quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Guia da prova de conhecimentos e capacidades

É inegável o sentimento de revolta que os colegas contratados sentem em relação a esta prova... Mas não só. Atrever-me-ia a escrever também que este sentimento é partilhado por toda uma classe que se mostra mais uma vez incrédula por mais uma medida incompreensível, principalmente quando aplicada a docente com vários anos de serviço.

No entanto, e enquanto aguardamos pelo desfecho em tribunal de eventuais ações interpostas pelos sindicatos e por outras ações que possam surgir (espero que suportadas no coletivo e não individualmente), a dúvida que surge é:

Mas afinal o que vai ser efetivamente avaliado?

Bem... Podemos supor. Mas para já se alguém sabe, não divulga. Mas esta indefinição não irá demorar muito. De acordo com o Decreto Regulamentar n.º 7/2013, de 23 de outubro, a "realização da prova é publicitada pelo IAVE, I.P., mediante aviso publicado na 2.ª série do Diário da República e na respetiva página eletrónica".

Uma vez cumprida a formalidade anteriormente referida, e até cinco dias úteis após a publicação do aviso, é divulgado na página eletrónica do IAVE, I.P., um «Guia da Prova», que contém as normas práticas do seu processo de realização.

E o que irá constar deste Guia? Segue a lista:


Só quando surgir este guia é que poderemos constatar o grau de desvario deste Governo... Enfim.

50 comentários:

  1. Após ter lido tudo o que constava sobre essa famosa prova, restou-me uma dúvida, que creio, não ter resposta. Estou grávida e está previsto nascer a criança a 12 de dezembro, no entanto poderá ser mais tarde, inclusive poderia ser dia 18. A minha pergunta é, como fazer neste caso? Se eu estiver em trabalho de parto no dia do exame, como é? Se estiver em licença de maternidade como é? Existe segundas chamadas para quem está de baixa ou doente?
    Isto é tudo uma vergonha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a Paula ainda pensa fazer a prova? Mas para ingressar em que carreira? Não está a ver que só nos querem roubar mais? Desrespeitar e enxovalhar mais? Também estou grávida vida e a minha dpp é dia 21 de dezembro e pode ser antes! Pela minha dignidade, pelos meus valores e pela dignidade do meu filho não farei prova nenhuma!

      Eliminar
  2. Ricardo:
    Obrigada por estares sempre do nosso lado e por nos compreenderes!
    O meu desânimo é muito grande :(

    ResponderEliminar
  3. Esta prova é uma humilhação para nós. Há paises onde os profs fazem uma prova identica. mas é quendo saem das universidades, não é a profs com 10 e mais anos de serviço.Trabalho há 14 anos e lebraram-se agora de me pôr à prova agora para ver se sirvo ou não sirvo...... por favor!!!!

    ResponderEliminar
  4. Ainda não consegui compreender qual é a finalidade da prova. Para selecionar os melhores professores, de certeza que não é, pois não é uma prova que vai dizer que em 10 anos de serviço não soube dar aulas nem aprendi. Será eliminar do sistema para o MEC não ter um número tão grande de desempregados? O nosso país que era um "paraíso" agora está um nojo. Os professores é que andam sempre na "baila". Isto é muito revoltante.

    ResponderEliminar
  5. Mas ninguém faz nada!Eu não vejo nenhum movimento, nenhuma manifestação para parar com esta loucura!Mas ninguém consegue parar es(des)governo!Que são uns atrasados mentais!

    ResponderEliminar
  6. Isto só serve para não ter um número tão grande de desempregados, é por causa das estatísticas. Mas agora são os professores contratados e para o ano os do quadro. Aguardem para ver.

