domingo, 14 de setembro de 2008

Educação Especial: Duas dezenas de docentes concentrados no Porto decidem impugnar concurso.

No Jornal de Notícias de 13/09/2008: "Cerca de duas dezenas de professores de educação especial desempregados que hoje se concentraram, no Porto, decidiram impugnar as listas de colocação e realizar uma manifestação em frente ao Ministério da Educação em Lisboa.

Os professores envolvidos na iniciativa queixam-se de que foram preteridos por colegas com menos experiência, nas listas de colocação.
(...)
Alguns dos colocados "tinham zero dias de serviço" garantiu.

A mesma fonte disse recear que a situação se possa agravar em próximos anos lectivos com a eventual contratação de docentes praticamente sem especialização.

O receio surgiu na sequência de declarações proferidas pela ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, segundo as quais iriam ser ministradas 50 horas de formação em educação especial a docentes sem formação especializada.

"Cinquenta horas de formação não dá para nada. Eu tive uma especialização de dois anos e fiquei de fora no concurso", lamentou.
(...)
Em relação à data da manifestação em Lisboa, Sónia Pinheiro disse que ainda não foi decidida, mas deverá realizar-se "dentro de duas semanas".

Segundo a porta-voz dos professores de educação especial desempregados foram convidados para a concentração que decorreu na Praça Francisco Sá carneiro, no Porto, cerca de 300 docentes, mas apareceram apenas cerca de 20.

"Somos poucos, mas bons e prometemos fazer barulho", frisou Sónia Pinheiro."

Ver Artigo Completo (Jornal de Notícias)

------------------------
Comentário: Nem queria acreditar nesta notícia, quando a li. Como é possível colegas com formação específica para a educação especial serem preteridos (e como tal, não colocados) por não terem 5 anos de serviço?! Para quê ministrar formações de 50h em educação especial quando existem colegas desta "área" no desemprego?! Estão aqui bem patentes as reais intenções da Ministra da Educação...

Relativamente à fraca adesão dos colegas de educação especial, desempregados, não estaria à espera de outra coisa. Infelizmente a união é algo que não existe, mesmo quando os interesses são comuns. E não estou a falar somente destes colegas.
------------------------

Sem comentários:

Publicar um comentário