segunda-feira, 21 de maio de 2012

Falta de qualidade no ensino superior

Estudo alerta para a falta de qualidade de alguns cursos no ensino superior

Comentário: A falta que qualidade de alguns cursos / instituições de ensino superior é sobejamente conhecida, no entanto, não é por isso que algo muda. Muitos dos cursos são feitos não à medida das eventuais saídas profissionais dos alunos mas para única e exclusiva manutenção dos docentes.

Os cursos para formação de professores são exemplo do que atrás referi. Não consigo compreender como é possível ainda estarem abertos cursos "via ensino". Obviamente que quem concorre sabe ao que vai, mas nem mesmo a promessa de classificações inflacionadas irá resolver o problema da empregabilidade.

O melhor seria mesmo colocarem o filtro a montante... A jusante, será difícil separar o "trigo do joio".

7 comentários:

  1. Mesmo sem estudo há muito que o povo desconfiava. Mas quem os avalia?!!

    ResponderEliminar
  2. Paletes! Paletas!...

    http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2535309

    ResponderEliminar
  3. Os cursos de ensino estão abertos pela simples razão de eu ter tanto direito a ser professor como qualquer um que, por capricho da vida, tenha nascido mais cedo! Quanto à suposta falta de qualidade e facilitismo, apenas posso afirmar que o meu curso foi exigente, estimulante e gratificante. Não serei, certamente, o melhor professor do mundo, mas estarei bastante acima de alguns supostos mestres pedagogos que, isentos de toda e qualquer prova de acesso à profissão ou de "controlo de qualidade", são os reais responsáveis pela degradação de tudo o que reporta à educação. Houvesse uma avaliação rigorosa, universal e séria e provavelmente nem a minha posição na lista não seria tão desmotivante, nem estariamos a educar pessoas para serem "sacrificadas" no jogo economicista hodierno.

    ResponderEliminar
  4. E eu agora pergunto :"O que é que o ensino está oferecer de bom para o pessoal continuar a concorrer???" Tudo bem, há o gosto por ensinar, mas isso não é tudo. Há anos atrás procurava-se o ensino porque tinha as suas vantagens, nomeadamente a rápida progressão na carreira, o tempo de interrupção letiva (férias mais longas) e nº de horas de trabalho semanais. Por isso os professores não escolhiam o curso só por gosto de ensinar mas por aquilo que podia oferecer em termos de carreira. Hoje está tudo muito diferente, nem os alunos são iguais. Por isso atualmente não é assim uma ideia muito inteligente tirar um curso que deixou de ter um futuro estável e promissor. Eu ainda sou contratada mas depois de 10 anos, com 6 de serviço completo e com mais de 40 o que vou fazer agora para me sustentar??? Agora quem pode escolher algo diferente porque não optar por outro curso mais promissor e menos desgastante??

    ResponderEliminar
  5. Desiludida, vai-me desculpar, mas não consigo ver nas razões que fornece nada além de explicações para a situação degradante e precária da docência.

    ResponderEliminar
  6. Pedro, subscrevo as suas palavras!

    ResponderEliminar
  7. O que eu sei é que os Ramiros MArques da vida deveriam ser despedidos sem justa causa.

    São uns chuulos da sociedade.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...