    ResponderEliminar
  7. Confesso que tudo isto é a maior palhaçada que já vi em toda a minha vida no que concerne ao Ministério da Educação. É um crime o que está a propor, veja-se que está a colocar em causa todo o trabalho dos profissionais de ensino, desde as Universidades, Estágios pedagógicos, anos de serviço, as especialidades tudo; como se tudo fosse burro, ignorante ou incapaz de levar acabo as suas tarefas. Ensino em Alerta Vermelho. É momento de DIZER NÃO. NÃO E NÃO. Ninguém tem que prestar provas, coisa nenhuma, as provas já foram feitas, e dezenas, desde a Universidade e tanta formação. E que mais querem? Chulice! Roubar os professores... só pode, inventar medidas absurdas para usurpar dinheiro assim às descaradas, veja-se 20€ a multiplicar por 30 000 docentes desempregados e mais 15€ pelas especificidades... não tem como aceitar isto. Desculpem, mas é a maior aberração, o maior crime que agora se está a cometer. E tudo pacífico? Como é? Afinal que País temos? O que é isto? Chega. Chega. Vamos pagar para trabalhar? Como é? Isto não pode passar daqui. STOP. Já massacraram tanto os professores. Eu desempregado com este dois anos. Então? Como é? Antes tinha sempre colocação e agora já não presto? Afinal o que é tudo isto? O que fazer? Expliquem e não roubem inventando tretas a seu favor. Fora com esse sistema. Acordem por favor. ACORDEM.

    ResponderEliminar
  8. Para que tanta preocupação com o que sai ou deixa de sair nesta prova???? não entenderam ainda que temos de nos unir e ninguém mas ninguém mesmo fazer a prova e ai queria ver como o nosso ministro da treta descalçava essa bota!!!

    ResponderEliminar
  9. Não deixa de ser lamentável e simultaneamente curioso que até ao momento, nenhuma Universidade/Instituto Superior de Educação se tenha insurgido contra esta medida. Por que será? Serão eles os escolhidos para elaborarem a prova ou corrigi-la (durante os vários anos)? Poderão eles vir a receber parte do dinheiro arrecadado? Será que desta forma vão conseguir manter os postos de trabalho dos seus docentes?

    ResponderEliminar
  10. Concordo com o Sérgio... ninguém deveria fazer esta prova. Precisamos unir-nos mais que nunca...

    ResponderEliminar
  11. E quem está nas Ilhas, nessa data ainda estamos a realizar os conselhos de turma, como fazemos a prova? Há 2ª chamada?? Além da aberrante provada temos a incompreensível data.

    ResponderEliminar
  12. Cansada de tudo isto... cansada. Sou efetiva há muitos anos, mas sempre demasiado longe para algum dia ter sentido o que é ser efetiva. Tudo isto me está a corroer. Colegas do quadro, por favor, não deixem que uma coisa destas avance. Se os tribunais não impedirem este desvario, estará novamente nas nossas mãos.

    ResponderEliminar
  13. http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=C1TTE13MDho

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde,
    Também questiono os colegas contratados que estão colocados e, apesar de não necessitarem de aprovação, têm que se apresentar à chamada da prova, num período de avaliações. Os contratados são mesmo pau para toda a obra. Dar aulas, avaliar, estudar, fazer exame, ... e ainda pagamos!!!!

    ResponderEliminar
  15. Boa tarde,
    Também questiono os colegas contratados que estão colocados e, apesar de não necessitarem de aprovação, têm que se apresentar à chamada da prova, num período de avaliações. Os contratados são mesmo pau para toda a obra. Dar aulas, avaliar, estudar, fazer exame, ... e ainda pagamos!!!!

    ResponderEliminar
  16. quantos é que se vão dar a esse VEXAME?! Ficam aprovados, gastaram cerca de 50€ e no fim de toda essa FARSA ficam novamente no...DESEMPREGO! Comigo não contam!

    ResponderEliminar
  17. Depois de 15 anos ser humilhado perante família, amigos....por ter chumbo nesta prova, ainda me suicido!

    ResponderEliminar
  18. Acho uma TRISTEZA haver colegas preocupados com o que sai ou deixa de sair e como vão fazer se estão grávidas ou em reuniões!

    Uma TRISTEZA!

    Se fossemos da facto unidos, ninguém lá punha os pés.

    Somos uns lorpas. Uma carneirada que vai dar dinheiro para estes fdgp.

