contratados, no entanto não me revejo nesta luta. E passo a explicar, mesmo sabendo que vou ser mal interpretado. Sou professor com 10 anos de serviço. Vivo na zona do Porto e consegui efectivar em 2009 em Almada. Arrisquei quando muitos dos colegas não arriscaram e me diziam que era um erro enorme porque tenho 2 filhas pequenas e ia estragar a minha vida. Como devem imaginar custou-me muito ir para longe da minha família. Nunca poderia, nem posso, concordar com colegas que querem vincular à porta de casa, de forma automática, quando eu e milhares de colegas tivemos que nos sujeitar a um concurso. Acho até que, da forma como o querem fazer por um lado até pode ser considerado inconstitucional porque é contra os princípios da equidade. Se o processo for pensado e organizado de maneira diferente, com abertura de vagas por exemplo, nessa altura revejo a minha posição. De outra forma não concordo com este tipo de movimento. Gostava de voltar a referir que tenho muito respeito por todos os colegas e considero que somos todos importantes, inclusivamente sou a favor de que, os contratados possam ter as mesmas regalias que os professores do quadro. Um abraço para todos

    Pedro Torres

    ResponderEliminar
  15. Olá colegas!
    Li no educare que não vai haver colocações / renovações para contratados! nem em temporários!!!
    Acham que vai ser assim de fato? para todos os grupos?
    cumprimetos

    ResponderEliminar
  16. Burnout, como assim? Nenhum contratado vai trabalhar? Nem em substituições?

    ResponderEliminar
  17. nas manifs vê-se perfeitamente quantos contratados aparecem
    10

    pessoal, os contratados gostam é de facebook e peticoes virtuais :)

    não deem o corpo ao manifesto, nao coloquem bombas , nao partam carros para ver se alguem vos liga

    ResponderEliminar
  18. Este povo não vai à luta!? Onde estão os contratados....no seu mundo virtual.....!!! Continuem assim no sofá a surfar na net e depois vêm as contas para pagar...!!!

    ResponderEliminar
  19. isto é vergonhoso...nunca se viu profs de tanta categoria...
    contratados,quadros zona,quadro(escalões atrás escaloes),directores,adjuntos,vices,bibliotecarios,....ETC.mas o que é isto?
    afinal,ordenados muito diferentes...e,aqueles que ,são esmifrados até ao tutano,ganham miseravelmente ou pagam para trabalhar até serem condecorados com o ordenado do centro emprego...
    se existissem só professores,contando apenas o tempo serviço no estado...tudo seria diferente...
    anda tudo cego.

    ResponderEliminar
  20. Tão todos de baixa... nem para as manifestações podem ir!

    dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2018888

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...