quinta-feira, 22 de junho de 2017

Balanço das vigilâncias até agora...

Alunos: 
1) Alguns vêm com uma mochila que pesa 3 quilos (pra quê?)… Toca a colocar as mochilas perto da secretária dos professores: parece o primeiro ponto de encontro de refugiados que decidiram ir à vida depois do exame; 
2) Há sempre os que ainda não perceberam que não podem ter o telemóvel com eles: “Mas está desligado! / Não interessa, não podes. / E agora? / E agora, dás-mo e vou deixá-lo com a funcionária que o vai levar lá pra baixo. Depois, vais buscá-lo. / Francamente! Tanta coisa por um telemóvel!”; 
3) Há aqueles que fazem questão de ir contra todas as regras (para além da do telemóvel) só para ver se são respeitadas: “Tira os óculos de sol… O boné, agora… Os teus fones (só pró estilo, porque não estão ligados a nada)… A tua carteira está em cima da mesa a fazer o quê? Vou ficar com ela ali, ao lado da tua mochila… Tira o rótulo da garrafa da tua água…”; 
4) Está tudo no quadro, mas há sempre os que se enganam a preencher o cabeçalho: “Não é Língua Portuguesa, é Português…”; 
5) Há os nervosos que perguntam sempre qualquer coisa: “Posso escrever aqui? Risquei isto, dá pra perceber que não é a minha resposta? Posso deixar esta linha em branco? Posso escrever na folha de rascunho e depois passar? Não faz mal eu ter 6 canetas em cima da mesa, é que tenho medo que falhem?”; 
6) Os que acabam a uma hora do fim e ficam a olhar para o teto, desesperados pelo toque (Bem-vindos ao clube!); 
7) Os que bufam constantemente e viram todas as páginas estilo furacão na sala;
8) Os educados que dizem “santinho” cada vez que um dos colegas espirra (se a moda pegasse, era um coro tão lindo!);
9) Há os constipados que fungam de 10 em 10 segundos. O professor vai buscar um dos seus lenços. Dizem “Obrigado”, mas acabam por nunca lhe tocar e continuam a fungar; 
10) Os que fazem caretas a cada enunciado lido, seguidas, uns minutos mais tarde, de pulos “Eureka” na cadeira; 
11) Os que se esquecem do material: “Ai! É prova de Desenho! Esqueci-me do lápis! E do resto do material!!” (Trengo!!) 
12) Os que se enganam a preencher o segundo cabeçalho: "Não faz mal. Agora, aqui atrás, vais escrever "Rasurei o meu número de CC. / Ra-quê?" E começamos a soletrar... "Nunca tinha ouvido essa palavra!" 

Colegas: 
1) Há os fixes (eu e mais alguns); 
2) Há os que se fartam de passear pela sala desenfreadamente, bufando mais do que o aluno “furacão”; 
3) Há os que não levantam o rabo da cadeira, o aluno à frente pede uma folha e lá vou eu do fundo da sala buscá-la para ele; 
4) Há os que não gostam de serem chamados à atenção pelo secretariado de exames “Há lá necessidade de escrever no quadro que a prova tem versões, não dá pra ver no enunciado?” 
5) Há os que chamam o secretariado de exames por tudo e por nada: “Este aluno pôs o ponto final na margem, faz mal? Já só temos 30 folhas de rascunho, precisamos de mais.”; 
6) Os que fazem questão de ler a prova toda e comentam comigo “É fácil!” (O professor, já se sabe, é um poço de sabedoria e percebe de qualquer disciplina ou matéria). Eu leio o primeiro enunciado, não entendo patavina e respondo “Sim, só não se safam se não quiserem!”; 
7) Há os obcecados com o cabeçalho cada vez que um aluno pede uma folha nova. “Preenche o cabeçalho! / Deixe-me só acabar o raciocínio! / Preenche, temos que ver se está tudo bem antes de continuares!”; 
8) Os que me perguntam quando confirmam o segundo cabeçalho dos alunos "«Rasurei» é com «s» ou com «z»? (Geralmente, são os mesmos que leram a prova e disseram que era fácil...) 
9) Há os que são piores do que o secretariado de exames: “Tens que escrever (no quadro) com letra maior ou os alunos não vão conseguir ler… Confirma a data de validade dos cartões de cidadão! Ainda não assinaste aquele cabeçalho! Vou afastar-me de ti: se vier a inspeção, ainda pensam que estamos a conversar! Não fiques tanto tempo perto da porta, se vier a inspeção, parece mal!”… 
10) Há os que ficam indignados quando são chamados ao secretariado de exames uma hora depois de entregarem as provas porque não assinaram uma das folhas: "Então, a colega do secretariado esteve a escrutinar isto tudo durante uma hora e não reparou que faltava a minha assinatura??!!" - que é como quem diz: a INCOMPETENTE da colega do secretariado não viu que eu sou um INCOMPETENTE???!!! -

Vigilâncias: uma verdadeira aventura…

8 comentários:

  1. Tarefa odiosa e entediante, Dalila. Mas relatada por ti até tem alguma piada.

    Falta aqui uma categoria de vigilantes-professoras: as que usam calçado com salto alto diariamente e dele não abdicam nem em dia de vigilância. E depois ouvem-se uns "toc toc toc toc" de vez em quando. :)

    ResponderEliminar
  2. Muito bom! Algo para sorrir no meio disto tudo.

    ResponderEliminar
  3. Ora aí está! É mesmo isso e eu revejo-me bem em algumas situações!

    ResponderEliminar
  4. Está de chorar a rir!! É uma excelente caricatura!! As vigilâncias são assim!!

    ResponderEliminar
  5. Genial! Bravo. Caricatura perfeita. Dava até para escrever um "manual para o professor vigilante" em formato irónico-satirico ��

    ResponderEliminar
  6. O que eu me fartei de rir...de chorar...pela tão realidade. Obrigada por este delicioso momento.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...