    ResponderEliminar
  19. Ora bem...Caro Miguel Castro, se acha que o facto de estar grávida e preocupada com a situação, é que é uma vergonha, deixe-me dizer-lhe o que vai acontecer...O mesmo que a ADD. Todos diziam que não iam pedir aulas assistidas, e o que aconteceu? Preciso mesmo responder? Ora sim, estou preocupada. Toda a gente sabe que há "alguém" que vai fazer esta prova e vai sair de lá radiante. Serão os meninos bonitos do Psd e os que terão acesso à bela da prova. Ou tem dúvidas? E sim, continuo sem perceber como vou fazer...Espero mesmo que os que tanto dizem que não se deve fazer a prova ou greve ou sei lá que mais, mantenha essa posição. Continuo sindicalizada e em luta. E você?

    ResponderEliminar
  20. Tenho vinte anos de tempo de serviço e estou no desemprego.
    Fazer uma prova para continuar no desemprego é caricato.
    E quem vai avaliar a minha prova?
    Um colega efetivo do quadro de escola, com menos graduação e com o Bacharelato? ~Já não basta corrigirem as 600 provas dos alunos, por período e agora avaliarem os colegas.

    ResponderEliminar
  21. A questão é só uma... não se faz a prova e ponto final. Prova???? Isto é algo complemente estúpido. Eu não farei e assumo as consequencias do meu ato... não alinho em mais (des)governos fúteis e incompetentes....

    ResponderEliminar
  22. Boa noite!!

    Realmente, não há palavras para descrever que sinto ao ler tudo isto.... surgiu-me uma dúvida!!!

    Para quem está a trabalhar nas AEC, temos que fazer na mesma a prova?

    ResponderEliminar
  23. 1- Não sou otário, nem me dou a papeis destes. Não vou à prova e ponto final.

    2 - Licenciei-me, mestrei-me e doutorei-me numa universidade pública. Ainda preciso de fazer prova? Só se fosse estúpido e não me sujeito a que façam de mim otário.

    3 - Quem vai corrigir a prova, não pensem que são colegas do quadro. Obviamente que serão os Srs. professores do Ensino Superior. A prova também será realizada em Institutos Superiores. Como é óbvio não serão feitas em Escolas... eles não andam a dormir.

    4 - Crato és um verdadeiro NOJO.

    5 - Não, garanto que não vou à prova e se fosse era para lá escrever: "Vão para a G. P. Q. V. P."

    ResponderEliminar
  24. Muito bem!
    Aqui está uma dúvida de extrema importância e pertinência, neste momento!

    Será que os AEC´s também têm que fazer a prova??!

    Isto é que é a verdadeira união da classe.

    ResponderEliminar
  25. Os que pensam fazer a prova estao iludidos, mais tarde ou mais cedo vao deitar-se na cama que estao a fazer...
    Temos que nos unir e defender a todo o custo a nossa dignidade.
    Basta! Isto e tratarem-nos como autenticos palhaços. Palhaços sao os nossos governantes com diplomas duvidosos, esquecem-se que nem todos sao como eles. Nao. Basta! Formei-me numa universidade publica, e agora tenho que fazer uma prova pata provar o que? Sera o meu diploma uma farça? E a pos graduaçao? Ja paguei propinas para estudar, agora tenho que pagar para trabalhar? Como diz a Deolinda - Isto contado, ninguem acredita. Tenham vergonha na cara.

    ResponderEliminar
  26. Eu não pago prova nenhuma. Quem tiver dignidade e princípios não põe lá os pés. Contratado a 12 anos e agora no desemprego.

    ResponderEliminar
  27. Este e um marco na historia do ensino em portugal. O ano em que os professores sao perseguidos, explorados e ridicularizados. Qual e a força do povo portugues?

    ResponderEliminar
  28. É assim os professores dos quadros não os conseguem eliminar do sistema portanto uma forma de acabar com os professores contratados é com esta prova. Acordem...

    ResponderEliminar
  29. Somos avaliados todos os anos (mais de uma vez por ano) para quê? Quem ouve o governo parece que os professores são uns ricos que têm férias enormes e levam o país á falência... O governo faz de tudo para por a população contra os professores contratados e para humilhar os mesmos em praça pública...
    Estou a dar aulas e a receber menos que o salário mínimo e pedem para dar no total 50 euros. Para o governo .l.

