sexta-feira, 13 de junho de 2014

Algumas informações sobre o IEFP

Alguns colegas que foram a entrevistas no IEFP tiveram a gentiliza de partilhar  as seguintes informações, recolhidas durante as entrevistas:
  • o horário semanal é de 40 horas;
  • as deslocações são pagas a 0,11€ por quilómetro;
  • o tempo despendido nas deslocações é contabilizado para as 40 horas semanais;
  • informações que alguns formadores deram sobre o terem pouco tempo para comer e que tinham de comer durante a viagem, só acontecem por iniciativa do formador, quando pretende antecipar o horário das formações.

20 comentários:

  1. Peço desculpa, mas o último ponto é de rir a bandeiras despregadas! Digam-me, por favor, como é possível ir de Oliveira de Azeméis para Castelo de Paiva e ainda conseguir almoçar? Quanto mais antecipar o horário da formação! Como se isso fosse possível!...

    ResponderEliminar
  2. Já vi coisas incorrectas neste blogue como a possibilidade de haver concurso para o IEFP que abrangisse os docentes contratados. Agora este post é escandaloso. Estive numa entrevista e conheço alguns colegas que também estiveram e nada do que aqui está corresponde ao que foi dito excepto o horário semanal.

    As deslocações, segundo me informaram, são pagas de acordo com o preço do transporte público. Caso exista transporte público compatível, o SFP reembolsa o valor do título de transporte.

    O tempo entre as deslocações não é contabilizado de forma nenhuma.

    Pode-se de facto evitar comer no caminho, se o horário for feito com muita ponderação. Contudo, sempre que de manhã se dê formação num local e à tarde noutro, terá que ser assim.

    Fico na dúvida se é apenas uma provocação no sentido de incendiar o espaços de comentários, o que pode conseguir, ou apenas má informação.

    ResponderEliminar
  3. Eu acrescento que:
    Por dia cada turma tem 7 horas de formação, por isso, é um facto que se de manhã tiver aulas num sitio e à tarde noutro a 70 km de distância, tem que almoçar durante a deslocação. Além disso há reuniões mensais de cada turma (podemos ser mais de 10 ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar


  4. E que bom colegas terem emprego! aproveitem caso contrário vão para o desemprego.

    E acham muito 40 horas?

    ResponderEliminar
  5. Para genya: Embora não tenha sido eu a redigir o post, considero relevante esclarecê-la num ponto e solicitar esclarecimentos em outros.

    Deste modo,

    a) Poderá ter visto um post cujo conteúdo poderá ter sido menos correto (do ponto de vista da informação prestada) ou mesmo com eventuais incorreções, mas que foram eventualmente corrigidas no corpo do texto ou num comentário entretanto produzido por mim;
    b) Como falou no plural, faça o favor de enumerar mais erros que tenha lido neste blogue. Dou de barato a sua existência, mas agradeço-lhe que me refresque a memória;
    c) Agradeço-lhe que refira também de que forma fez o alerta para esses erros e as correções que elaborou no sentido de me ajudar e ajudar outros colegas (e não me diga que lhe apaguei correções, pois essa é "velha");
    d) É professora do quadro e foi a uma entrevista para a presente manifestação de interesses para professores dos quadros ou foi a uma entrevista enquanto colega contratada? É que por aquilo que sei as regras são diferentes... E pela sua intervenção inicial, aposto que não será a minha primeira hipótese.

    Chega de campanha do medo. Quem vai para o IEFP sabe ao que vai. Não é por ouvir mais do mesmo que vai desistir.

    ResponderEliminar
  6. Ricardo,
    Muito bem :)
    Gostei da sua resposta e concordo totalmente com o post até porque fui esta semana a uma entrevista e este foi o tipo de resposta que obtive ás minhas perguntas.

    ResponderEliminar
  7. Sou professor do quadro de zona pedagógica e fui a uma entrevista num dos IEFP da zona norte e TUDO (ABSOLUTAMENTE TUDO) o que foi acima escrito é verdade. Foi-me dito isso e mais quando fiz perguntas sobre o que me esperava.

    Também me disseram que era natural esse tipo de afirmações de técnicos e professores contratados porque quem lá estava não queria sair e estavam iludidos com o contrato dos 3 anos, que não é de três anos mas até três anos. Se me aceitarem vou ficar.

    ResponderEliminar
  8. oscaesladrameacaravapassajunho 13, 2014 9:57 da tarde

    querem conservar os vossos lugares no iefp, façam-no sem estar a enganar e a dar ideias erradas. pode ser mau, mas pior é lidar com pessoas que falam das condições enquanto contratados mas que se esquecem que para os dos quadros é diferente. é pior... mas não tem de ser igual para os dos quadros.

    Tenham vergonha.

    ResponderEliminar
  9. Fui entrevistada em dois centros diferentes, coloquei essas questões porque tenho lido por aí muita coisa.

    Das duas uma: ou o que dizem é mentira e as vossas fontes vos enganaram ou o IEFP diz coisas diferentes de zona para zona o que me parece estranho.

    Tenho estado atenta a este convite desde o princípio e até tenho estada inclinada em aceitar apesar das condições uma vez que me permite ficar mais perto de casa. Acho é estranho dizerem umas coisas num lado e outra noutro.

