quinta-feira, 5 de junho de 2014

40 mil candidatos ao concurso externo extraordinário

Cerca de 40 mil professores candidataram-se a um lugar nos quadros 

Comentário: 40 mil candidatos (que se desdobraram em 145 mil candidaturas) para 1954 vagas... Não conheço dados concretos relativos às necessidades permanentes do sistema público de educação, no entanto, não acredito que as quase duas mil vagas agora disponibilizadas correspondam efetivamente a vagas de escolas ocupadas anualmente e com horário anual (as tais necessidades permanentes).

Quanto às declarações do secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, Casanova de Almeida, receio bem que estejam repletas de "areia para os olhos" e de muita futurologia. Seria bem mais justo se juntassem as vagas deste ano e as do eventual concurso interno em 2015 num mesmo "bolo", e fizessem um concurso nacional ordinário com as mesmas, onde todos os professores pudessem concorrer.

23 comentários:

  1. Bom dia Ricardo

    "Seria bem mais justo se juntassem as vagas deste ano e as do eventual concurso interno em 2015 num mesmo "bolo", e fizessem um concurso nacional ordinário..."

    Não seria só bem amis justo, mas sim, a única forma de ser justo.
    Este concurso extraordinário é uma verdadeira aberração, onde os professores dos quadros são completamente cilindrados, perdendo a oportunidade de se aproximar das suas residências.

    Sou de todo a favor de que coloquem nos quadros o pessoal contratado que são necessiades premanentes, e isso são concerteza muitos mais do que 2000, mas não premiando os que sempre quiseram optar pelo comodismo de ficar juntinho a casa e prejudicar todos os que lutaram pela vida, deixando para trás seus lares e famílias. Refiro o meu caso que deixei, há 14 anos, a minha família e fui para MILHARES de quilómetros longe de casa para conseguir um lugar de quadro. O meu querido pai sempre à minha espera, faleceu há dois meses sem que isso acontecesse. Vem agora um concurso extraordinário que me impede de concorrer a vagas de meu interesse e às quais deveria ter direito. Isto é justiça???
    Pior do que isso é que muitos dos contratados, com graduação profissional superior a 30 (nunca efetivaram porque se acomodaram ao calor das suas residências) vão ficar à minha frente no próximo concurso, tal como já ficaram os que ficaram no concurso extraordinário do ano passado.
    Isto é JUSTIÇA????
    Por esta ordem, nunca mais conseguirei mudar de lugar de quadro.
    Estou profundamente indignado com esta siruação.
    Os sindicatos não fazem nada, vou-me dessindicalizar.
    JMM

    ResponderEliminar
  2. Mama deves querer tu seu Otário
    Eu nunca fui habituado a mama, trabalhei muito para ter e ser o quem sou.
    Depois de terminar a minha licenciatura, como trabalhador estudante, fiz o mestrado e depois o Doutoramento, ambos aprovados com nota máxima, tudo pago do meu bolso. Neste momento deveria de estar no ultimo escalão da carreira docente, ser pago de acordo com o meu grau acadêmico e antiguidade, quando estou no 3º escalão, provavelmente a receber tanto como um otário como tu.
    E vens tu falar-me de mama?

    ResponderEliminar
  3. Tristeza! ambos não sabem do que falam. Concorro a nível nacional e nunca fiquei nos quadros.

    ResponderEliminar
  4. Com um mestrado e um doutoramento talvez ficasse bem escrever "com certeza" e não "com certeza"!

    ResponderEliminar
  5. Corrijo: "... e não concerteza"

    ResponderEliminar
  6. "Tristeza! ambos não sabem do que falam. Concorro a nível nacional e nunca fiquei nos quadros."

    Caro colega
    Claro que sei do que falo. Por um acaso leu em alguma parte do meu texto "todos os contratados"? Referi "os que sempre quiseram optar pelo comodismo de ficar juntinho a casa". Isso não são todos mas alguns, generalizei, mas tenho a certeza que são muitos. Outra coisa, há quantos anos concorre a nível nacional e não conseguiu vínculo? Eu estou a falar de há catorze anos atrás...

