terça-feira, 20 de setembro de 2011

Afinal a culpa é das escolas...


Comentário: Não estamos perante o jogo do "empurra", mas sim do jogo das "escondidas". Posso estar redondamente enganado, mas parece-me que a DGRHE está a esconder a verdade...  

Aconselho vivamente a leitura integral da notícia... Depois de o fazerem, acrescentem o comentário (furtado deste post) do colaborador oficial do blogue - o colega "Advogado do Diabo" - e tirem as vossas conclusões:

"Quando o DG da DGRHE primeiro diz que a aplicação não alterou nada e depois diz que a mesma "apenas colocou na plataforma o tempo mínimo de duração de contrato" está tudo dito.
Um contrato anual não tem duração minima. Ele tem uma duração certa, por isso é que assinam um contrato a termo certo.
Só há duração minima para os temporários. Por isso é que assinam um contrato a termo incerto. E alguns deste podem ser a termo certo (as resultantes de aposentações, por exemplo)".

43 comentários:

  1. É aquilo que eu chamo de uma plataforma "auto-insuficiente"...
    No coments!...
    Esperemos que da próxima corrijam as irregularidades senão terão de me sustentar com o subsídio de desemprego até ao próximo concurso!(Claro que restam as OE - mas nessas os critérios são muito manhosos! Com sorte ainda me sai 1º o Euromilhões...) É triste depois de cinco anos em regime de horários completos vir parar ao desemprego por uma mudança destas...
    DETESTO O DESEMPREGO, DETESTO POLÍTICAS/OS INCOMPETENTES E SEM ESCRÚPULOS!

    ResponderEliminar
  2. Vejam a noticia na página do Público e as desculpas que foram dadas. É só à lambada. Políticos estúpidos!!! Montes de esterco!

    ResponderEliminar
  3. e para quando nova bolsa? nos outros anos havia bolsa pelo menos 2x por semana...

    ResponderEliminar
  4. As bolsas deveriam ser diárias, porque assim seria mais rápido colocar os professores. Esta era a sua função. Mas estão a ser semanais, tal como no ano passado. Há que esperar por alguma nota informativa a dizer se passam a diárias.
    Quero é ver se na próxima bolsa se mantém o mesmo erro. É inadmissível. Apelo aos colegas prejudicados que façam o Recurso Hierárquico na 2ª feira.
    Ao menos aqueles cães vão ser pressionados.
    Pedro

    ResponderEliminar
  5. Nos critérios manhosos das escolas TEIP e com autonomia, de quem é a culpa? Também são as orientações do MEC?
    A polémica agora é outra, já se esqueceram dos critérios manhosos.

    Acho que precisamos de esfriar as cabeças e pensar com clareza.
    Andam todos a sacudir a água do capote, mas os prejudicados são os que precisam de trabalhar, o mexilhão...

    ResponderEliminar
  6. Houve alguém com um QI acima da média na DGRHE que se lembrou deste expediente "legal" para poupar no pagamento dos salários de Julho e Agosto, mas que não previu as consequências de tal acto.

    ResponderEliminar
  7. Nunca me foi tão fácil adjectivar alguêm...como seja a corja que constitui o Ministério da Educação da nossa Républica das Bananas! Vigaristas, oportunistas, falsos, mentirosos, manipuladores de opinião publica...
    É uma vergonha o que se está a passar no nosso país com os professores contratados! Concursos para TEIP, AEC´s, Br1,Br2 e concursos Nacionais (não se esqueçam das graduações conseguidas através de uma avaliação feita para graxistas), imersos numa nublina e num nevoeiro cerrado e pouco claro, com regras alteradas a meio de um processo! O erro está cometido e agora não querem assumir, preferindo culpar as direcções das escolas!
    Ps: Podem ter a certeza que algumas direcções vão assumir as culpas, dizendo que o MEC nada teve a ver com esta vergonha da br2!Agora adivinhem lá porquê...

