quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Sobre a prova de acesso, parte II

Aqui relembrei o que o ECD dizia sobre o assunto, mas como parece que ainda existem dúvidas sobre a finalidade da prova, vou relembrar o que diz o DR 3/2008 com a redação dada pelo DR 27/2009.

Artigo 2.º
Âmbito pessoal
A prova destina-se a quem, sendo detentor de uma qualificação profissional para a docência e não tendo ingressado na carreira docente, pretenda candidatar-se ao exercício de funções docentes nos concursos de selecção e recrutamento de pessoal docente da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, num dos grupos de recrutamento previstos no Decreto-Lei n.º 27/2006, de 10 de Fevereiro, no âmbito dos agrupamentos de escolas ou escolas não agrupadas do ensino não superior na dependência do Ministérioda Educação.


E para quem não percebeu o discreto aviso que coloquei no texto anterior, vou ser um pouco mais directo. Alterações a existirem (e algo me diz que vão existir) serão principalmente a nível das dispensas.

25 comentários:

  1. Contratados e dos Quadros vão pentear macacos para o deserto...

    ResponderEliminar
  2. Pois, eu também receio que as alterações se verifiquem sobretudo ao nivel das dispensas. Vai ser uma loucura.

    ResponderEliminar
  3. Desculpa a pergunta! ao nível das dispensas (o que significa?). Agradecia esclarecimento.

    ResponderEliminar
  4. Assim sendo, todos os contratados têm de fazer a maldita prova para concorrer...fazemos uma vez e nunca mais??ou todos os anos??estou a ficar burra...

    ResponderEliminar
  5. Podem fazer um post de apostas para os anos de serviço dos que serão dispensados...Um post só para as apostas. :)

    Jake

    ResponderEliminar
  6. Desculpem lá.. continua sem perceber... Todos os Contratados têm de fazer esta Prova ou apenas ou Professores que nunca deram Aulas? Apenas ou Professores que terminaram o Curso agora? Continuo sem perceber..

    Paulo Freitas

    ResponderEliminar
  7. Todos sabemos que esta prova não dá acesso nenhum à carreira, porque o ingresso nos quadros há muito que está vedado aos contratados. Por isso, é de estranhar que a história da prova aparece agora. Só há uma explicação que se relaciona com o elevado abandono do ensino superior. Na falta de alunos, os professores deste nível de ensino vão passar o tempo a fazer e a corrigir as ditas provas.

    ResponderEliminar
  8. An prova de ingresso á carreira é tão útil como as cassetes vhs á venda nas montras daquelas mercearias que cheiram a mofo! Não serve para nada, nem para ninguém quando não há lugares de quadro para concurso. Pelo contrário ainda estão a mandar profs. QA para o desemprego! Vão enganar meninos!

    ResponderEliminar
  9. Se o Sr. Ministro acha que é um exame que testa quem são os bons e os maus (para que servirá a avaliação de desempenho?!?) então qualquer pessoa do mundo civil, até com o 12º ano, se poderá sujeitar a esta prova. Se passar, está apta a leccionar.

    Só entendo esta prova à saída dos cursos, melhor, só a entedenria mesmo se fosse feito o exame de conhecimentos à entrada. Mas isso era capaz de correr mal às Instituições de Ensino Superior e lá se ia o financiamento...

    ResponderEliminar
  10. Miguel castro disse e bem...eu digo:
    mas vamos a 1 exemplo, as perguntas podem ser do tipo, como reagiria se o aluno x o tentasse agredir?
    a)como a situação não é real batia-lhe
    b) consultava o manual “boas maneiras para reagir”
    c) se passar na prova de acesso ou na de ingresso com certeza vou saber atuar, uma vez que estou apto a locionar

    ResponderEliminar
  11. Muitas preocupações e tinta hão de escorrer e na realidade ainda não há ninguém que saiba nada em concreto. Aguardaremos em sossego que a seu tempo lá teremos a sentença.

    ResponderEliminar
  12. Então o rio Mondego desagua no mar ou nasce no mar e sobe à serra da Estrela.
    Então os militares são 1 militares e só depois fazem as provas de acesso e posteriormente a recruta.
    Só na classe politica é que existe algo semelhante, aprendem a roubar e depois são ministros e deputados.
    Então a prova realiza-se antes de entrar para a faculdade ou depois de gasto tempo e dinheiro é que dizem…não prestas

    ResponderEliminar
  13. Acho q este senhor está a precisar é de (agora vou falar em bom português, peço desculpa) uma carga de pancada, onde a desumanidade já chegou!!!! Claro está q os amiguinhos passam todos e ficam automaticamente efectivos, os burros q se esfalfam e acima de tudo dedicam-se, esse chapéu, temos pena!!! Agora percebo pq é q os filhos deste ministro até o 1º ciclo fizeram lá fora!!!!! Governo de merda!!!!

