segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Revisão da Estrutura Curricular (Tópicos relevantes)

No post anterior coloquei as tabelas comparativas (actual matriz e matriz proposta). Ficam agora os tópicos, para que possamos compreender de uma forma mais global as matrizes e o seu impacto. Assim:

Nota: Os negritos e sublinhados são de minha autoria.

- continuidade do apoio ao estudo no 1.º ciclo, a par de outras actividades de enriquecimento curricular;
- garantia de uma aprendizagem mais consolidada da língua inglesa, mantendo-a como disciplina obrigatória ao longo de um mínimo de 5 anos;
- substituição da disciplina de Educação Visual e Tecnológica pelas disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, no 2.º ciclo, cada uma com programa próprio e cada uma com um só professor;
- prestação de maior apoio ao aluno, através da oferta de apoio diário ao estudo no 2.º ciclo;
- antecipação da aprendizagem das tecnologias de informação e comunicação, garantindo aos alunos mais jovens uma utilização segura e adequada dos recursos digitais e proporcionando condições para um acesso universal à informação e comunicação;
- aposta no conhecimento estruturante, mantendo o reforço da Língua Portuguesa e da Matemática;
- eliminação do desdobramento em Ciências da Natureza, no 2.º ciclo, tendo em conta que a actividade experimental a este nível pode ser efectuada com toda a turma;
- aposta no conhecimento científico através do reforço de horas de ensino nas ciências experimentais no 3.º ciclo do Ensino Básico colmatando, neste nível de ensino, uma clara insuficiência de carga horária;
- alteração do modelo de desdobramento de aulas nas ciências experimentais do 3.º ciclo, através de uma alternância entre as disciplinas de Ciências Naturais e de Físico-Química;
- valorização do conhecimento social e humano, área essencial do currículo no 3.º ciclo, reforçando as horas de ensino nas disciplinas de história e de geografia;
- eliminação da disciplina de Formação Cívica nos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e no 10.º ano, mantendo a relevância dos seus conteúdos de modo transversal;
- manutenção do reforço da carga horária nas disciplinas bienais da formação específica, no Ensino Secundário, de Física e Química e Biologia e Geologia;
- actualização do leque de opções da formação específica, no Ensino Secundário, tendo em conta o prosseguimento de estudos e as necessidades do mercado de trabalho, criando disciplinas como, por exemplo, Programação informática;
- focalização da atenção do aluno no conhecimento fundamental, proporcionando uma melhor gestão do tempo de estudo, com a coordenação das disciplinas no 3.ciclo e a redução do número de disciplinas de opção anual no final do Ensino Secundário.
- liberdade para a escola na decisão da distribuição da carga horária ao longo dos ciclos e anos de escolaridade.
- maior rigor na avaliação, através, nomeadamente, da introdução de provas finais no 6.º ano e do estabelecimento de um regime de precedências entre o Ensino Básico e o Ensino Secundário.

32 comentários:

  1. Com o somatório de tudo isto vai ser bonito. É ver os horários zero a aumentar exponencialmente. Só no secundário por cada 3 turmas de 12º ano é necessário menos um professor. Depois o corte nos colegas de EVT. A perda de FC. O fim do desdobramento nas CN do 2º ciclo e o modelo que não percebi do 3º par aos turnos.
    Que bela prenda de Natal.

    ResponderEliminar
  2. Ricardo,
    Entendeste esta:"alteração do modelo de desdobramento de aulas nas ciências experimentais do 3.º ciclo, através de uma alternância entre as disciplinas de Ciências Naturais e de Físico-Química"?
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Também não percebi como vai ser feito o desdobramento de ciências e físico-química. Alguém percebeu?

    ResponderEliminar
  4. Antes de 1991: -EV 3 Ttempos de 50 min.
    - ET 5 tempos de 50 min, -atenção!- dados em par pedagógico.
    Fico a pensar como era bom ser professor de EV ou ET nesses tempos!!!

    ResponderEliminar
  5. Estou "banzada"...ainda agora venho de uma reunião de DT's Sec. e a Formação Cívica, instituída pela Portaria nº244/2011, foi tema de conversa. Mais: para quê as Orientações Curriculares de FC 10º ano, de 23/11/2011? Mas alguém entende ISTO???

