quinta-feira, 25 de agosto de 2011

As razões subjacentes aos critérios "manhosos" utilizados nas Ofertas de Escola

Todos nós nos sentimos indignados com alguns dos critérios utilizados em Ofertas de Escola (OE) que têm sido divulgados aqui no blogue... No entanto, é importante reflectir acerca deste tema para não cairmos em críticas vazias ou desligadas da realidade.

O post que se segue resultou de uma longa conversa com o meu amigo "Advogado do Diabo" que, embora tenha uma opinião diferente da minha nesta situação particular, me permite levar sempre mais além as minhas reflexões relativas às diversas temáticas.

Assim, vamos a algumas questões relativas aos critérios "manhosos" das OE que considero relevantes (algumas delas eventualmente polémicas), assim como a possíveis respostas para as mesmas.


1) É legal utilizar critérios "manhosos" em OE? 
As escolas/agrupamentos definem estes critérios "manhosos" porque existe legislação que permite que o concurso seja feito à medida do candidato. Não há volta a dar... É um instrumento repleto de legalidade.

2) Porque será que as escolas utilizam estes critérios "manhosos"?
Existem diversas respostas que poderiam ser fornecidas, mas por aquilo que sei, acabam quase todas por derivar em duas: a) exageros nas denúncias de contratos (basicamente, desistências sucessivas após selecção feitas pelas escolas) feitas pelos colegas em 2009 (já em Setembro de 2010 alertei para esta situação e recordo-me que o colega "Advogado do Diabo" foi o primeiro a abordar este tema); e b) jobs for the boys or girls.

3) Qual a relação entre os exageros nas denúncias e os critérios "manhosos"?
Quem está nas direcções das escolas/agrupamentos sabe do que falo, ou seja, para não correrem o risco de ficarem sem professores opta-se por "recompensar" quem ficou no horário. Escrito de outra forma, em 2009 verificaram-se imensos abusos, por parte de colegas que sistematicamente denunciavam contratos para conseguirem "saltar" para horários melhores e mais próximos de casa. As direcções das escolas ficaram algo "queimadas" com isto, e optaram por assegurar quem aceitou o horário no ano lectivo anterior, utilizando critérios "manhosos" na oferta de escola do ano lectivo seguinte.

4) Existe alguma justiça nestes critérios "manhosos"?
Bem... Para mim, a resposta será "não". Eu explico melhor. As denúncias de contrato são contempladas na legislação e só não ruma a um horário melhor quem efectivamente não pode. Se a denúncia de contrato é um mecanismo legal, porque não utilizá-lo?! Não conheço ninguém assim tão íntegro que recusasse (podendo, obviamente) uma oferta de escola com um horário com mais horas e mais perto da sua residência, se bem que admito que possa existir alguém assim. Para além disso, este problema das denúncias recorrentes já foi regulamentado e neste momento, encontra-se limitado. 

Mas a minha resposta negativa, tem um pequeno "senão" que deve ser abordado... A injustiça destes critérios deriva - em muitos dos casos - das escolas se verem forçadas a jogar pelo seguro. E como se joga pelo seguro? Fazendo uma espécie de "renovação de contrato" à maneira das ofertas de escola - ou seja, com critérios seleccionados - para que os alunos não fiquem sem professores durante algum tempo, derivado de eventuais denúncias de contrato. Por aqui, até posso perceber (e o perceber nesta situação, não implica estar de acordo) o motivo dos critérios "manhosos" utilizados por algumas escolas, mas não serve de maneira nenhuma para justificar os critérios por medida. Ao procederem desta forma, as escolas nunca irão dar hipóteses a novos professores de mostrarem o que valem... Estamos perante uma falácia autorizada e de uma "espécie de concurso" que na realidade não o é.

Se estou a ser tendencioso e a ver este tema apenas pela perspectiva do professor? Provavelmente... 