    Caro outro colega
    "Com um mestrado e um doutoramento talvez ficasse bem escrever "com certeza" e não "concerteza"

    Embora lhe possa garantir que sei bem que se escreve com certeza e não concerteza, admito o meu erro, e peço desculpa a todos os leitores por este erro grosseiro, pois o que conta é o que está escrito e não aquilo que digo saber escrever.
    No entanto, aproveito também para dizer, que as minhas teses (mestrado e doutoramento), ambas no âmbito de uma investigação científica ao nível internacional, foram integralmente estudadas e escritas em inglês, não tendo por isso, necessariamente, de ser excelente no português.
    Mas, mais uma vez, as minhas desculpas pelo suposto erro ortográfico, no código linguístico que eu mais respeito.
    "A única pessoa que não erra é aquela que não faz nada"
    JMM

    ResponderEliminar
  7. Foi quando comecei a dar aulas. Há catorze anos atrás...

    ResponderEliminar
  8. Boa noite colegas!!!
    Por favor alguém me sabe esclarecer sobre a seguinte situação:
    um professor que teve horário zero no ano passado e se encontra noutra escola com componente letiva poderá regressar à escola de provimento se nela existirem horas?
    Eu penso que sim e até porque seria justo, pois repare-se que para além dos prof de QA encurralados há os encurraladíssimos.

    ...passo a explicar encontramo-nos numa situação em que:

    --- Não podemos concorrer às novas vagas mesmo q estejamos a centenas de Km de casa com mais de 20 anos de ensino
    --- Não podemos voltar ao lugar de provimento que é nosso
    --- e ainda corremos o risco de ver as horas q entretanto apareceram este ano na escola de provimento ocupadas por um QZP ou QA
    ---corremos também o risco de ir para a mobilidade

    PORTANTO PENSO QUE ERA DE NOS DEIXAREM VOLTAR À ESCOLA DE PROVIMENTO MESMO QUE TIVESSEMOS COMPONENTE LETIVA ONDE ESTAMOS DESTACADOS, NOS CONCURSOS ANTERIORES PODIAMOS OPTAR E AGORA ALGUÉM SABE SE ISTO É POSSIVEL?

    ResponderEliminar
  9. " Anónimo Anónimo disse...

    Foi quando comecei a dar aulas. Há catorze anos atrás..."

    Pois, lamento a sua situação, está a lecionar há tantos anos como eu. Já era hora de estar no quadro, uma vez que disse ter concorrido sempre a nível nacional. Provavelmente o seu grupo é mais difícil que o meu.

    Colega Carochinha,
    penso que sim, mas também não tenho a certeza absoluta.

    ResponderEliminar


  10. Tens um mestrado e Doutoramento? só se for a vender gelados na praia. Aparece aqui cada parvo vaidoso

    ResponderEliminar
  11. Lol
    É verdade, um Mestrado e um Doutoramento, de que muito me orgulho, e os quais vieram, sem qualquer dúvida melhorar as minhas qualidades como docente.
    A inveja é terrível não é? Ou é complexo de inferioridade?
    É estranho, porque eu sempre que olho para alguém com nível academico superior ao meu, olho-o sempre com respeito e admiração, e mais do que isso, estou sempre antento para ver o que posso aprender.
    É essa a diferença entre nós. Não há muito mais a dizer.
    :)
    JMM

    ResponderEliminar
  12. Gostava de sublinhar, aliás, de GRITAR, que há grupos que não disponibilizam lugares para vínculo HÁ ANOS, mesmo concorrendo para LONGE!Por favor, parem de culpar os que não têm culpa desta situação. Estamos todos mal por variadíssimas razões, que nos ultrapassam e nada podemos fazer!!

    ResponderEliminar
  13. Pois, eu sei disso e estou solidário com todos os colegas que estão nessa situação. Mais do que colegas, tenho muitos amigos que andam assim há anos. Ao longo dos meus 14 anos de serviço, tenho participado em várias lutas a favor dos colegas contratados. Embora o meu grupo disciplinar seja dos que têm mais vagas, eu só estou no quadro, porque não fui só para longe, mas sim para muito longe de casa, para os Açores. Só eu sei o que custou estar estes anos todos longe de tudo e sem sequer ter a possibilidade de ir a casa quando quero. Custou-me muito caro.