    ResponderEliminar
  6. Eu também estou a tremer!Não estou a perceber nada do que se vai passar com as ciências experimentais no 3º ciclo. Se alguém tiver mais informações, que partilhe, se faz favor.
    Fiquem bem.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  7. COlegas, vou me alongar:

    Eu já sei que vou ficar desempregada para o ano, por isso o que vou dizer é de coração aberto:

    O ensino está condenado aos cortes - somos uma classe de fracos - reagimos impávidos e serenos a tudo o que nos põem no prato. Quando há manifestações, quantos estão? Quando é para fazer greve, quantos fazem? - Estamos sempre à espera que o outro o faça o tal "vão sem mim que eu vou lá ter"...Isto, para já não falar da divisória criada entre contratados e professores do quado. E aqui, arregaço as mangas, e digo-vos, a culpa nao é do ME que nos dividiu!! É NOSSA que não nos unimos! Que criamos intrigas estupidas entre uns e outros...Somos mal vistos pela sociedade por alguma razao e, desculpem, não é por culpa "deles".

    As medidas parecem-me, até, bastante plausíveis. Concordo com algumas, não com todas. No caso dos professores de EVT - recordo-me que os que tive não faziam rien na sala além de conversarem um com o outro. Eu sei que isto não é regra!!

    Pudesse eu mandar e só acrescentaria ali um travessãozito: diminuição do numero de alunos por turma. Pronto! 15 no máximo! E acredito que todas as outras medidas seriam bem aceites por todos.

    Quanto à formação cívica, toda a gente sabe que não funiona...

    Já de agora, não entendi esta:"liberdade para a escola na decisão da distribuição da carga horária ao longo dos ciclos e anos de escolaridade"... fez-me espécie...

    Um abraço a todos* E vamos continuar a acreditar que...talvez um dia possamos brilhar! (já que agora não nos deixam...)

    ResponderEliminar
  8. Pronto, está bem, sei lá!
    Estou a caminho do desemprego, quanto mais não seja pelo efeito bola de neve que tudo isto parece ter.
    Vejamos ( que eu já não raciocino bem) mas parece-me assim qualquer coisa deste género:
    12º diminui de carga-- profs de 12º a entrarem mais no 10º e 11º ----empurra alguns mais para o 3º ciclo ---vão buscar o completamento do horário ao 2º ciclo.
    Com o fim do EA e da FC, o que restar vai ser ...muito pouco para os contratados... quase nada, diria.
    E li mal ou o Espanhol e o Francês desaparecem do 2º ciclo?

    jake

    ResponderEliminar
  9. Impressiona esta medida de acabar com Formação Cívica…os diretores de turma queixam-se (e com razão) que os 45 minutos semanais é um espaço de tempo muito reduzido para resolver os problemas de direção de turma…com o fim de FC quando é que os DT tratam com os alunos de problemas da turma (e com a indisciplina a aumentar nas escolas). Ao invés de ser 45 minutos deveria ser aumentado para os 90 minutos. Só quem não é diretor de turma é que não sabe do trabalho que é necessário para resolver os problemas internos das turmas.

    ResponderEliminar
  10. Em relação a esta alteração do desdobramento de CFQ e CN que de momento é uma incógnita, se se pretender melhorar o ensino experimental terá de haver um melhoria nesse desdobramento, espero eu.

    ResponderEliminar
  11. Pelo que ouvi na Antena 1 (às 19h) o desdobramento de CN e CFQ eram semanais! Não percebi nada!
    Quanto ao fim da FC concordo com o seu fim, com esse nome, mas deveria a existir esse tempo mas apenas com onome de DT. E apenas para isso mesmo: resolver problemas da DT e não andar a inventar com tretas de ed. sexual, igualdade de género e etc e tal!
    Fiquei contente com o reforço da Hist e da Geog. Mas o efeito bola de neve (como alguém em cima falou)... Ui ui...

    ResponderEliminar
  12. Olá Colegas!
    Vamos ter coragem..e união!
    Quanto ao desdobramento no 3º ciclo: tenho uma teoria - desdobramento "quinzenal"?!? Do género: aparece no horário CN/CFQ; na semanaX os alunos têm CN (e o colega de CFQ tem Tempo Estabelecimento), na semanaY trocam e na semanaZ têm os dois a mesma turma em turnos de 45 min... Mas isto é pura TEORIA minha.. "Eu sei lá".. FELIZ NATAL a todos! ;)

    ResponderEliminar
  13. também não percebi a dos desdobramentos, se calhar era mesmo para não percebermos :-/

    ResponderEliminar
  14. Quanto aos desdobramentos de CN/CFQ poderemos estar a falar num regresso ao passado, com desdobramentos semanais. Mas isso só mesmo quem elaborou a proposta saberá explicar.