5) O que fazer perante o conhecimento destes critérios "manhosos" em termos de oferta de escola?
Não sou contratado há alguns anos, pelo que os meus conselhos pouco ou nada devem valer para quem ainda está no "terreno" da contratação, no entanto, cá vai: concorram apenas para aquilo que efectivamente pretendem aceitar. Ao não aceitarem, tem fortes probabilidades de se estarem a colocar de forma automática fora de uma nova oferta de escola - para aquela escola/agrupamento - pois a tendência é de que no ano seguinte surjam os tais critérios "manhosos" (ou seja, para quem ficou com o horário). Eu sei que é um conselho "tramado", mas é a realidade com que têm de lidar.

Nota: Continuo a receber imensas ofertas de escola "manhosas", como tal, o meu agradecimento a todos os colegas que se deram ao trabalho de as recolher e enviar. Apenas um reparo, não coloquem as imagens numa folha de word pois assim dificultam-me imenso o trabalho. Enviem as figuras em .jpg, .bmp ou .png, mas não coladas numa folha de word. Irei continuar a divulgar as ofertas de escola que considerar mais "flagrantes", mas como devem compreender não as posso colocar todas. Já tenho na minha caixa de correio umas dezenas de critérios, se as colocar todas fico esgoto a capacidade do blogger em termos de imagens.

9 comentários:

  1. Ricardo:
    Aqui vão alguns conselhos técnicos para as imagens:

    - Extrair as imagens incorporadas num ficheiro Word, sem utilizar um programa de imagem.
    Neste link encontras um tutorial que ensina a fazer isso:
    http://pplware.sapo.pt/tutoriais/domingo-dia-de-dicas-do-microsoft-word-9/

    - Quanto à questão da capacidade, a colocação de imagens no Picasa não tem limites desde que:

    a) Utilizadores sem Google+ - Máximo de 800 x 800 pixels;
    b) Utilizadores com Google+ - Máximo de 2.048 x 2.048 pixels.

    Se precisares de um convite para o Google+, é só dizer.

    ResponderEliminar
  2. Há de facto critérios absurdos, mas não é vulgar. Aparecem coisas esquisitas, mas mais por incompetência / inexperiência, do que por outra razão. O critério da continuidade pedagógico segue a mesma lógica das renovações. O objectivo é permitir aos alunos manter o mesmo docente ao longo do ciclo. É um critério que nos parece muito injusto quando não nos beneficia a nós, mas quantos de nós não pensámos já que era fantástico podermos continuar em determinada escola? Se nos dessem essa hípótese recusávamos? Eu não. Muita pena tenho de na escola onde estive este ano o critério da continuidade não ser prática, porque se fosse preferia esperar um ou dois meses e ficar lá outra vez. Mas quando somos prejudicados o critério passa a ser injusto!!!!!

    ResponderEliminar
  3. "Para além disso, este problema das denúncias recorrentes já foi regulamentado e neste momento, encontra-se limitado." E onde se encontra essa regulamentação legislada? ....

    ResponderEliminar
  4. Bem visto Cristina!...E a continuidade pedagógica (quando os professores são competentes) é sobretudo benéfica para os alunos e para a escola! Realmente faltou referir esse 'senão' que me parece bastante importante!

    ResponderEliminar
  5. Mas parece que esta razão não merece ser contemplada como uma das razões subjacentes aos critérios "manhosos" utilizados nas Ofertas de Escola!

    ResponderEliminar
  6. Esclareçam-me uma dúvida se o puderem: os colegas que concorrem a DACL, DCE e DAR vão preferencialmente ocupar estas ofertas de escola ou outros horários que as escolas solicitam? Obrigado
    David

    ResponderEliminar
  7. São mesmo estas ofertas que eles vão ocupar David!

    ResponderEliminar
  8. "Para além disso, este problema das denúncias recorrentes já foi regulamentado e neste momento, encontra-se limitado."

    Podia explicar melhor esta afirmação Ricardo?

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...