    ResponderEliminar
  8. Já agora, podiam fazer um grande favor a muitos professores...pedirem a demissão!Apesar de estarem á tão pouco tempo no tacho,é incrivel como já conseguiram destruir tantos direitos que demoraram décadas a conquistar...FAÇAM O FAVOR DE SAIR, E RÁPIDO!
    PRESTAVAM UM GRANDE SERVIÇO À REPUBLICA!

    ResponderEliminar
  9. Realmente é muita lata, depois de um director com D (grande) denunciar na página do seu agrupamento ( Escola secundária Eça de Queirós) dizendo que o sistema transforma horários anuais em temporários automáticamente, o ministério tem a canalhice de dizer que o erro e das escolas?? Há gente tão falsa que devia ter atrás do pescoço uma tatuagem escrita: MADE IN CHINA.
    Era esse director chamar a televisão e mostrar a aplicação para todos verem quem são os falsos!

    ResponderEliminar
  10. Muitos falaram já aqui em fazer recurso hierárquico, mas, no meu caso, não conheço nenhuma das escolas nem colegas colocados em horários pseudo-temporários. Como devo, então, justificar o meu recurso?

    ResponderEliminar
  11. Bem-haja ao João Gobern que hoje denunciou a situação na Antena 1, na sua rubrica "Pano para mangas". O podcast ainda não está disponível online, mas procurem-no. Foi sensato e denunciou tudo o que se estava a passar.

    ResponderEliminar
  12. Mais uma vez volto a dizer:lembram-se da colocação de 31 de Agosto ter sido dito que havia cerca de 3700 horários enviados pelas escolas que não apareceram e o ministro Nuno Crato afirmar publicamente que foi um erro por ineficiência do sistema?E que esses horários iriam para a bolsa de recrutamento?Então afinal como é ?Afinal de quem é a culpa?O que interessa é repôr a normalidade e corrigir o erro.O que que o Srº Nuno Crato diz disto?Não diz nada?Não merecemos?Somos apenas parcelas da Contabilidade? Não vai ao parlamento dar justicações?Srºministro para começar está a aprsentar-se muito mal.Sofia

    ResponderEliminar
  13. Para Helena:a culpa é do MEC sim que dá poderzinho e autonmia às escolas e a quem não tem formação para o usar.É Como a autonomia das Câmaras.Autonmia com o dinheiro do estado?Não está correcto.Autonomia sem o MEC definir regras para os concursos?Não está correcto

    ResponderEliminar
  14. No princípio era o verbo e o entretenimento:
    1)ADD
    2) Estratosfera
    3) a galinha, a cloaca e o ovo
    Depois...
    3) mudança de regras a 4/5 do final( mas isto já não é novidade)
    4) revisão do 79 ( previsível)
    5) autonomia para contratos ( anunciada)
    6) troika e déficit
    =
    Extinção

    JK

    ResponderEliminar
  15. obrigada pela informação, senhores da DGRHE...é que nós contratados não sabiamos que qualquer contrato tem de ser obrigatóriamente por um mês...haja paciência para tanta incompetência...estavam era a ver se colava...

    ResponderEliminar
  16. Bom dia.
    Eu até não sou um dos casos prejudicados com esta situação mas estou com quem o foi. Não concordo que horários anuais sejam transformados em temporários. Prejudicam-se colegas mais graduados e prejudica-se também quem acabou colocado pois o mais certo e ficarem sem o Julho e o Agosto e aí vão 60 dias à vida! Tenho duas colegas que foram colocadas em temporários que afinal são anuais por isso muito há para explicar. A classe de professores deve unir-se como nunca pois a fé que pusemos no Senhor Crato foi desfalcada e preterida em nome da economia!

    ResponderEliminar
  17. Caros,

    Alguém sabe a data da proxima BR?

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  18. Para Vindimita:então ajuda-nos a denúnciar esses casos,pois são necessários dados concretos.Sofia

    ResponderEliminar
  19. Antes demais o meu respeito por todos os professores. A lógica de poupança do nosso Estado não se entende. Um professor mais graduado, que não fique colocado receberá o subsídio de desemprego, na pior das hipóteses (para ele) até ao final do ano lectivo, um professor menos graduado colocado receberá um salário até Julho, ambos terão rendimentos à custa do Estado. Estarei a pensar mal?

