quinta-feira, 4 de junho de 2009

Uma última hipótese.

No Diário de Notícias a 04/06/2009: "O Sindicato dos Professores da Grande Lisboa reivindica hoje do Governo um diploma que viabilize a profissionalização de milhares de docentes com menos de seis anos de serviço, impedidos de entrar nos concursos.

"Com a nova legislação de concurso, os professores com habilitação própria não podem concorrer. Já foi publicado um diploma para os professores nessa situação fazerem a sua profissionalização e está a começar um primeiro curso na Universidade Aberta, mas deixa de fora os professores que têm menos de seis anos de serviço", disse à Lusa o vice-presidente do sindicato, Óscar Soares.

Segundo o dirigente sindical, os professores em causa "não têm qualquer possibilidade de regularizar a sua situação perante a escola e entrar na carreira".

"Encaramos a possibilidade de contactar todas as universidades, tal como fizemos com a Universidade Aberta, para desenvolver uma fase para estas pessoas", avançou, referindo que qualquer solução tem de ser validada pelo Ministério da Educação.

"Neste momento, a única possibilidade que as pessoas têm é tirar outro curso", acrescentou.

Óscar Soares considerou que o sindicato está a desenvolver um trabalho que compete ao Ministério da Educação, que "devia preocupar-se e não fechar os olhos à realidade, excluindo as pessoas".(...)"

Ver Artigo Completo (Diário de Notícias)

------------------------
Comentário: Caso delicado, a merecer toda a nossa atenção. Continuo a não compreender o motivo dos 6 anos. Podiam ser 3, 4, 5, 6, 7 ou 10... Não era melhor darem essa hipótese a todos? Uma última hipótese. A partir daí, terminavam definitivamente com as profissionalizações e fechavam o concurso aos professores com habilitação própria. Isto claro, com a devida antecedência e antes de ser publicitado um aviso de abertura ou decreto-lei. Aquilo que aconteceu este ano, apanhou muita gente de surpresa.
------------------------

2 comentários:

  1. Eu estive nesse grupo de professores desde o início, desde dos tempos do Canavarro como Sec.Estado e isto já se arrasta há 6 anos(que ironia, os mesmos 6 necessários...).Tinha 5 anos e quase 11 meses de serviço, ou seja por 37 dias nunca fui elegível.
    A verdade é que fui mesmo tirar o curso via ensino ( sou aliás da última fornada, onde estavámos uns meros 12 alunos...). E a questão dos 6 anos, foi sempre uma enorme imposição e duvido que com estes governantes isso vá mudar. Talvez devam ir pelo mestrado profissional se tiverem estomago para isso. Mas sinceramente espero que isto se resolva como deve ser.

    ResponderEliminar
  2. O que aconteceu este ano não foi uma surpresa. Estava previsto na lei há alguns anos.
    O maior problema está nos grupos que não têm formação inicial para a docência, como o caso da Economia e Contabilidade. Com esta lei ou mudamos de vida ou submetemo-nos às cunhas de escola, perdão, às ofertas de escola.
    Também não estou a ver como se fará a renovação dos professores do grupo.
    Apesar de não ter sido apanhada de surpresa é triste que ao fim de nove anos de trabalho tenha de deixar de fazer o que ainda gosto.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...