terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Sindicatos acusam ministério de os desprezar.

No Diário de Notícias a 27/01/2009: "Os sindicatos dos professores estão indignados por a 24 horas da data marcada para realização da primeira reunião negocial sobre o estatuto da carreira - agendada desde o início do mês - ainda não terem recebido a convocatória oficial do Ministério.
(...)
As reuniões - que a tutela e as estruturas sindicais tinham acordado decorrerem amanhã e quinta-feira - serviriam para discutir a prova de ingresso na profissão. Para Fevereiro, ficou agendada a negociação da estrutura da carreira, um tema que todos os representantes dos professores consideram fundamental.

Mas a questão da prova de ingresso promete voltar a dividir professores e Governo. A proposta inicial do ministério contém três componentes de avaliação: dois testes escritos e uma entrevista, em que o candidato tem de ter nota superior a 14 valores. O secretário de Estado da Educação, Jorge Pedreira, disse no sábado que o Executivo admite rever o tipo de prova, mas não prescinde da existência de um exame para quem quer ser professor.
(...)
Mário Nogueira considera mesmo que a prova é ilegal. Mas só quando o teste se realizar, o que já não será este ano, é que há a possibilidade de recorrer para tribunal. O secretário-geral do Sindep vai mais longe e questiona a constitucionalidade da medida. "Parece-nos uma atitude discriminatória, porque não está a reconhecer a licenciatura nem o estágio, e inclui uma nota mínima".
(...)
Contactado pelo DN, o Ministério não confirmou se as reuniões programadas vão ou não realizar-se."

Ver Artigo Completo (Diário de Notícias)

------------------------
Comentário: Estranho o facto de até à data ainda não ter aparecido a "tal" da convocatória. Mas estranho muito mais, que o Ministério da Educação não tenha confirmado se as reuniões se vão realizar. Será que a confiança é tão grande que já dispensam as reuniões negociais?

Quanto à alegação de Mário Nogueira relativa à ilegalidade da prova: Gostaria de saber os fundamentos dessa alegação. Para além disso, parece-me que a expressão "só quando o teste se realizar (...) é que há a possibilidade de recorrer para tribunal", poderá estar relacionado com a entrevista dada por Mário Nogueira, ao Correio da Manhã (no sábado passado).
-------------------------

2 comentários:

  1. Colega, sugiro que coloques os esclarecimentos sobre a entrega dos OI que se encontram no SPZS. Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. Agradeço a informação. Irei colocar o link para os esclarecimentos que referiste.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...