sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Deputada Teresa Portugal afirma que os professores só mostram interesse nos seus problemas.

No sítio da TSF a 23/01/2009: "Pelo menos dois dos deputados socialistas mudam o sentido de voto o que garante o chumbo do projecto do CDS-PP, desde que o PS não tenha mais faltas do que o conjunto da oposição.

João Bernardo tinha votado a favor da primeira vez, agora vota contra. Justifica-se dizendo que a situação política foi alterada e que o Governo deu passos para encontrar um novo modelo de avaliação.
(...)
Ao que tudo indica Manuel Alegre e outras quatro deputadas deverão manter o voto favorável por uma questão de coerência.

Teresa Alegre Portugal deixa, no entanto, uma crítica aos professores, diz que só mostram interesse nos seus próprios problemas, sem fazer um esforço para compreender o contexto.

Sobre a posição de Manuel Alegre, Augusto Santos Silva não faz uma leitura de significado mais alargado. O ministro dos Assuntos Parlamentares, em entrevista à SIC Notícias, diz que essa será a forma de o deputado manifestar tão só uma diferença de opinião com a posição do PS e do Governo. (...)"

Ver Artigo Completo (TSF)

------------------------
Comentário: É previsível que o projecto do CDS seja chumbado. O PS impôs "disciplina de voto" e como sempre existem deputados que se refugiam neste instrumento para silenciar a sua consciência. Na 4.ª feira (ler aqui), o deputado João Bernardo classificou os professores de chantagistas... Agora é a vez da deputada Teresa Portugal classificar os professores de egoístas... Rematando com o facto dos professores não compreenderem o contexto! Mas quem melhor para compreender o contexto que alguém que esteja na escola?! Quem melhor para compreender a situação do sistema educativo que os professores?! Estará a deputada Teresa Portugal melhor qualificada para compreender tudo aquilo que tem estado a ocorrer no sistema educativo português?! Revoltante este tipo de afirmações. Para não escrever pior.

Se não forem os professores portugueses a defender os interesses do sistema educativo português, quem o fará? O Governo (PS) é que não... E pior, para além de não defender, destrói. Mais 4 anos deste tipo de governação e conseguem acabar o que começaram, ou seja, a aniquilação absoluta do sistema educativo português.
-------------------------

4 comentários:

  1. Revoltante mesmo. Mas será que V. cegos pela carreira, para não dizer por dinheiro, não enxergam que não têm razão???

    Os professores públicos, por vontade própria acorrentados à função de ensinar, interessados no sistema educativo português!!!!

    E tão interessados se encontram que se recusam a ser avaliados a não ser por si próprios.Como se personalizassem a lisura e a honestidade de processos.Ao contrário das outras classes profissionais que, "consabidamente menos éticas " são avaliadas por terceiros.

    É o Governo, sim, que, conforme o programa eleitoral, e contra os V. interesses corporativistas deve defender o sistema educativo para Portugal.

    Afirmais-vos capazes de defender os interesses do sistema educativo do país...!

    Mas o que é que V. andaram a fazer depois de Abril de 74? Para além de se passearem pelos hotéis e praias de todo o mundo em tempo de aulas?

    O que é que mais vos preocupou para além de se agarrarem como lapas a um carreirismo promitente de prebendas, alcavalas e privilégios únicos em Portugal?

    Acaso pensaram no sistema educativo português? Acaso fizeram algo digno de registo para os vindouros?

    É que o que pensaram, a pouca coisa que fizeram desenrola-se triste e muito pobre aos olhos dos portugueses..!

    Como confiar pois em Vós?

    Os portugueses nem sequer vos elegeram...!

    Díscutam, sim, mas com seriedade.

    E não levem para as reuniões nem a intransigência dos que não têm razão, nem a cobardia dos chantagistas.

    Obs.- É claro que não me refiro a todos os professores, que os há de muita qualidade, ao contrário de muitos que deveriam regressar à escola.E até mesmo desistirem de ensinar. Por manifesta incompetência!

    ResponderEliminar
  2. Uns estão cegos pela carreira, outros cegos pela sua opinião. Tão cegos que não se dão ao trabalho de discutir de forma saudável e fundamentada.

    Como é possível opinar da forma como o fez, de uma classe que (aparentemente) não conhece e que repudia de forma tão veemente?

    Como é possível tão grande ódio pelos professores?

    A honestidade de um comentário, pressupões conhecimento de causa ou então a sua total ausência. Se quiser discutir divergências de opinião (e obviamente que me estou a referir a mim), peço-lhe que me envie um email.

    Pela parte que me compete tentarei amenizar esse enorme preconceito.

    ResponderEliminar
  3. Estão uns cegos pela carreira, outros pela opinião e outros ainda por um grau académico que crêem o mais seguro fundamento do carreirismo a que votaram as suas vidas.Contra a indigência social que repudiem e bem e de que os portugueses "beneficiam".

    Como é que é possível a uma classe socialmente informada, e a meio de uma crise sem precedentes que o país atravessa, fazer exigências que sabe impossíveis de levar à prática, porque manifestamente incomportáveis para os cofres do Estado?

    Será que não raciocinam? Ou será que não querem mesmo saber dos problemas que Portugal atravessa? Será, pois, ignorância militante?

    Ou será antes ódio por quem democraticamente foi eleito? O ódio por quem tomou a decisão de lhes exigir trabalho, eficácia, competência e honestidade!? Ódio que começa a escorrer e a cair nas cabeças dos portugueses eleitores deste governo!?

    Eu não! Não odeio nada nem ninguém! Pela simples razão de que dá muito trabalho e acima de tudo, creio que, me apoucaria a personalidade.

    Agora que não gosto das condições a que a maioria das pessoas em Portugal ainda se encontram atidas, isso sim, é um facto, que não refuto.Por verdadeiro.

    A honestidade de um comentário não pressupõe conhecimento de causa. Pressupõe-no sim a legitimidade,um conhecimento mínimo de razões. Agora a honestidade tem mais a ver com a vontade em participar.Que pode ser precipitada porque inocente ou cauta porque sabedora.

    E para quê um e-mail? Não será este o melhor meio para dirimir divergências?

    Não! Não quero pensar que pretenda furtar os leitores do "blog" de tão saudável disputa...!

    Louvável o compromisso de amenização de preconceitos.Só que neste domínio eu NÂO SOU preconceituoso.Estou é razoavelmente
    informado sobre as responsabilidades a que um professor em Portugal deve estar sujeito.E que uma grande maioria não cumpre. Cultivando antes a desresponsabilização. Que parece fazer parte do genoma da nossa F.P.

    Agora que graves preconceitos a propósito de diferenciação social, se encontram encastelados nos escaninhos dos privilegiados cérebros dos nossos professores, eu não duvido...!

    E começam todos por " É assim..."

    Sendo assim, para quê abrir discussões?

    Obs- Tenho que fazer a justiça de não lhe ler nenhum parágrafo a começar dessa forma. O que, sinceramente, aprecio.

    ResponderEliminar
  4. Aprecio a forma (embora não o conteúdo) como elabora tão eloquente raciocínio, e nem por um momento a minha proposta de email, implicou da minha parte qualquer furto à sua (ou à de outros) vontade de disputar opiniões e esgrimir argumentos.

    Como se afirma livre de preconceitos nesta temática e razoavelmente informado sobre as responsabilidades de um professor, sinta-se à vontade para continuar a elaborar conclusões e a colocá-las aqui no blogue.

    Não quero nem por um momento ser motivo de diminuição do fluxo da sua veia criativa.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...