quinta-feira, 22 de abril de 2010

Conspiração ou ingenuidade (II).

Continuando com o raciocínio feito no post anterior, será interessante esmiuçar os eventuais verdadeiros motivos da "ingenuidade" sindical (e com um pouco de sorte conseguir o meu "lugar ao sol" com uma teoria que circulará na net... Eh eh eh). Se nuns casos se trata mesmo de ingenuidade em outras situações estamos a falar de limites de poder negocial. Vejamos:

1 - Variáveis na negociação: sindicalistas e equipa ministerial;

2 - Mudanças: os sindicalistas continuam os mesmos... A "testa de ferro" da equipa ministerial mudou de nome, passou de Maria de Lurdes Reis Rodrigues Pinto de Sousa para Maria Isabel Girão de Melo Veiga Vilar Pinto de Sousa. Os dois últimos apelidos são os que realmente detêm o poder, por isso, nada mudou;

3 - Relação professores/sindicatos: os sindicalistas encontram-se presos ao poder negocial que os professores lhes conferem quando reivindicam, contestam e se organizam. Os números contam mas também conta a manutenção da contestação por mais de um dia. Os sindicatos sabem que os professores não são capazes de manter iniciativas por muitos dias e o ME também.

4 - Relação sindicatos/ME: os sindicalistas sabem que o seu poder negocial é limitado e têm consciência que o ME também o sabe. Não podem "esticar muito a corda" pois ela parte. Parece-me que muitos colegas ainda não compreenderam isto. Só pode... Existem propostas que chegam ao irreal, tomando como princípio este limite negocial objectivo.

Conclusão: Como o poder negocial dos sindicalistas é limitado pela capacidade de união dos professores (que sejamos justos, quando em comparação com outras classes profissionais é fraca), quando surge uma oportunidade negocial não se podem cometer erros grosseiros que roçam a ingenuidade. Cada oportunidade negocial deverá ser aproveitada ao máximo e não se podem deixar de lado temas importantes ou pontas soltas "apalavradas" na esperança de que venham a ser tratados posteriormente. Isso aconteceu em Janeiro (e não só)!

Estão a ser desperdiçadas oportunidades... Por falta de trabalho de casa, ingenuidade, estupidez ou o que quiserem chamar, mas que estão a desgastar os professores ao ponto de duvidarem da capacidade negocial (limitada pela união e acção dos professores). Recordo aqui uma questão de um amigo meu, contratado, me fez ainda hoje:

"Porquê voltar a manifestar-me se o resultado desse esforço foi uma negociação onde os nossos representantes foram ingénuos e deixaram escapar um tema tão relevante como a relação da avaliação na graduação e mantiveram o mesmo sistema de avaliação?"

Foi uma boa questão... E foi essa questão que me levou a expôr-me mais um pouco aqui no blogue (algo que ultimamente perdi vontade de fazer). E é exactamente a essa questão que também eu espero resposta para voltar a "encarrilhar" na união. Porque se me pedem para ficar "calado" em favor da união, eu tenho de saber o que vai obrigatoriamente mudar. O que é que os sindicalistas vão tentar mudar? Como vão fazê-lo? Começarem por admitir os seus erros, modificarem a sua forma de encarar os "pormenores" que lhes chegam do "exterior", justificarem algumas das "alterações" do anterior ECD em troca de outras consideradas por muitos mais relevantes, desmistificarem as vantagens que muitos afirmam terem sido obtidas por alguns sindicalistas bem escalonados, seriam óptimos inícios de "lavagem" de face... Existiria aqui também um tema que poderia ser acrescentado e com relação directa entre resultados sindicalistas, "ex-titulares" e "esvaziamento de fileiras" mas deixarei para outro dia (ou não).

13 comentários:

  1. Acrescentaria um ponto ao ponto 3.
    Saber exactamente o que se pretende com as contestações.

    Por exemplo, nós dois temos leituras diferentes sobre o que se pretendia com a contestação. Desconfio que ambos temos razão e nenhum tem razão.

    Saber o que se quer e até onde se está disposto a ir para se obter o que se quer são dois pontos importantes.

    ResponderEliminar
  2. Concordo em absoluto com a análise. Lúcida, como sempre se bem que gostava que fosses mais parcial. É complicado dar-te na cabela desta forma. :p

    ResponderEliminar
  3. cabela não... cabeça, peço desculpa.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite Ricardo. Concordo plenamente com as tuas palavras… (conspiração ou ingenuidade)

    É muito PREOCUPANTE o que se está a passar…

    ESTAMOS TODOS A DORMIR…

    BATEMOS NO FUNDO… ESTAMOS NO LODO…

    Pior do que está acontecer é impossível…

    E… CONTINUAMOS A DORMIR…


    É como esta história:

    "[...]
    Na primeira noite eles se aproximam
    e roubam uma flor do nosso jardim.
    E não dizemos nada…
    Na segunda noite, já não se escondem;
    pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada…
    Até que um dia, o mais frágil deles (entra sozinho na nossa casa,
    rouba-nos a luz, e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
    E já não podemos dizer nada…
    [...]"