    Quanto às restantes "propostas", onde alguns vêm acréscimo eu vejo análise com cautela. Não estamos numa época de vacas gordas, como tal, é de suspeitar de aparentes acréscimos, desdobramentos e outras medidas que tais.

    ResponderEliminar
  15. Aqui fica mais uma ideia sobre desdobramento alternado CFQ/CN,por exemplo no 7º ano, 90 min CFQ + 90 min CN (turma toda) os outros 90 min 1º metade da turma com CN a outra com CFQ, na semana seguinte alterna e a 1º metade passa a ter CFQ. Giro não é!!!

    ResponderEliminar
  16. Aqui fica mais uma ideia sobre desdobramento alternado CFQ/CN,por exemplo no 7º ano, 90 min CFQ + 90 min CN (turma toda) os outros 90 min 1º metade da turma com CN a outra com CFQ, na semana seguinte alterna e a 1º metade passa a ter CFQ. Giro não é!!!

    ResponderEliminar
  17. Boa noite.
    É ser muito ingénua se acreditar que a alteração às aulas experimentais de CN e CFQ passam por 45 minutos turma completa e 90 minutos turma desdobrada? Só assim considero um reforço. Mas a verdade é que concordo como último post do Ricardo...

    ResponderEliminar
  18. A situação de reforço nunca passará mais tempos lectivos para o professor temos de ser realistas.

    ResponderEliminar
  19. do ponto de vista da melhoria da escola, totalmente de acordo...
    corporativismos à parte.

    ResponderEliminar
  20. Com a redução de 45m semanais em EV e com a exclusão de uma das dscplnas de opção no 12º ano (ex de O. Artes ou O Multimédia) vai Haver muitos colegas do Grupo 600 a ficarem no desemprego. Se a este facto acrescentarmos o caso dos colegas de EVT que são do quadro e estarem sem horario ou incompleto serem mandados a completar o mesmo no 3º ciclo então é que os contratados do 600 vão todos à vida.

    ResponderEliminar
  21. Isabel
    Boa noite
    mais uma "teoria" sobre o desdobramento alternado de CFQ e CN...

    o bloco de 90min é com a turma toda o bloco de 45min (1ª metade tem CFQ a 2ª metade CN depois trocam a 1ª metade CN e a 2ª metade CFQ... (para os alunos 90 + 45, para os prof 90 + 90 que felicidade :DDD )
    espero que tenham percebido...
    Claro que depois há que retirar no secundário... porque nos tempos que correm ninguém dá nada a ninguém.

    ResponderEliminar
  22. O desdobramento de apenas 45 minutos não me parece fazer muito sentido... Pois se o objectivo é a realização das actividades experimentais, o que implica a turma desdobrada, 45 minutos é muito pouco tempo, o que inviabiliza o objectivo dos desdobramentos. Não sei se me fiz entender... Se o desdobramento for de 90 minutos (2 tempos para os alunos) mais 45 minutos a turma toda (1 tempo para os alunos) a carga horária para os alunos passa para 3 tempos letivos, a cada disciplina. Só assim entendo como reforço... Nos moldes que enunciei, o professor ganha mais um tempo. Contudo, como disse o Ricardo, não estamos em tempo de Vacas gordas, e até o que referi, apesar de para mim fazer sentido, também me causa alguma"espécie"...

    ResponderEliminar
  23. Eu acho que o desdobramento será de apenas 45 min e os restantes 90 min a turma toda. Para os alunos será de 3 tempos letivos e para os professores 4, o que já acontece no 7º e 8º. Só que no 9º ano, CFQ tem funcionado com 45 min a turma toda e 90 min desdobrado, o que dá 5 tempos para os professores. Se vingar a primeira ideia os professores perderão 1 tempo letivo, o que vai implicar que cada professor para completar o horário vai necessitar de mais turmas o que resulta na redução de docentes. Façam as contas. Esta restruturação é um presente envenenado. Como não acredito no Pai Natal, não devo andar longe da verdade.

