terça-feira, 14 de abril de 2015

Da dificuldade

Maria de Lurdes Rodrigues defende regresso das Novas Oportunidades 

Comentário: Bem... É com tremendo esforço (nem imaginam quanto) que escrevo estas palavras, mas (e por mais que todas as moléculas do meu organismo apontem noutro sentido) não consigo escrever que esta senhora está completamente errada no que diz. Mas como a rejeição a sugestões desta senhora é visceral não me irei esticar no meu comentário para ver se consigo dormir descansado.

3 comentários:

  1. O pior que nos poderia acontecer era essa "sujeita" voltar a ser Ministra ou ter qualquer cargo na Educação, nem que seja Auxiliar!!!

    Mal por mal é preferível o Crato.

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde

    Estas declarações de MLR só vêm provar a sua incompetência e desconhecimento... nada que me espante pois está em linha com aquilo que foi a sua atuação enquanto ministra (péssima, embora ainda assim bem melhor que a do atual energúmeno Nuno Crato).

    Há mais de um ano que a rede de Centros para a Qualificação e Ensino Profissional (CQEP) promove processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, na sua componente escolar (tal como faziam os antigos Centros Novas Oportunidades, introduzindo mais algum rigor e seriedade a estes processos) bem como na componente profissional, e ainda de dupla certificação. Muitos destes centros funcionam em escolas públicas e permitiram ao longo deste ano a manutenção de muitos professores do quadro nas suas escolas (que de outra forma ficariam sem componente letiva) e certificaram já uma grande quantidade de adultos.

    Mais do que as declarações desta senhora a quem não dou grande crédito, preocuparam-me as declarações do Sr António Costa (provavelmente o nosso próximo primeiro ministro) que disse que iria "corrigir o erro do fim das Novas Oportunidade"... em que planeta é que esta gente vive? o que fazem os acessores pagos a peso de ouro - o que acabou das Novas Oportunidades foi a componente panfletária e publicitária, bem como o facilitismo e a atribuição automática de certificados sem preocupação de rigor ou qualidade... ao bom jeito da governação do Sr José Sócrates. Os processos RVCC estão a decorrer, com muito menos custos associados e os primeiros resultados a começarem a surgir, agora que a estrutura está montada. Temo sinceramente que, ao bom jeito português, o próximo governo vá fazer tábua rasa deste esforço e, por razões meramente políticas, volte a parar tudo para depois reativar, com outro nome, outro logo, outra roupagem, muita publicidade e na prática será tudo tempo perdido.

    Perdoem-me o desabafo, mas, enquanto coordenador de um CQEP numa escola pública, com muito trabalho e muitas noites perdidas para montar um centro, formar e motivar uma equipa, promover a oferta a nível local, angariar adultos, realizar um reconhecimento de competências sério, facultar formação adicional válida e efetuar provas de conhecimentos rigorosas, fico sinceramente chateado (com f) quando leio estas coisas nos jornais.

    Tenho pena que a agência ANQEP não tenha tomado uma posição mais firme de repúdio a estas declarações... daí o meu desabafo.

    Com os melhores cumprimentos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...