sexta-feira, 10 de março de 2017

Saudades...

Havia um sítio mágico. Mágico, mas verdadeiro. O que o tornava verdadeiramente mágico. De todos os sítios que eu vi, esse era o meu preferido. Um sítio que eu conheci em pequenina e que me fez crescer. Bem sei que não pareço, mas sou do tamanho do mundo graças a esse sítio. Um sítio que me fez e com o qual eu quis fazer também. Um sítio cheio de histórias, estórias e História. Histórias, estórias e História pelas quais me apaixonei. Um sítio que eu nunca mais quis largar. Um sítio que eu conseguia encontrar em todos os sítios por onde passava. 

Um sítio que me faz lembrar os versos do Chico Buarque “A felicidade morava tão vizinha que, de tolo, até pensei que fosse minha”.

Era um sítio que dava abrigo, consolo, esperança. Um sítio de respeito, entreajuda. Um sítio como aqueles que aparecem em todas as correntes filosóficas ou religiosas, só que não era só teoria: era a prática do bem, mesmo. Um sítio em que éramos todos felizes e sabíamo-lo. Um sítio em que as horas de almoço, por mais curtas que fossem, eram respeitadas, mesmo que durante esse almoço se continuasse a falar do sítio. Um sítio em que as horas de saída, de descanso e de regresso à família também eram respeitadas, mesmo que essa família fosse a mesma do sítio (Quanta da minha família não foi feita por lá!)... 

Dentro desse sítio, havia uma pequena sala em que todos os responsáveis pela partilha se juntavam, sem hora marcada, para partilhar o que os mais pequenos tinham partilhado com eles nas outras salas. Nessa sala desse sítio, todos se tratavam por tu. Havia zangas: havia vários barcos nesse sítio, mas como todos tinham o mesmo destino, havia também muito amor. 

Era um sítio em que se misturava muitas vezes o coração com a razão. E ainda bem que era assim: há lá forma melhor de se fazer algo grande e belo do que na aliança da emoção e do pensamento? Um sítio em que era sempre verão, mesmo nos dias de chuva ou de tempestade. Um sítio onde se ensinava a escrever, mas essencialmente a falar e a ouvir. Um sítio feliz. Um sítio de Luz. 

Esse sítio já não existe em sítio algum. Temos amostras. Temos pedaços. Alguém deu cabo disto.

A minha esperança é que, como por magia, de tanto repetir e repetir e repetir, esse sítio volte ao sítio…

1 comentário:


  1. Esse sítio tão especial onde muitos quiseram ficar a maior parte das suas vidas... Mesmo agarrando a luta diária para que esse sítio mágico continue com magia...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...