    ResponderEliminar


  14. Estivestes sempre longe de casa? coitado, fiquei mesmo com pena ti.
    E mesmo assim depois de tudo isso ainda mantens o matrimónio? se sim és um herói mansinho

    ResponderEliminar

  15. Trabalho nas AECS com horário de 9 horas semanais, a minha pergunta é a seguinte: terei direito ser avaliada?


    Agradeço do coração resposta

    obrigado

    ResponderEliminar
  16. Não preciso que um desgraçado fique com pena de mim. Guarda as penas para a tua infelicidade. Coitado é corno,e isso tenho a certeza que não sou. Tenho a mulher mais honrada do mundo e um filho que é a minha cara com a minha inteligência mais a da minha soberba esposa, por isso sou feliz.
    Mais pena posso eu ter de ti pela pobreza de espírito que demonstras ter. Mas também não é algo que me surpreenda muito e que não esteja habituado a ver todos os dias, infelizmente, é tambem uma das grandes causas de como está o ensino. Com energúmenos assim....

    ResponderEliminar
  17. Não preciso que um desgraçado fique com pena de mim. Guarda as penas para a tua infelicidade. Coitado é corno,e isso tenho a certeza que não sou. Tenho a mulher mais honrada do mundo e um filho que é a minha cara com a minha inteligência mais a da minha soberba esposa, por isso sou feliz.
    Mais pena posso eu ter de ti pela pobreza de espírito que demonstras ter. Mas também não é algo que me surpreenda muito e que não esteja habituado a ver todos os dias, infelizmente, é tambem uma das grandes causas de como está o ensino. Com energúmenos assim....

    ResponderEliminar


  18. Eu me referi a nada do que afirmas, mas se gostas de falar nisso continua.

    E já agora se voltas para os bancos da escola

    ResponderEliminar

  19. Vê se voltas para os bancos da escola, aprender a falar educadamente, e já agora também a escrever

    ResponderEliminar
  20. Que tristes comentários... que ganha a classe com isto?

    ResponderEliminar
  21. É triste verificar que neste concurso saem beneficiados alguns que, durante anos a fio, só concorreram para escolas perto de casa, sem nunca arriscarem ir para longe. Alguém os sustentava e lhes pagava o pão, por isso não apostaram a sério numa carreira.É verdade e é muito injusto perante os que andaram por tão longe, movidos pelo desejo de serem docentes do Quadro sem olharem a facilitismos, dando tudo por tudo.
    Estou a dois anos da reforma (como eu lutei e trabalhei longe de casa para conseguir entrar em carreira!) e também me entristece o modo e a linguagem nada dignificantes que alguns aqui utilizam. Não é próprio de um Blog de professores e só lhes fica mal pelo retrato que dão a toda uma sociedade. Desejo a todos Boa Sorte e àqueles que amam o Ensino deixo a mensagem de que não desistam de concretizar o vosso sonho.

    ResponderEliminar
  22. Todos gostam de falar do que não sabem... Eu dou aulas há quase vinte anos, quase sempre longe de casa, porque vivo numa aldeia pequena e há poucas escolas perto da minha região de origem. Já corri o Alentejo interior, Lisboa e margem sul do Tejo, sempre a mais de 150 km de casa e tenho 3 filhos, um marido e uma mãe dependente. Tudo isto leva-me a lutar sempre para que nada falte em casa, apesar do meu sacrifício anual em prol de uma profissão enriquecedora. Custa-me imenso ler as críticas que fazem aos professores contratados que poderão beneficiar desta vinculação extraordinária. No meu grupo há anos que não colocam ninguém nos quadros e tenho estado quase sempre longe de casa e da família se quero trabalhar. As vagas que surgiram são para esta vinculação, porque surgiram para isso, após um concurso nacional que se realizou no ano passado. Informo que a minha vaga e a dos meus colegas contratados que ficamos na mesma escola, onde só existe um professor efetivo no nosso departamento, que é o nosso coordenador, surgiu da desistência de professores do quadro que lá ficaram colocados e não aceitaram. Não percebo tanta raiva e má vontade. Nós merecemos entrar para os quadros e ficar nestes horários, temos lutado para o conseguir, com muito sacrifício pessoal e familiar. Por isso agradeço que nos poupem aos vossos comentários desagradáveis.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...