    ResponderEliminar
  10. Boa tarde a todos os colegas, contratados ou dos quadros... sim, somos todos colegas. Sou professora contratada e já trabalhei no IEFP. Fui selecionada naquele concurso extraordinário que também tinha sido aberto aos colegas do quadro. Sou sincera, nenhum colega do quadro quis, na altura, trabalhar com o IEFP. Percebo perfeitamente essa escolha pois as regalias numa escola pública são sem dúvida mais apelativas. Venho, portanto, dar o meu testemunho. Primeiro devo dizer que adorei trabalhar no IEFP porque trabalhei com uma equipe formidável. Eramos muito unidos. Acabei por rescindir contrato porque fiquei colocada numa escola perto de casa. Ponderei muito e arrependi-me de ter saído do IEFP. O que os colegas contratados alertam, em relação às condições de trabalho são verídicas. Tinha de comer no carro, tinha reuniões todas as semanas, tinha deslocações, várias turmas, papelada sem fim... mas era gratificante. Adorei trabalhar com os formandos. Sei que no caso de um colega do quadro ser selecionado e aceitar o horário, não irá ser tão penalizado como um colega contratado. Vejamos logo a diferença em relação ao ordenado, continuam a usufruir da ADSE e se bem me recordo, na altura, garantiam aos do quadro, férias como se estivessem numa escola. A única diferença que um colega do quadro irá sentir é realmente as deslocações e o pouco tempo para almoçar. Eu, tinha formação das 9h às 13h num sítio e das 14h às 18h noutro. Claro que não queria que a formação da tarde começasse às 15h porque se não sairia pelas 19h. Também não poderia altera o horário porque os formandos nem sempre tinham transporte. Outra coisa que vão estranhar são as plataformas SIGO, SGFOR e outras que são bastante complicadas e que levamos algum tempo a dominar. Eu, tive a sorte de trabalhar com gente muito querido e todos ajudamos e partilhamos a nossa sabedoria, o nosso material, as nossas dúvidas. Percebo que os meus colegas contratados tenham medo de perder o horário deles mas também entendo os colegas do quadro que querem aproximarem-se de casa, com todo o direito. Mas a estes últimos, podem dormir descansados porque de uma forma ou outra têm emprego, enquanto que os contratados já não podem dizer o mesmo. Temo por nós todos, pois a educação está em ruina e nós ajudamos a que isso acontece, em vez de nos unirmos. Boa sorte a todos, contratados e do quadro, todos COLEGAS PROFESSORES.

    ResponderEliminar
  11. Dois dos pontos são totalmente falsos.
    No IEFP onde trabalho, o tempo despendido nas deslocações NÃO É contabilizado para as 40 horas, e muitas das vezes não tenho tempo para almoçar porque ando de um lado para o outro.

    ResponderEliminar
  12. Vou adorar ler os comentários dos professores do quadro, aquela espécie à parte, depois de começarem a trabalhar no IEFP.

    ResponderEliminar
  13. É verdade que se aceitarmos a colocação no IEFP perderemos prioridade?

    ResponderEliminar
  14. Sim serão prejudicados ao nível da mobilidade!!! Pouca gente tem essa noção!!!

    ResponderEliminar
  15. Colega Ju, somos prejudicados porquê? Agradecia que me esclarecesse. Uma vez que se trata de uma requisição, o vínculo ao ME mantém-se, pelo que não sei em que medida nos pode prejudicar em termos de prioridades no próximo concurso interno. Gostaria que me esclarecesse, sff.

    ResponderEliminar
  16. No IEFP onde trabalho a formação decorre SEMPRE das 9 às 13 e das 14 às 17 (com excepção das vidas activas que normalmente são até às 16). Até posso acreditar que contabilizem as horas de viagem para professores do quadro... Agora alterar horários de centenas de formandos já me parece um pouquinho lírico.

    Tudo o que têm dito sobre trabalhar no IEFP é verdade. Alguns adaptar-se-ão bem e outros não.

    Agora não chamem de mentirosos os contratados. É verdade que querem/queremos manter o lugar mas não vi NENHUMA mentira escrita.

    Trabalhei 10 anos em escolas desempenhei vários cargos leccionei profissionais, cef, piefs... E o nível de trabalho/desgaste não tem comparação.

    Apesar de tudo isto eu gosto. Alguns também irão gostar, outros nem por isso... A maior parte dos professores que conheço (independentemente do vínculo contratual) estarão no segundo grupo. Os que são do quadro sempre podem meter baixa...

    Boas escolhas.

    Cumps.






    ResponderEliminar
  17. A todos estes comentários só tenho algo a dizer:
    Os ditos "professores dos quadros que se apressam a insultar os colegas que trabalham no IEFP, apresentem-se um dia num qualquer IEFP às oito da manhã para passarem um dois dias com qualquer um dos formadores. E depois, sim, poderão dizer o que é verdade e o que é mentira. Falar, todos falam, nos blogues, nas entrevistas. A realidade é bem diferente. E o que se diz hoje numa entrevista, amanhã mudou. Porque a palavra dita, infelizmente, neste país, não vale nada.

    ResponderEliminar
  18. Antes do Concurso Extraordinário, também fui formador externo e fui dispensado para entrarem colegas contratados... Lembro que até aí os contratados nunca manifestaram interesse em trabalhar no IEFP... Sempre disse que se existissem docentes com horário 0, estes deveriam ser colocados e a minha saída seria perfeitamente aceitável numa lógica de aproveitamento de recursos...
    Ricardo Moreira

    ResponderEliminar
  19. Também já trabalhei no IEFP como formadora externa e aquilo também não é a escravidão que aqui, por vezes, é retratada. Aliás, até gostei bastante! As reuniões são como nas escolas, 1 ou 2 por período, não é assim tão exagerado.

    ResponderEliminar
  20. vivam a vossa vida e deixem os outros viver a deles!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...