sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Qualificação (deficitária) obrigatória para desempregados.

No Público a 25/11/2010: "Um despacho publicado hoje (ontem) autoriza o IEFP a “encaminhar” inscritos nos centros de emprego, com habilitações inferiores ao 12º ano e empregabilidade “pouco adequada”, para os centros onde existe o programa Novas Oportunidades.

“Os cidadãos desempregados inscritos nos centros de emprego do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que sejam detentores de habilitações inferiores ao 12º ano e não estejam a frequentar uma modalidade de qualificação no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações", e "cujo perfil de empregabilidade se afigure pouco adequado às ofertas de emprego disponíveis", devem ser encaminhados para a rede nacional de centros novas oportunidades, refere o despacho, que entra em vigor a partir de amanhã (hoje).

De acordo com o documento, publicado hoje pelo Ministério do Trabalho, esse “encaminhamento” será feito pelo IEFP, que, “através da sua rede de centros de emprego deve convocar todos os desempregados inscritos nas condições referidas”.

Uma vez convocados, os desempregados serão sujeitos a uma “reformulação do plano pessoal de emprego, de forma a incluir o encaminhamento para um centro novas oportunidades, preferencialmente o que se localize mais próximo da área de residência”.

Caberá ao IEFP fazer a triagem dos inscritos que preencham os requisitos estabelecidos pelo Governo, bem como definir “as prioridades de intervenção em função dos níveis de escolaridade e dos escalões etários”.

O despacho não refere, porém, se a prioridade vai recair sobre desempregados com habilitações mais baixas ou se serão considerados mais urgentes os casos de pessoas com idades mais avançadas. (...)"


------------------------
Comentário: Até nem posso dizer que discordo totalmente desta medida vertida agora para despacho legal (muito por causa de algum "parasitismo" subsidiário... Conheço muitos casos de "café a mais e procura de trabalho a menos"), no entanto, não me parece que com um curso da tipologia "Novas Oportunidades", as oportunidades de emprego apareçam em maior número. Existem situações, em que ter um curso "Novas Oportunidades" até poderá ser negativo para a selecção.

Que queiram aumentar o sucesso estatístico das "Novas Oportunidades", com milhares de portugueses detentores de diploma de qualificação (mas não qualificados realmente ou com formação - na maioria dos casos - altamente deficitária) é uma coisa, agora quererem estabelecer uma relação entre o grau de empregabilidade e os "cursos expresso" das "Novas Oportunidades" é outra coisa redondamente diferente. Se nem os que suam as estopinhas conseguem...
------------------------

3 comentários:

  1. Moral da história:
    Este “falso” 12º ano "expresso" é um "delícia", é assim tipo capuccino! Sim, sim! Julgava (não vou dizer que o julgava por ser parvo, porque senão tinham que ser escritos muitos posts!), mas não me perdendo no raciocínio, julgava que para se ter o 12ºano de escolaridade era necessário frequentar a escola durante 12 anos da nossa vida e obter aprovação em cada um desses 12 anos, mas afinal também é possível obtê-lo, agora, em “versão legal”, do original "curso/diploma de fim-de-semana"!
    Pelo menos ninguém pode apontar o dedo ao "homem" por ser egoísta!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Ao menos salvam-se os empregos por causa das extinções das ACND.

    Não vai faltar muito trabalhinho.

    ResponderEliminar
  3. coitados daqueles que já tèm o 12ºano...
    espero novidades...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...