    ResponderEliminar
  20. RECURSO HIERÁRQUICO: Quem foi ultrapassado, caso tenha concorrido àquela escola e horário, deve contactar a escola e perguntar se afinal era anual. Se o for, então devem fazer Recurso Hierárquico na Segunda.
    Pedro

    ResponderEliminar
  21. Para já as bolsas são semanais. Será que se vai manter o mesmo erro da segunda????
    Pedro

    ResponderEliminar
  22. Pois é, Anónimo das 11.03. Está a pensar bem, pois está. A lógica de poupança do Estado, não bate certo.
    Muitos dos contratados menos graduados, já nem sequer tem direito ao subsídio de desemprego, por não reunir o mínimo de dias (450) ou 15 meses, ou então está com subsídio social de desemprego, equivalente ao valor do IAS, ou não recebe nada porque o rendimento do agregado familiar não o permite...

    ResponderEliminar
  23. Eu sou uma das professoras que estou no desemprego desde Agosto e não recebo nada.Não tenho os 450 dias feitos.
    Por outro lado não tenho direito ao subsidio social de desemprego.Pois claro com quarenta anos ainda vivo à custa da minha mãe. Muito triste mesmo.

    ResponderEliminar
  24. E os casos em que os candidatos contratados não estão na Bolsa de Recrutamento, nem na lista de ordenação?
    Quando eu concorro a um horário de oferta de escola e aparece lá o nº do candidato seleccionado, nenhum dos seleccionados para os horários a que concorri consta na lista de ordenação nem BR. Como é que eu sei que realmente este candidato teria prioridade em relação a mim? Muito transparente este concurso...
    Prof. Contratado de Informática

    ResponderEliminar
  25. Pedro: cabe aos professores não permitirem que isso aconteça. Temos de continuar a insistir de forma a que isto fique resolvido antes da próxima bolsa de recrutamento. Mesmo que o MEC n se responsabilize, já foi alertado que algo está errado. Se voltarem a colocar aquelas datas mínimas que criaram esta confusão toda é muita cara de pau!!!

    ResponderEliminar
  26. Prof. Contratado de informática: tb tenho essa dúvida. O candidato seleccionado não existe em nenhuma lista, deve ser um fantasma...

    ResponderEliminar
  27. Nas ofertas de escola reina a anarquia e a indecência e pouco mais há a dizer. Se o colega seleccionado não se encontra na lista (o que é perfeitamente normal, porque por exemplo, pode ter habilitação própria), então devem contactar a escola e perguntar qual foi a graduação desse candidato.
    Para mim todas as ofertas que contêm critérios injustos e anticonstitucionais, violando gosseiramente as regras dum concurso público, deveriam ser denunciadas ao Provedor de Justiça e outros organismos.
    Pedro

    ResponderEliminar
  28. Que mais nos irá acontecer? :-(

    ResponderEliminar
  29. Sei de fonte segura de um horário do grupo 300 que surge como mensal e é anual.
    Trata-se de um horário de 14 horas que não serviu para recondução por ser incompleto. Destinava-se a mim, por isso tenho a certeza que é anual. estive dois anos nessa escola.

    ResponderEliminar
  30. As escolas agora já que não têm culpa, terminam o contrato de um mês e voltam a colocá-lo na plataforma como anual... É a nossa única hipótese...

    ResponderEliminar
  31. Para acabar de vez com as dúvidas:

    http://educaraeducacao.blogspot.com/2011/09/transformacao-de-horarios-anuais-em.html

    ResponderEliminar
  32. Como é possível que alguns horários que surgiram na 2.ª bolsa de recrutamento a 19-09-2011como "temporários" terem como data final de colocação 06-10-2011 ou 08-10-2011 ou ainda 10-10-2011??? (Aconteceu isso no grupo 220)
    Ou eu estou a ficar louca ou se ainda sei fazer contas, a duração desses horários nem chega a um mês!!
    Mas então a duração mínima de um contrato não é de um mês?! Em que é que ficamos?
    Chega de tanta incoerência, de tanta incompetência... de tanta estupidez.