    AMIGOS!!!!!!!

    "[...]
    Hoje posso ver o que antes eu não via…

    Sempre quis muita coisa
    acreditei em muita coisa,
    Mas sempre me faltou algo!
    Hoje posso ver o que antes eu não via…
    Das coisas que quis poucas foram realizadas
    Naquilo que acreditei, alcancei...

    E o que falta então?

    Ainda continuo querendo muito
    Ainda continuo acreditando muito
    E vi que o que está faltando,
    Só eu posso alcançar...

    Querer e acreditar?

    Sim.

    É um bom começo.
    Porém, falta coragem…
    Para não falar do MEDO…

    Para por em prática aquilo que está apenas em planos

    Dentro do peito
    Enrustido
    Fechado
    Guardado...

    Queira!

    Acredite!

    Mas faça acontecer!

    Procure!

    Agilize!

    Mas faça acontecer!

    Sonhe!

    Não desista!

    Confia em ti!




    Obrigado pelas tuas palavras Ricardo…

    Um grande abraço
    Filipe Alves

    ResponderEliminar
  5. Conspiração ou ingenuidade?
    - Nem uma coisa nem outra!
    Houve foi uma confluência de posições (sem ninguém falar em cedências - grande pormenor!) de forma a se satisfazerem os interesses prioritários de cada um.
    Quem ganhou?
    - Ambos!
    Mas então, quem perdeu?
    - Os professores que dão aulas!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Muito fogo-de-artifício na A.R hoje, mas nenhuma Isabel Alçada (somente quarta-feira).


    Mas de certa maneira fica clara o objectivo do PS Socratino, no que se refere aos Professores, ele é, vingativo, punitiva e mesquinho.
    Fica claro que todos os Professores vão pagar pelas lutas anteriores. E este concurso quer simplesmente aplicar o castigo.

    Por simplesmente não conseguir estar quieto e perceber que muitos de nós vão ser irremediavelmente prejudicados (a maioria de nós), proponho aqui aos colegas mais versados e com capacidade de síntese clara e objectiva, que se crie uma espécie de minuta (igual para todos) para ser enviada para todos os Professores e reencaminhada aos membros de todos os Partidos, Provedor e Presidência.

    Deixo aqui a minha sugestão a todos e a espera de um sinal positivo.

    ResponderEliminar
  7. Agora, é que viram??? Outra coisa que ninguem fala é acerca da recondução de contratos nas escolas TEIP, vejamos eu entrei para um projecto, elaborei o projecto, coloquei em prática e limei algumas arestas agora não sei se irei lá ficar e se não ficar quem for para lá tem a papinha toda feita, acham justo??? É gritante o que se está a passar, a escola já mostrou interesse e tudo está a fazer para poder reconduzir o meu contrato.

    ResponderEliminar
  8. Paa Anónimo da TEIP
    Não se preocupe.
    Como não devem existir muitos DACL interessados nessa escola, o seu horário vai direitinho para OE, em Setembro, e a escola facil e rapidamente o escolhe.
    Não é assim que dizem que funcionam as OE´s?

    ResponderEliminar
  9. Concordo com o FD.
    De qualquer forma, mesmo sabendo que têm um limitado poder negocial, isso não obriga os sindicatos a assinar acordos que lesam os professores.
    É mais digno não ter acordo do que ter um mau acordo.
    O pior de tudo é que, depois de assinarem DOIS entendimentos manhosos, os sindicatos perderam a confiança dos professores. E com sindicatos fracos os professores nada ganham.

    ResponderEliminar
  10. Ricardo,
    Concordo contigo porque aquilo que dizem ser a minha "teoria da conspiração", une na "ingenuidade" a Fenprof e o seu parceiro preferencial que, se notares, hoje não é nomeado nos ataques de Mário Nogueira (centrado no PM e em Isabel Alçada).

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Avogado, olha que se calhar ainda teremos direito a novidades... ;)

    ResponderEliminar
  12. ..estou mais para o lado do Hzolio...

    ResponderEliminar
  13. Hzolio
    Não me admirava. O ME sabe que pode fazer o que quiser, porque os interessados tudo permitem.
    Ou ficam sentados a reclamar que ninguém faz nada (quando, muitas vezes, o alguém só podem ser os próprios), ou são os próprios interessados em que tudo se faça, desde que lhe dê jeito.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...