terça-feira, 22 de novembro de 2011

De acordo...

A imagem que coloco ao lado foi furtada do blogue "Demo Crato". A Moriae coloca um questão neste post que considero relevante e que passo a transcrever:

"Porque é que o incentivo à greve tomou um carácter tão agressivo? O que se ganha com isso?(...)"

Respondo eu: Provavelmente ganham-se mais umas desistências de greve... Estes tipos de "avisos", assim como determinadas tipologias de piquetes e de pressão de grupo costumam ter o efeito contrário ao pretendido.

Agora a sério. Não é pelo conteúdo de uma determinada imagem ou por ler páginas e páginas de argumentos que alguém vai decidir aderir à greve. Todos conhecem os motivos para a greve de 24 de Novembro de 2011... Todos conheciam os motivos para a greve de há um ano... Agora é só decidirem, em paz, o que vão fazer daqui a pouco mais de 24 horas.

20 comentários:

  1. Fico-te sempre grata pela atenção. Porque é bom sinal, termos pessoas que respeitamos e por quem temos solidariedades a acompanhar-nos.

    Enfim, já sabemos essas coisas :)


    Penso não ter sido a única a reparar num tom mais dilacerante nos avisos e apelos à greve por parte de sindicatos. É uma pena. Tb penso que terão esse efeito contrário!
    Aceito que as pessoas aprendam com erros. Pode ser que ...

    Abraço, R.

    ResponderEliminar
  2. Já agora ... pois não tinha visto o teu inquérito/sondagem (porque não o tornas mais visível?) ... os resultados são tristes. Não é o 'vou fazer' que impressiona nem os 'ainda não sei'. Chocante são os implacáveis do 'nem pensar'.

    abr.
    m

    ResponderEliminar
  3. eu ainda não decidi.
    estou a tentar pensar out of the box: numa perspetiva global, do país, da mensagem a enviar não só aos governantes ( os atuais e os idos) mas também a essa Europa germanizada ( até quando?).

    dizem por aí ( as colegas, claro) que “não adianta”, ” fica tudo na mesma”, é “dar-lhes dinheiro”, etc.
    é isso tudo, pois é. apesar de o argumento de eles ficarem com o dinheiro ser falacioso- o estado somos todos nós, por isso o dinheiro fica connosco à mesma. não fica é na nossa conta bancária, isso não.

    mas, por ouvir as colegas com este tipo de argumentação- nem sei pq fazem questão de a anunciar- começo a sentir uma revolta nas entranhas e ponho-me a pensar:
    “então estas gajas que até ganham muito mais do que eu ( e outras que ganham o mesmo ou menos) não abdicam de uma série de coisas- falemos com todas a letras- que são o dinheiro, a imagem na Escola e perante os pais e ainda, no caso dos contratados, se a greve não porá em causa uma eventual renovação… e eu vou dar o corpo ao manifesto por elas?”

    se os professores não pararem massivamente, que raio de coisa estão a dizer a Nuno Crato e a Pedro Passos Coelho? que está tudo bem? que não têm motivos de preocupação? que tacitamente concordam com tudo o que está a acontecer? que não têm qualquer dúvida que os cortes no setor são necessários, adequados, justos e bem vindos? que não receiam pelos seus postos de trabalho ou pelo aumento da carga laboral?
    por isso tenho um lado que me diz que sim. outro diz-me que não: precisamente a parte do "nosso" lado.

    Jake

    ResponderEliminar
  4. Boas!
    Eu cá vou fazer greve..
    No entanto precisava de uma ajuda: Amanhã tenho 6 tempos com cursos CEF, ou seja, vou ter que repor as aulas relativas à greve!! Existe alguma lei ou impresso para pedir à Escola o pagamento dessas aulas ou vou ficar duplamente penalizado ao optar por fazer greve?

    Obrigado
    Pedro_Norte (chat)

    ResponderEliminar
  5. Ó Pedro, se vais repor as aulas, estas ser-te-ão pagas...Faz greve à vontade!

