segunda-feira, 18 de junho de 2012

Muito interessante...

(Cliquem na imagem para fazer o download)


Comentário: Existem algumas medidas dadas como concluídas pelo MEC, no mínimo, interessantes. Vou colocar de seguida, algumas:

- Alterações na estrutura curricular dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, com vista à redução da dispersão curricular e ao reforço de disciplinas estruturantes (ex., Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Matemática, Ciências Naturais, Ciências Sociais e Humanas);
- Introdução de provas finais de 2.º ciclo (6.º ano de escolaridade) a Língua Portuguesa e a Matemática, com uma ponderação de 25% na nota final, este ano letivo, e de 30 % a partir do ano letivo 2012/2013;
- (a implementar no próximo ano letivo): Introdução de provas finais do 1.º ciclo (4.º ano de escolaridade), no próximo ano letivo, 2012/2013, também a Língua Portuguesa e a Matemática, com a mesma ponderação para a nota final que as provas finais dos 2.º e 3.º ciclos – 25% no primeiro ano e 30% a partir do segundo; 
- Diploma sobre as matrículas que consagra a liberdade de escolha da escola por parte das famílias – Despacho n.º 5106-A/2012, de 08 de maio;
- Acordo para a formação de professores por parte de sindicatos;
- Prorrogação do prazo para que os professores do ensino profissional e do ensino privado adquiram a formação habilitante.  


Outras medidas em curso e que confirmam as últimas notícias:

- Revisão dos diplomas que regulam a Prova de Acesso à Carreira Docente, designadamente a redação do Decreto Regulamentar e do Despacho que define o calendário da prova;
- Prevê-se a realização da componente comum da prova em dezembro do corrente ano e a realização das componentes específicas da prova entre fevereiro e abril de 2013, a tempo dos próximos concursos de recrutamento de professores. 

7 comentários:

  1. Este ministério é um espanto!...Só coisas boas para os profs, para os alunos, para a sociedade em geral...

    ResponderEliminar
  2. Vão dar cabo disto tudo...
    Agora sim é que vamos ter pessoas mais qualificadas neste pais! Grande Ministro, grande Governo, grande PSD/CDS, grande população que quando mais de deixa roubar mais parva fica. DESABAFOS DE UM DESEMPREGADO AINDA LÚCIDO

    ResponderEliminar
  3. Boa noite colegas,
    mas afinal quem é que fica dispensado de fazer esta prova???
    E esta prova que vai decidir quem é ou não bom profissional???
    O MEC que vá mas é ver os cursos ministrados nos "Piagets", que oferecem canudos e já agora ouvi dizer que se dá a profissionalização a professores com estágios em centros de estudos e cursos do IEFP.
    Enfim.....Farto de ser Prof. neste país!!!!
    Boa sorte a todos...

    ResponderEliminar
  4. Em primeiro lugar deveriam pedir:
    1) Qual o estabelecimento de ensino que tiraram o Mestrado;
    2) caso seja Universidade Pública está dispensado (as avaliações são merecidas com Muito Trabalho, Dedicação, Empenho e Brio)
    3)caso seja Universidade Particular NÃO DISPENSADO de Exame,

    Nada contra a quem tem Mestrado na Particular mas já dei aulas numa de grande relevância e sei o que se passa lá dentro, os pais pagam e os filhos depois sofrem!!!

    ResponderEliminar
  5. Bom dia, Ricardo. Já se tem noção, apesar de estar em curso, se a prova, exame ou "o que for" é para todos os contratados... qual será o critério? acho tudo tão vago...

    ResponderEliminar
  6. Para Graça Sampaio: Parece-me que estão a ficar viciados na publicitação de "coisas boas". ;)

    ResponderEliminar
  7. Para maria: Acabei de publicar um post com os esclarecimentos possíveis acerca da tua questão.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...