segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Educação e marketing.

No Correio da Manhã de 01/10/2007: "A excelente máquina de relações públicas do Governo apostou forte no início do ano escolar, com cerimónias de pompa e circunstância sobre o novo mundo das escolas portuguesas.

Os discursos oficiais anunciavam um caminho capaz de tirar Portugal rapidamente dos últimos lugares no que respeita à qualidade do ensino.

As famílias que se preocupam com o futuro dos filhos já tinham razões para desconfiar de tão fabuloso marketing, porque a experiência de grande parte das escolas desmentia o optimismo oficial.

É também por causa da deficiente qualidade do ensino público que as melhores escolas privadas das grandes cidades têm listas de espera infindáveis. Muitas escolas públicas transformaram-se em simples depósitos de alunos, onde a preocupação dos professores é cumprir o programa, aprendam os alunos ou não.

No final do ano passam todos para evitar chatices e pressões por causa das más estatísticas. Assim chegam ao antigo ciclo preparatório alunos que praticamente não sabem ler, escrever ou contar. E concluem o Ensino Secundário jovens que não conseguem entender o sentido de um texto.

Como revela o trabalho publicado pelo CM nas páginas 6 e 7 (Ver páginas 6/7 - Correio da Manhã), há alunos sem professor, escolas sem condições e contentores transformados em salas de aula.

Não basta as boas intenções do Ministério para que a Educação seja um efectivo investimento no capital humano.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...