    ResponderEliminar
  24. Isabel
    Bom dia concordo em absoluto com o anónimo das 9:50 que segue a mesma linha de raciocínio que eu...
    Claro Ana que 45min para actividades experimentais é inviável e não faz sentido até porque a aula não seria para o aluno mas sim para o professor... No contexto actual a principal preocupação do Sr. Nuno Crato é parecer simpático mas não pode esquecer a questão da redução nas despesas e isso passa infelizmente pela redução de nº de docentes... espero para o bem de todos nós que esteja completamente enganada...
    até porque sou professora de CFQ com 10 anos de serviço e está pela 1ª vez desempregada (devido ao tal erro de aplicação que nunca foi resolvido... mas isso não é o que está agora em discussão)
    Bom dia para todos e para quem trabalha Força!!!
    Isabel

    ResponderEliminar
  25. Mas os currículos servem os interesses dos alunos ou o emprego dos professores?

    ResponderEliminar
  26. Eu acho que deve ser 90min desdobrados + 45 com turma toda (semelhante ao 9ºano) ou tirando horas: 90min turma junta +45min desdobrados, não mudando mt nos horarios dos docentes

    E sim é possível funcionar com turnos de 45min - é assim que trabalho há 3 anos!

    ResponderEliminar
  27. Ó Feliz, que felicidade. Vais ficar sem emprego é?

    Escusavas de te alongar tanto.
    Falas em divisão de classe e és tu que atiras a pedra aos professores de EVT (ensino artístico, educação pela arte e o espirito crítico a tí não te diz nada?). Eu tive mais sorte quando despertei para o prazer pela arte ainda no 5º ano.
    Formação Cívica foi o pior que poderiam ter feito com esta redução de 90m para 45m nos 5º e 6º ano (o diretor de turma é o primeiro responsável pelo percurso escolar do aluno e este tempo servia em muito para fazer um balanço com os mesmos). agora desenrasquem-se com os alunos nos intervalos porque nem com horas extras os apanham nas escolas. Também deves estar contente com o fim de área de projeto (também achas que não funcionava?) mas agora é ver as parcerias em que as escolas se envolvem (quase zero). Os professores é só tiros nos pés, são-lhes atribuídas competências e descartam com uma facilidade atroz com a justificação de que não foi para aquilo que se formaram. Uma licenciatura ou mestrado é um atestado de competência para desenvolver um projeto mais pretensioso. Certifica a capacidade que o indivíduo tem de se envolver e desenvolver algo nem que para isso tenha de partir do zero.
    Agora estás contente com a possibilidade de aumentarem as horas nas teóricas, mais matemática, mais português, porque já tinham poucas horas não era? Neste momento não precisamos de mais economistas ou cientistas, precisamos é de gente criativa, com soluções novas para nos arrancar das mãos destes teóricos obtusos e gananciosos.
    A "CULPA" é do ministerio que é gerido por uma cambada de incompetentes que não conseguem manter uma linha de projeto que possa ser avaliada corretamente e daí tirar conclusões e propostas de mudança; não sabem avaliar a competência de fazeres valer a tua "licenciatura" para lecionares formação cívica (coisa básica) e é tua porque se calhar deverias fazer outra coisa qualquer em vez de estar preocupada com a opinião pública acerca dos professores e ao mesmo tempo mandar uns bitaites de "rien" sobre os professores de EVT que tiveste sabe deus quando.
    Devias era trabalhar, não andar atrás de um emprego.
    Devias estar triste por ficar sem trabalho, não por ficar sem o emprego

    ResponderEliminar
  28. Será que a barra "/" em Ed Tecnológica/Tic 2ºciclo significará opção? Será que o aluno terá de optar por uma destas duas disciplinas, ou ambas ficarão ao cargo de um só prof? Não está bem claro..ainda é cedo pois

    ResponderEliminar
  29. e do pré escolar, alguem sabe de novidades?
    obrigada.
    paula

    ResponderEliminar
  30. Pronto, está aqui a explicação da alternância/desdobramento/desemprego dos professores de Ciências Naturais e de Ciências Físico-Químicas:

    http://educaraeducacao.blogspot.com/2011/12/como-aumentar-de-90semana-para-67semana.html

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  31. esta reforma curricular tem, de reforma, muito pouco. o que essencialmente pretendeu o ministério, com todo este escaparate, foi avisar os professores do quadro que não serão "mexidos". a estratégia foi simples: primeiro, inculca-se o medo naquelas mentes incrédulas (ai... ninguém agora pode dizer que está bem, ouvia-se, em tom quase apocalíptico, vozes nas salas dos professores e em reuniões de porta fechada); depois apregoa-se o maná: afinal, os vinculados serão, no futuro... vinculados. os sindicatos, ordinariamente defensores primeiros desta classe dos vinculados, calam e consentem. afinal, anda tudo bem no reino da educação.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...