segunda-feira, 29 de junho de 2009

A luta ainda não terminou...

Continuo a achar que a contestação está a diminuir... O que é extremamente preocupante, pois nada foi ganho. As últimas declarações dos governantes apenas visam protelar a discussão e substituição deste modelo de avaliação. As alternativas foram colocadas em cima da mesa: Ou ficaremos por mais uns tempos com o modelo simplificado (para mim, a opção mais provável) ou teremos a partir de Janeiro, o modelo completo. Nada disto é uma vitória... Absolutamente nada. O Ministério da Educação ainda não recuou e está longe de capitular.

Para piorar o panorama, muitos colegas estão agora demasiado absortos com a publicitação das listas definitivas/colocação.

Não se esqueçam que na esmagadora maioria das escolas os prazos de entrega da Ficha de Auto-Avaliação terminam na próxima semana. Aliás, o número de visitantes que vem a este blogue à procura de FAA preenchidas cresce de dia para dia.

Assim, recordo as quatro opções (retiradas do blogue "A Educação do meu Umbigo") existentes para esta fase da avaliação:

Opção 1: Entregar a ficha de auto-avaliação nos moldes propostos pelo ME;
Opção 2: Entregar a ficha de auto-avaliação com a declaração de objecção de consciência proposta pelos sindicatos;
Opção 3: Não entregar a ficha de auto-avaliação, substituindo-a por um documento alternativo de balanço da actividade docente;
Opção 4: Não entregar a ficha de auto-avaliação, nem mais nada.

Não será necessário recordar que, qualquer uma delas, deverá ser tomada em consciência... Principalmente as duas últimas, que implicam consequências em termos disciplinares e de carreira. À excepção da primeira opção, que considero demasiado «adesivista», as restantes são formas de contestação que não devem ser esquecidas... Nem mesmo quando tudo aparenta recuos e vitórias.

Para quem pretende entregar a FAA com a declaração de protesto, deixo aqui dois links da FENPROF:

(1) Declaração individual;
(2) Declaração conjunta.

2 comentários:

  1. Ricardo, tenho a tua opinião em grande consideração. Gostaria que analisasses a seguinte possibilidade:

    Houve colegas que, este ano, pediram aulas assistidas, certo? De entre esses colegas, há-de haver quem seja classificado com MB e Exc. Existe uma forte probabilidade de que essas pessoas voltem a pedir aulas assistidas para o ano, para obterem duas classificações consecutivas e os benefícios correspondentes.

    Entre os colegas que não pediram aulas assistidas, alguns estão arrependidos. Quer-me parecer que muitos, ao tomarem conhecimento das notas do colega do lado, pedirão o Complex, para "não serem passados para trás".

    A armadilha está montada. Com o número de adeptos do Complex a aumentar de ano para ano e os titulares e fazerem formação, estarão criadas as condições para a generalização do modelo, até porque o relatório continua a mencionar a importância da avaliação científico-pedagógica.

    Estaremos a cavar a nossa própria sepultura, ou é apenas pessimismo da minha parte?

    É que não nos podemos esquecer de que, dentro do Simplex, as aulas assistidas são uma opção e tudo indica que continuarão a sê-lo.

    Resumindo, não podemos baixar os braços agora.

    ResponderEliminar
  2. Apenas tivemos uma amostra do complex. A maioria nem imagina como será o ambiente nas escolas se o complex entrar em acção. Não te esqueças que faltaram 2 dos elementos mais polémicos: a) a avaliação dos alunos e b) o abandono escolar.

    E relativamente ao «cavar da sepultura»: Tenho de reconhecer que tens razão. No entanto, será necessário ter algum cuidado. Os resultados desta avaliação também farão com que muitos se arrependam de ter pedido aulas observadas, pois obterão Bom! O mesmo Bom que os colegas que não pediram aulas observadas irão ter...

    E quando os resultados se souberem vai cair «o carmo e a trindade» em algumas escolas.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...