terça-feira, 4 de maio de 2010

Situação dos professores contratados nos Açores.

Recebido por email e com um pedido de divulgação:

"(...)Tomei a liberdade, em nome próprio e no de colegas de trabalho, de lhe enviar este mail para que faça referência no seu blog à situação de injustiça que os Profs Contratados na Região Autonoma dos AÇORES estão a viver neste concurso.

Como no ano lectivo anterior fomos avaliados apenas qualitativamente, só temos a menção qualitativa, não dispondo da quantitativa como os colegas do continente. (facto que se prende com o estatuto da Região Autonoma ser diferenciado)

Ora, acontece que no concurso, o M.E. obriga os profs contratados dos Açores a colocar no tópico referente à avaliação a catalogação de NÃO AVALIADO.

Tal facto não corresponde à realidade e faz com o tempo de serviço que prestámos não revele para o concurso.

Por favor, faça referência a esta situação no seu blog, para que pelo menos alguém de direito verifique esta situação. Se possível divulgando os docs em anexo.

Envio-lhe em anexo um primeiro doc. referente a esta situação, onde a Secretaria Reginal da Educação deu umas indicações, sendo que, posteriormente ficamos com a candidatura INVÁLIDA no ponto referente à avaliação; quando apenas fizémos o que as INSTITUIÇÕES nos indicaram.
Envio também um oficio que os sindicatos remeteram à Secretaria Regional da Educação.

O nosso muito obrigado."


Deixo-vos com o printscreen do anexo enviado, relativo à uniformização de procedimentos na avaliação do desempenho e proveniente da Secretaria Regional da Educação. Cliquem para ampliar.

2 comentários:

  1. O presente envenenado da autonomia regional no seu melhor.

    É imporatnte que todos os colegas a leccionar nas RA compreendam que isto é também um problema seu (e não apenas um problema de alguns contratados da RAA), uma vez que põe em causa a liberdade de intercomunicabilidade entre as regiões e o Continente. Caso se persista nesta injustiça e, caso exista efectivamente concurso para quadros em 2011, temos aqui, para o próximo concurso, mais uma matéria grave para somar ao quadro legislativo existente. Os professores a leccionar nas RA não podem ser penalizados pelos moldes em que a avaliação decorreu (ou não decorreu). Por um lado, a existência de grupos carenciados nas Regiões faz crer que se procurem criar entraves à saída de professores das ilhas. Por outro lado, esta é só mais uma evidência dos erros cometidos com o acordo.

    Aos professores da RAM, a avaliação administrativa está a sair muito cara, quer do ponto de vista da progressão, quer do concurso, a verdade é essa.

    ResponderEliminar
  2. A par dos professores da RAM... a situação dos professores contratados no Ensino de Português no Estrangeiro também é muito preocupante: aliás concorri sem qualquer avaliação... Todos se esqueceram de nós. Enfim
    Desolação

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...