    ResponderEliminar
  14. venha a prova...
    devo ser um dos contemplados com a dita, mas isso, a mim, não me preocupa absolutamente nada...

    ResponderEliminar
  15. Quem devia fazer uma prova era o Crato que nem conhece o currículo do ensino básico e secundário.
    Isto é que estamos num País governados por loucos.

    ResponderEliminar
  16. Talvez os contratados se unam e façam uma prova ao governo.
    Onde está a vinculação ao fim dos 3 anos de contrato?

    ResponderEliminar
  17. Concordo com a prova, já que tem de haver uma filtragem à saída das univ e uma "nivelagem" das notas de saída. Não concordo com o conteúdo da prova, se questionam a um prof de mat ou biologia perguntas especificas de português, devem questionar os profs de portugues acerca da aplicação do teo de pitágoras ou de qual é o filo dos cogumelos. No entanto, a ahaver prova, algo terá de ser mudado nos concursos, parece-me que teremos novidades radicais nesse sentido. A prova de acesso já existe em vários países como, por exemplo, em espanha, onde os concursos sao mt diferentes....

    ResponderEliminar
  18. ai
    mas aqui a questão não será o Quadro ( o ingresso no Quadro), do que interpreto do destaque dado pelo Advogado.

    A questão é haver uma prova para se concorrer para a Contratação...

    Não é?

    Afnal o Concurso de Contratação é de "seleção e recrutamento de pessoal docente".

    Quais quadros? Só se forem os das paredes.

    Jake

    ResponderEliminar
  19. anónimo da 7:00:és o único que diz alguma coisa com fundamento e aceitável.Quanto aos outros, não especulem tanto!Não dêem ideias!Não cavem o vosso próprio buraco!

    ResponderEliminar
  20. Bem, mas, pelo que percebi no artigo 4.º , quem ainda não exerceu funções (está a terminar a formação) não faz prova de acesso...

    ResponderEliminar
  21. anónimo das 7:51:por amor de Deus!Quem está a acabar o curso não é professor pois não?Tantos problemas de interpretação!

    ResponderEliminar
  22. No fundo é sempre isto...novembro 19, 2011 10:36 da tarde

    Como funciona o capitalismo: primeiro foge-se ao fisco e transfere-se esse dinheiro para off-shores. Depois já fazemos parte daquilo que se chamam os mercados, ou seja já temos dinheiro para investir em especulação. Podemos tambem investir em negocios à base de mão de obra barata, deslocalizando capitais para países mais pobres. Podemos tambem usar o dinheiro para corromper os políticos, lesando estados. O resultado destas acções é o desvio de cada vez mais dinheiro para fora da economia, engordando a nossa condição de investidores (mercados).

    ResponderEliminar
  23. penso que em tempo de crise,continuam a massacrar os mesmos...a tortura continua;
    vai sendo é tempo de deixar trabalhar
    os profs e de possibilitar aos alunos do publico sucesso.
    continuamos na mesma,comem-nos vivos e torturam-nos até ao tutano.

    ResponderEliminar
  24. Somos mesmo um povinho! Agora tiram tudo; carreiras congeladas, subsidios, prova de acesso... daqui a uns anos há falta de professores e começam a dar tudo de forma desmedida e completamente absurda. Há alturas que tenho vergonha de ser português.

    ResponderEliminar
  25. Onde é que está escrito que esta prova é para podermos aceder aos quadros? pelo que eu li aqui a prova destina-se a quem "pretenda candidatar-se ao exercício de funções docentes nos concursos de selecção e recrutamento de pessoal docente" a prova é para quem quer exercer a profissão de docente e apenas para quem a pretende exercer no ensino público.

    No PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL tb se pode ler:
    "Uma selecção inicial de professores que permita integrar no sistema os mais bem preparados e vocacionados designadamente através da realização de uma prova de avaliação de conhecimentos de acesso à profissão". Ou seja, parece-me que a prova é para quem quer aceder à profissão, é para quem vai entrar no sistema e não para quem pretende efectivar, logo não faz sentido nenhum os contratados que já exercem a profissão, alguns há mtos anos, realizarem esta prova.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...