domingo, 19 de maio de 2013

Frase do ano letivo de 2012/2013

" Não houve despedimentos, o que houve foi redução de contratações"

Sejamos claros foram 15 mil reduções.

9 comentários:

  1. Ministério condenado a admitir professores da Madeira outra vez

    http://www.noticiasaominuto.com/pais/74545/minist%C3%A9rio-condenado-a-admitir-professores-da-madeira-outra-vez#.UZkF9bW-ly0

    ResponderEliminar
  2. quando serão eles os das reduçoes?

    ResponderEliminar
  3. Lamentável essa afirmação.
    Quer dizer que, cuspir para fora do sistema, quem foi explorado durante anos, não é DESPEDIMENTO?
    Estamos a falar de docentes que foram necessários ao sistema, alguns durante quase 2 décadas...
    Não há palavras para esta desumanidade relativamente aos contratados. Depois de darem o couro durante anos, acabam connosco e ainda proferem afirmações destas... como se estes docentes nunca o tenham sido.
    Vão para onde, agora???? não têm família? não têm despesas? não precisam de trabalhar para viverem como os que tiveram a sorte de outrora terem adquirido um vínculo?
    Dos sindicatos nem uma palavra, mais uma vez

    ResponderEliminar
  4. Estes tipos mereciam era um tiro!

    ResponderEliminar
  5. Concordo, e muito com as suas palavras, anónimo das 8:48.
    Para este bando de escumalha, os contratados são como as fraldas descartáveis.
    Lamentável o silêncio dos sindicatos!

    ResponderEliminar
  6. É hora de união, contratados, QZPs e do Quadro estão todos no mesmo barco, são todos professores e por isso só há uma solução, GREVE TOTAL a partir de 11 de junho, por tempo indeterminado!

    Condição para ceder no recuo da paralização:

    Não há mais despedimentos de professores, sejam eles contratados, QZPs ou do Quadro.

    Coloquem-se 20 alunos por turma, 20 aulas semanais de 50 minutos por professor e horas de redução em número suficiente para o exercício das milhentes funções inerentes a uma escola, direção de turma, PAA, avaliação da escola, gestão informática, etc., etc.

    Desta forma é possível fazer um trabalho sério nas escolas, melhor a qualidade das aprendizagens, a disciplina, e valoriza-se a escola pública.

    Qualquer outro caminho visa a sua destruição, é disso que se trata a destruição da escola pública!

    Compete-nos a nós professores, pais e alunos evitar que tal aconteça!

    LC

    ResponderEliminar
  7. O que mais seria de esperar de um ministério entregue ao CDS/PP, que tem como ministro um fanático agrrado a meia duzia de ideias pré-concebidas sem qualquer fundamento?

    De uns sindicatos que, tal como o ministério, se estão a "borrifar" para os contratados?

    Um tiro naquela aberração seria pouco.

    ResponderEliminar
  8. Em qualquer país do mundo, uma não renovação de contrato é um despedimento.

    Só em Portugal é que não. Somos um país muito diferente e único. Que maravilha vivermos num país sem igual!
    Viv...Portugal...!

    ResponderEliminar
  9. Claro, contratado não se despede, despeja-se como o lixo. Afinal é assim que nos tratam a maior parte das vezes.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...