    ResponderEliminar
  33. Rúbrica do João Gobern "Pano para Mangas" hoje na Antena 1:

    http://tv1.rtp.pt/multimediahtml/audio/pano-para-mangas

    ResponderEliminar
  34. podem informar-me se no grupo 500,os dois horarios completos distribuidos aos nº ordem1752(e. s. algueirao,sintra) e1995(e .s.loures),são dos alterados?
    eu concorri,estou 300 e tal á frente desses e nada....há algum colega dessa escola,que me informe?
    ajudem-me quem puder,estou desorientada com tudo isto
    .

    ResponderEliminar
  35. Olá colegas!!!
    Só tenho uma coisa a dizer...
    Nunca mais na minha vida como docente irei pagar SINDICATO...
    ...Se se dessem ao trabalho de ouvir os contratados, professores que viram os seus lugares ocupados por outros com menos graduação e com contratos até 31 de Julho de 2012... Certamente encontrariam muitas e muitas e muitas irregularidades e muitas ILEGALIDADES...portanto não me venham com desculpas da treta...Ás quais os sindicatos ouvem, baixam a cabeça e aceitam como resposta sem contestar!!!
    Cambada de TACHISTAS

    ResponderEliminar
  36. E aqui, a culpa é de quem? Ao ponto a que o nosso país chegou.
    http://www.youtube.com/watch?v=OnINSyWX1yU&feature=player_embedded.
    Vergonha...

    ResponderEliminar
  37. Se nada se resolver até a próxima Bolsa de Recrutamento nada poderá ser feito para anular isso tudo. Os que entraram agora terão também toda a legitimidade de impugnar as ofertas seguintes onde não puderam concorrer (e poderiam ficar colocados). Isto assim torna-se um círculo vicioso.
    Os que entraram tiveram sorte? Sim. Serão assim tantos os horários anuais? E serão todos completos? Sem ser no 110 não são assim tantos os completos e anuais.
    Bem vindo a vida triste dos contratados com poucos anos de trabalho que passam mais dias a frente o computador do que a dar aulas...

    ResponderEliminar
  38. Concordo c um dos colegas: qd acabar este mês de contrato voltem a colocar as vagas anuais de novo a concurso.

    ResponderEliminar
  39. lembrem-se dos alunos,tenho filhos.
    eles,não têm culpa disto.
    á partida,o tempo de serviço deste ano deve contar igualmente para todos os contratados reconduzidos e a concurso...tenham 6, 8 ou 22h ,do mal,o menos.já vimos como tudo funcionou...
    como vou procurar trabalho,logo se vê
    crato,ajuda.

    ResponderEliminar
  40. Eu já tinha dito isso: os professores colocados nos tais horários que afinal eram anuais, acabando o contrato voltavam à bolsa de recrutamento e lançavam-se de novo os horários, (dps de rectificados) e procediam-se a novas colocações.
    Mas pelo que li, já n me lembro onde (têm sido dias de leitura non stop!), essa data que aparecia nos horários da BR2 era uma data mínima de contrato que o MEC colocou na aplicação e n máxima... Mas q pelos vistos foi isso q gerou confusão.

    A FENPROF está a promover uma concentração à porta do MEC, esta sexta feira, às 15h.
    Aqui está uma forma de demonstrar a tal união entre os professores que já muita gente referiu aqui no blog!
    EU VOU! QUEM VAI?

    ResponderEliminar
  41. *que já muita gente referiu estar em falta, aqui no blog!

    Agora sim, era isto que eu queria dizer!

    ResponderEliminar
  42. http://www.fenprof.pt/?aba=27&mid=115&cat=226&doc=5834

    «Com o objetivo de protestar contra esta situação e exigir a correção do problema criado, a FENPROF apela aos professores e educadores lesados pela situação, a que compareçam na próxima sexta-feira, dia 23, pelas 15 horas, junto ao MEC, nas suas instalações sitas na avenida 5 de Outubro.»

    ResponderEliminar
  43. Os professores que não saem em nenhumas listas, são professores com habilitação própria que não podem concorrer ao concurso, e apenas só às ofertas de escola.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...