    ResponderEliminar
  6. Eu vou fazer greve no local de trabalho! Para mim é no local de trabalho que estas ações devem ter lugar...Vou à escola, os meninos estão na sala, mas eu cá não trabalho! ESTAREI EM GREVE.

    ResponderEliminar
  7. Eu vou fazer o mesmo que o anónimo das 11:00...Vou-me sentar numa cadeirinha na sala de aula, à espera que o tempo passe, e no final do mês vou receber o mesmo...Era o que faltava o Estado ou a escola, sem lá quem é!, ficar com o meu dinheiro!

    ResponderEliminar
  8. 11:00 h e 11:04 h

    no comments.

    Esta ainda não tinha lido/ouvido.

    Está-se sempre a aprender...

    Honestamente, acho essa postura intelectualmente, deontológicamente e mais o que possam pensar desprezível.

    Outros chamar-lhe-iam oportunismo.

    Jake

    ResponderEliminar
  9. Completamente de acordo com o Jake relativamente ao seu 1º comentário. estou na mesma, penso o mesmo...

    Continuo solidária com ele (ela) no seu 2º comentário:

    colegas desses vejo eu há alguns anos, estão em greve permanente.Dirijo-lhes os mesmos elogios enunciados por Jake. Envergonham a nossa classe.

    ResponderEliminar
  10. Alguém conhece algum corpo diretivo a fazer greve e apoiar a causa?!

    ResponderEliminar
  11. ganhou o "Sim".
    vou fazer.
    Jake

    ResponderEliminar
  12. Jake, parece que o 'nem pensar' está a ganhar por um! Abraço para ti e boa greve!

    Quanto aos 'nem pensar', que venha um tufão que vos leve para bem longe.

    ResponderEliminar
  13. Lol, Moriae.
    Isso é uma excelente coisa! Um tufão que os leve!
    Eu ficava com uma das vagas deles sem viver assombrada pelo "ano que vem".

    Abraço para ti tb!
    Jake

    ResponderEliminar
  14. Jake, pensei que eras um 'Jake' : ) Sendo uma 'Jake', recebe aí uma bjoca e 'bora lá fazer uma dança da chuva, a ver se criamos o tal t..... que os leve ; )

    ResponderEliminar
  15. sentadinhos em sala de aula fazendo greve? ahahhaahahaah incrivel o oportunismo. Seriam grandes senhores se trabalhassem e não assinassem, isso sim era de louvar. Agora assinar e nao trabalhar?! só podem estar a brincar. Deviam levar um processo em cima (incumprimento do contrato laboral), pena não saber qual o vosso local de trabalho.

    ResponderEliminar
  16. é que, de facto, mostra que não têm tomates para fazer greve como deve ser. uns a lutar pelo interesse de todos e outros a gozar com os otários. PS: perdoeem-me a linguagem, mas nunca tinha ouvido tal coisa.

    ResponderEliminar
  17. Como se pode estar numa sala de aula com os alunos e não fazer nada? os alunos ficam a fazer uma cópia como no antigamente? ficam a pesquisar na internet (=no facebook, claro, ninguém os ensina a pesquisar...), ficam a jogar ao stop? O professor faz de conta que está a fazer alguma coisa, a corrigir trabalhos de casa ou testes ou não faz mesmo nada e lê o jornal?!

    ResponderEliminar
  18. Tenho uma professora amiga que um dia fez uma greve como deve ser feita: deu aulas aos seuas alunos que não tinham culpa das reivindicações dos professores e pediu à funcionária, incrédula, que lhe marcasse falta. Isto, sim, é saber ser professor! O resto, como diria, Fernando Pessoa,É NADA

    ResponderEliminar
  19. Anónimo das 3:26, já fiz isso, porque estava com crianças com Necessidades Educativas Especiais e sabia que o dia delas seria complicado sem mim, numa escola a meia velocidade. Basta chegar-se à secretaria e dizer o que se pretende. No entanto, isso não é correcto. Fiz uma vez e nunca mais. Mas, cada um é livre de pensar o que quer ou pode.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...