    ResponderEliminar
  30. Colegas concordo que ninguém faça a prova. Muitos de nós já demos prova do nosso trabalho e o MEC sempre nos utilizou ao seu belo prazer. Escolhe-nos pela graduação fazendo uso da nossa experiência e da nossa classificação final. Depois paga-nos como se tivéssemos um ano de serviço. Agrava-se quando nos dão horários temporários e que são anuais, para não nos pagarem o mês de agosto e não termos anos completos. Agora a prova... Cada hora que passa sinto mais o desespero. Se não fizer a prova, para o ano não poderei concorrer! Muitos chamar-me-ão inúmeros nomes mas a verdade é só uma necessito do meu salário. Os próprios sindicatos não nos defendem. Proponho antes que ninguém se inscreva! Nesse caso também não me irei inscrever.

    ResponderEliminar
  31. BOICOTE ABSOLUTO! NINGUÈM PODE INSCREVER_SE NEM REALIZAR QQ PROVA SE TEM UM OU MAIS DIPLOMAS Q ATESTAM A SUA HABILITAÇÃO PROFISSIONAL E AINDA MUITOS ANOS DE SERVIÇO APÓS ESTA MESMA PROFISSIONALIZAÇÃO!!! ESTAS CERTIFICAÇÕES NÃO FORAM INVALIDADAS!!! É UMA LOUCURA ALGUÉM SUJEITAR-SE A ISTO... SUJEITANDO-SE à POSTERIORI QUE LHE DIGAM Q NÃO ESTÁ APTO A ENSINAR...PENSEM BEM NISTO!!!

    ResponderEliminar
  32. Estou sem colocaçao ha dois anos, ja nao recebo subsidio e nao vou pagar para fazer a prova. Atençao! Tenho filhos para sustentar mas nao me sujeito a tal humilhaçao. Nao pago. Nem me vou inscrever. Com vinte euros compro dois pacotes de fraldas em promoçao no Pingo Doce. Vao explorar outro.

    ResponderEliminar
  33. Esta prova é uma forma de retirar as licenciaturas a profissionais que pagaram anos de propinas. Algo nunca visto.
    Se isto for concretizado será necessário recorrer e pedir altas indemnizações em tribunal. Se o professor ficar inibido de concorrer não poderá fazer uso da sua qualificação, legalmente conseguida. Essa situação não é democrática porque os outros grupos de profissionais licenciados nunca ficam com a sua licenciatura suspensa por anos indefinidos. Não pode ser legal um licenciado fazer uma prova para aceder a uma profissão à qual já tinha acedido ... grande nó no cérebro do ilustre CRápula
    E as Universidades não dizem nada? São só os contratados avaliados? e os profissionais das outras áreas?

    ResponderEliminar
  34. Boa noite! Só me resta dizer o seguinte: INTERNEM ESTE DESMIOLADO DESTE MINISTRO Ah e também os colegas que a querem ir fazer!!!!

    ResponderEliminar
  35. Não vou fazer e tenho pena/nojo de quem a faça. TEMOS DE SER UNIDOS...

    Hugo Santos

    ResponderEliminar
  36. Os entendidos já diziam e dizem: Quando a lei for iníqua, não se obedeça à lei". Não cumprem com as leis com os cidadãos: Caducidades de contrato, congelamento de salários, etc.Mas quando se trata de alguma mesquinhice de algum atrasozito em algum pagamento à Segurança Social ou coisa parecida estão logo a ferro e fogo connosco e com ameaças de penhoras e juros e mais juros. Raisparta tanta incongruência junta!! Tanta falta de Respeito!! Um país que trata a educação e os seus professores deste modo; Bem! está tudo dito!! Prova ?? Quê? e como se não bastasse tamanha afronta à dignidade docente, ainda nos obrigam a pagar a bala!! Cruzes, Abrenúncio!! Isto bateu mesmo no subsolo!! Isto é repugnante demais!!

    ResponderEliminar
  37. E já se sabe quem as vai corrigir?
    Professores universitários??

