terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Poupança, apenas com cortes nos professores contratados...


Comentário: Segundo consta no artigo, Nuno Crato refere que "a revisão curricular vai aumentar a qualidade do ensino e não foi feita a pensar em custos". Pois... E o Pai Natal mora na garagem cá de minha casa.

Mais... O MEC garante que a mudança não vai afectar os professores de quadro, apenas os contratados. Os contratados! Se são só os colegas contratados já pode ser... Por favor! Os colegas contratados são tão necessários ao sistema como os colegas dos quadros, e julgo que não serão suficientes (em alguns grupos) para colmatar o corte de 102 milhões. Atenção que isto é um problema de TODOS. Espero que os sindicatos se lembrem que os cortes começam sempre em algum lado e depois de iniciados...

19 comentários:

  1. estou tão triste.. ;( Não vale a pena comentar..mas continuo a sonhar numa colocação próxima!! Isso ninguém me tira.. "sempre que o Homem sonha, o mundo pula e avança."

    ResponderEliminar
  2. São sempre os mesmos que se tramam: contratados. Está tudo dito!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  3. Com a nova proposta do MEC de transformar professores do quadro em professores contratados (por tempo indeterminado) e à liberdade de opção dos diretores em termos de arbitrariamente poderem dispensar qualquer tipo de professores, então somos todos contratados.
    Quando Nuno Crato diz que medida não afeta professores do quadro está a dizer a verdade, porque já não existirão...

    ResponderEliminar
  4. Primeiro levaram os negros
    Mas não me importei com isso
    Eu não era negro

    Em seguida levaram alguns operários
    Mas não me importei com isso
    Eu também não era operário

    Depois prenderam os miseráveis
    Mas não me importei com isso
    Porque eu não sou miserável

    Depois agarraram uns desempregados
    Mas como tenho meu emprego
    Também não me importei

    Agora estão me levando
    Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém
    Ninguém se importa comigo.

    Bertold Brecht

    Tal como diz o poeta um dia serao os "professores do quadro" e então já será tarde!

    ResponderEliminar
  5. Não afecta os professores do quadro que vincularam até 2008.
    Claro que para pouparem tanto dinheiro os do quadro vão ter mais horas lectivas.
    Não duvidem disso.
    M&M

    ResponderEliminar
  6. É bom lembrar que as cobaias da avaliação de desempenho foram os contratados.
    Muitos colegas do quadro não acreditaram que também seriam avaliados.
    Os contratados estão abrangidos pelo RCTFP desde 2008 se não me engano.
    Os contratos por tempo indeterminado já estão mencionados na legislação desde 2008.
    Nesse ano foram dadas indicações às escolas para procederem à alteração dos vínculos de trabalho para tempo indeterminado!
    Não se distraiam.
    M&M

    ResponderEliminar
  7. O Ministro até pode dizer que os contratos por tempo indeterminado não afectam ninguém o que não significa que não seja postos em prática.
    Em nome da crise os cabrões que estão no governo até gozam com a nossa cara.
    M&M

    ResponderEliminar
  8. Os professores que entraram para os quadros em 2009 são como todos os outros. O vínculo é o mesmo. Para além disso foram mais ou menos 260. Mas para o caso é irrelevante. Somos todos professores, devemos lutar juntos!

    Joao macedo

    ResponderEliminar
  9. Como somos um "mal necessário", o
    Sr Ministro da Educação vem
    cortar nos "contratados", ele não é mais senão a figura máxima da falta de educação de muitos colegas do "quadro", que quando se apanham satisfeitos, esquecem os colegas que os substituem
    quando é necessário.
    É sabido que quem não "respeita os seus, sai desrespeitado".
    Estamos cá pois somos necessários e de pleno direito. Se somos demais, deviam ter limitado as entradas nos cursos de pedagogia, nunca é tarde...mas depois o que poderia acontecer ao Ensino Superior? Os contratados andam ao sabor das "jogadas" políticas.

