segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A polémica do professor-marinheiro


Comentário: Na altura em que o escândalo "estalou", optei por aguardar mais algum tempo antes de emitir a minha opinião acerca do eventual critério "manhoso". Na sexta-feira passada, surge então um artigo no Diário de Notícias, onde a Escola em questão explica que as actividades de desporto escolar incluem canoagem e que o professor deve ter a tal carta de marinheiro para poder acompanhar os alunos num barco a motor.

Estaremos perante um critério "manhoso"?

Se estamos (tenho sérias dúvidas), será porventura um dos menos "manhosos" que já vi, pois a justificação que apresentam é relativamente compreensível e justificável. Para além disso, se nos lembrarmos que estamos a falar de uma substituição por doença, e por aquilo que podem ler na notícia a docente que está a ser substituída tem 9 horas de desporto escolar dedicadas à vela e canoagem. Se a carta de marinheiro é obrigatória para o manuseamento do barco a motor, não será justo para os alunos ficarem sem estas horas de Desporto Escolar (DE) apenas porque o professor eventualmente seleccionado não pode acompanhar os alunos. Se assim não for, como é que a escola poderá dar a volta ao "texto"? Suspende temporariamente a canoagem do DE?

Não compreendo critérios como "ter leccionado no Agrupamento", "ter carta de condução", "ter habilitação própria" ou "tempo de serviço no Agrupamento", mas aqui custa-me menos a compreender os motivos do critério em causa. Estamos a falar de uma situação demasiado específica e que creio não merecer enquadramento na tipologia "critérios manhosos".

7 comentários:

  1. Seguindo esse raciocínio também consigo compreender o critério "ter carta de condução", uma vez que os professores de apoio (grupo 110)deslocam-se pelas várias escolas do agrupamento e às vezes essa deslocação tem que ser feita ao meio do dia...

    ResponderEliminar
  2. No entanto, e mesmo assim, não é necessária carta de condução. Mesmo que os transportes públicos não tenham horários acessíveis e ideais, existem sempre outras formas de mobilidade...

    Veículos de duas rodas (ou quatro) até aos 125cc não implicam carta de condução, por exemplo.

    ResponderEliminar
  3. A Condução de veículos de duas rodas até 125cc exige habilitação legal de condução tipo A ou B..

    Assistente Tecnico

    ResponderEliminar
  4. Opps... :) Saiu-me ao lado. Estava a tentar explicar uma coisa e acabei por cometer um erro.

    ResponderEliminar
  5. Isto é vergonhoso! Já ultrapassa todos os limites do ultrajante para os professores... Não sou professor, mas a minha mulher é e, como tal, apanho no lombo com estas situações... A título de exemplo digo que sei que há colegas vossos que há 3 e mais anos consecutivos são colocados na mesma escola (na área de residência, claro) em oferta de escola. Como é possível que isto se verifique e passe em claro ano após ano? É simples... As entidades que vos representam são parte do aparelho... A mim não me conforta ver 100 mil professores na rua a barafustar contra o modelo de avaliação. Confortar-me-ia, isso sim, ver os mesmos 100 mil a protestar contra este status quo. Mas isso teria de ser feito e organizado por quem não tenha "rabos presos" no ministério ou interesses cooperativos a defender. Sinceramente, digo-vos, meus amigos, com estes representantes, não tenham grandes esperanças de que a vossa situação laboral melhore...
    Caro Ricardo: não sou professor mas já fui aluno e sempre procurei pensar acerca do que via e vivia nas escolas... Do meu tempo (não há tanto quanto isso) recordo com saudade alguns professores estagiários e contratados com quem aprendi... Inovadores e interessados, provavelmente porque queriam mostrar valor e competência... Outros tive que eram meros empregados do ministério... Eram os verdadeiros funcionários públicos, com toda a carga negativa que este nome tem. Recordo este episódio: Quando era aluno do 12º ano, tentando o acesso à faculdade, tive uma professora de matemática que tirava as dúvidas da aula na seguinte... Pura e simplesmente não sabia resolver os exercícios. Fizemos queixa, naturalmente, mas nada podia ser feito pela escola. Os prejudicados foram os alunos. Onde cabe o mérito???? Na minha perspectiva, tem de haver uma entidade que, de facto, se bata pelos direitos dos professores contratados e, logo, pela melhoria da qualidade do ensino neste país. O homem que dá a cara pelos professores, o Mário Nogueira, dá vontade de rir... É chegada a hora de vocês, caros amigos, agirem e representarem-se a vós próprios. Um grande abraço solidário a todos.

    ResponderEliminar
  6. Penso que não tem nada de manhoso eese critério. Trata-se apenas de um complemento de formação absolutamente necessário para assegurar o desempenho do cargo.

    Para além do manuseamento do barco a motor, trata-se de "assegurar 9 horas de desporto escolar dedicadas à vela e à canoagem".

    É claro que até um docente que não soubesse NADAR poderia, teoricamente, desempenhar a tarefa. Mas não seria a mesma coisa!! :)

    ResponderEliminar
  7. Penso que não tem nada de manhoso esse critério. Trata-se apenas de um complemento de formação, absolutamente necessário para assegurar o desempenho do cargo.

    Para além do manuseamento do barco a motor, trata-se de "assegurar 9 horas de desporto escolar dedicadas à vela e à canoagem".

    É claro que até um docente que não soubesse NADAR poderia, teoricamente, desempenhar a tarefa. Mas não seria a mesma coisa!! :)

    Fernando

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...