    ResponderEliminar
  38. Sou professora há 29 anos e já desisti de achar que nada mais me surpreenderá no desvario da Educação. Suspeito que ainda tenha de me surpreender muitas outras vezes até à malfadada aposentação que está cada vez mais longe.
    Esta prova e tudo o que a rodeia é inqualificável!
    Não sei quem a fez, não sei quem a vigiará, não sei quem a corrigirá. Mas uma coisa eu tenho como certa:jamais me verei envolvida neste processo, nem por convocatória. Fico tão nauseada quando penso nisto que, se me visse requisitada para tal, adoecia logo, com certeza! Tenho a felicidade de não estar doente e não ter de faltar há anos, mas se alguma vez me requisitarem para esta palhaçada (duvido!), faltarei dê por onde der.
    Tenho muitos colegas, professores do quadro como eu, que garantem o mesmo. Infelizmente, desconfiamos que todas as tarefas recaiam sobre o Ensino Superior e sobre aqueles que o MEC insiste em preservar no sistema, quando a qualidade dos cursos é posta em causa e o preenchimento das vagas uma miragem.

    ResponderEliminar
  39. Eu já decidi desde o momento em que se começou a falar deste assunto:

    EU NÃO FAÇO PROVA NENHUMA!!!

    Venha quem vier, diga quem disser...

    se for a uma empresa a uma entrevista e o empregador quiser testar as minhas competências para a função também me vai submeter a uma prova paga? E depois dá-me o pontapé no traseiro?

    EU NÃO FAÇO PROVA NENHUMA!!! Tenho dito. Quem a quiser fazer, fica à consciência de cada um...

    Ana Rita

    ResponderEliminar
  40. É muito triste verificar que ninguém nos ajuda!

    Os sindicatos o que estão a fazer?
    Os colegas dos quadros também não querem ser solidários connosco? Já ouvi dizer que esta poderá ser alargada aos efetivos e que será uma forma do MEC se "livrar" de muitos professores do quadro! Vamos ver se a prova também não lhes baterá à porta...

    ResponderEliminar
  41. Já ouvi "colegas" que estão nos quadros a acharem bem esta prova. Os colegas dos quadros que se riam dos contratados porque para o ano vamos nós contratados rir-nos deles. Agora é para os contratados, mas a seguir será para os dos quadros.

    ResponderEliminar
  42. Ao ler as dúvidas egoístas de alguns colegas sobre a prova consigo compreender o Nuno Crato. Com professores deste tipo é claro que este senhor faça o que quiser. Eu só posso falar por mim e assim sendo: não faço a prova porque me considero uma professora competente e super profissional. Por amor a esta profissão NÃO FAÇO A PROVA! é simplesmente uma questão de respeito. Espero superar a desilusão que sinto ao ler alguns comentários, tenho muita pena dos colegas que se questionam sobre a prova. O Crato nunca vai decidir a minha vida... sou bem melhor do que ele!

    ResponderEliminar
  43. Andam a brincar... se nenhum de nós a realiza-se queria ver onde é que eles colocavam a prova...
    Não vou fazer prova nenhuma! e todos deveriam fazer a mesma coisa.
    Nem no circo devem ter lugar para esse senhor...

    ResponderEliminar
  44. Só para que saibam. Há professores de português de secundário que já foram contactados para corrigir exames... E há escolas que já não estão a marcar reuniões para esse dia por causa da prova.

    ResponderEliminar
  45. Alguém sabe se os professores com habilitação própria têm/podem fazer exame?

    Obrigada

    ResponderEliminar
  46. bom dia..
    apesar de tudo, e de eu nao estar de acordo com a prova, alguém pe sabe informar como nos inscrevemos?

    ResponderEliminar
  47. Boa noite,
    apesar de não concordar com esta palhaçada, gostaria de saber se eu nunca tendo ficado colocada, mas tendo tempo de serviço e AEC'S, e concorrendo todos os anos para contratação, também tenho que fazer exame.

    ResponderEliminar
  48. quem é o autor do blogue?
    pelas respostas só são publicados os analfafetos do fenprof.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...