    ResponderEliminar
  10. Para "cortar" nos contratados tem que sobrecarregar os vínculados.
    O trabalho dos milhares de contratados não deixa de ser absolutamente desnecessário.
    Dolce Vita

    ResponderEliminar
  11. Concordo plenamente com o que os 2 colegas anteriores escreveram.

    Temos de estar unidos. Não há professores de primeira nem de segunda. Somos todos colegas.

    Cumprimentos

    Joao Macedo

    ResponderEliminar
  12. Para João Macedo:
    A FNEI propôs ao secretário de Estado que não fossem "mexidos" os vínculos dos professores que os adquiriram até 2008.A proposta foi aceite.
    ATENÇÂO:é apenas uma proposta!
    Penso que não convém ao governo dizer tudo de uma vez.Nós somos muitos!
    M&M

    ResponderEliminar
  13. Os professores do quadro estão safos.Antigamente ia tudo para o ensino.Engenheiros,economistas,advogados.
    Estes senhores que nem professores são estão nos quadros e nós que somos mesmo professores.Chapéu.Enfim...

    ResponderEliminar
  14. Para m&m : obrigado pela informação. Eu quando respondi ao Post foi porque falou nos colegas que vincularam em 2009. Apesar de a indicação na altura ter sido para assinar um contrato por tempo indeterminado, no contrato todos os artigos referentes à carreira remetem para o ECD. Os vínculos existem na mesma para esses colegas e têm as mesmas regalias que os outros ( alguns diferem por causa da CGA ou segurança social) o que pretendo dizer com isto tem haver com o facto de achar que todos os colegas que já estão nos quadros estarão mais seguros. Mas tenho muito receio por causa dos colegas contratados. Estou com eles! Também já fui! Um abraço Joao macedo

    ResponderEliminar
  15. Contratado há 17 anos, desempregado no próximo. João, Castelo Branco.

    ResponderEliminar
  16. João Macedo:
    como sabe, há actualmente colegas com muitos anos de serviço, com trinta,quarenta e muitos anos de idade.É muito complicado!Já há bastante tempo que entram pouquíssimos nos quadros.
    Já tentei arranjar outro emprego e não consigo por causa da idade.
    Tenho quarenta e tal anos e não sou o único nesta situação.
    Um abraço
    M&M

    ResponderEliminar
  17. Caro M&M, claro que compreendo a sua situação e estou solidário consigo porque não posso fazer mais nada a não ser deixar uma palavra de esperança. Como já disse anteriormente eu vejo a classe como um todo e não como a soma das partes. Mas sei que infelizmente não pensam todos assim. Um abraço grande e Bom Natal
    Joao Macedo

    ResponderEliminar
  18. É surpreendente ler "Antigamente ia tudo para o ensino.Engenheiros,economistas,advogados.
    Estes senhores que nem professores são estão nos quadros e nós que somos mesmo professores."
    Será que o colega que escreveu este post pode explicar porque não são"estes" profesores? O que dá ao escrivão do post tal categoria?.
    Eu sou economista e sou professora. Fiz uma licenciatura e o estagio pedagogico, sou mestre em ciencias da educação e quase doutorada na mesma área.
    Porque não posso ser professora?
    São postagens como a que transcrevo acima que torna tão dificil levar a bom termo a luta da classe dos professores.
    Boas festas!

    ResponderEliminar
  19. «Os professores contratados são tão necessários como os professores do quadro...» - QUE LINDO !
    O Sr. deveria escrever: «Os professores contratados (na sua imensa maioria, excetuando os desgraçados que andam a fazer cadeiras aqui e ali...) são IGUAIS aos professores do quadro, TÊM AS MESMAS HABILITAÇÕES (ou mais), têm muitos deles mais tempo de serviço, pelo que NÃO FAZ SENTIDO HAVER PROFESSORES CONTRATADOS E PROFESSORES DO QUADRO.»

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...