segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Relativamente ao início (aparentemente) irrepreensível deste ano letivo...

...tenho a dizer que não concordo com a análise da FENPROF, de que este início de ano letivo "está a ser mais célere e sem erros relevantes", e que "o processo está claramente a correr melhor que nos anos anteriores, o que é positivo para as escolas e para os professores". Se aquilo que aconteceu com a Mobilidade por Doença (com 3 e 4 mensagens de correio eletrónico rececionados pelos professores que viram os seus pedidos deferidos e com o facto de não existirem indicações claras relativamente à escola onde devem desenvolver trabalho esta semana - um caso de "colocação dupla") e com as consequentes ultrapassagens de graduação que se têm verificado (e que se deverão verificar ainda esta semana, aquando da Reserva de Recrutamento 2) quer na Mobilidade Interna / Contratação Inicial e Reserva de Recrutamento não são suficientes para considerar a existência de erros relevantes, não sei o que será necessário.

A FNE deu caso da sua insatisfação há 6 dias (aqui), mas de lá para cá, também nunca mais me apercebi de grandes movimentações, que não em sítios virtuais de sindicatos filiados (por exemplo, acolá).

E quanto à questão: Será mesmo que este início de ano letivo está a decorrer "claramente melhor" que em anos anteriores?

Até pode ser que sim... E quero acreditar que tenhamos realmente mais professores colocados nas escolas, e menos docentes em horário zero, mas o clima de serenidade que estamos a viver deve-se em grande parte ao facto de estarmos perante o silêncio de um frequentemente ruidoso Mário Nogueira.

Por último, um breve reparo.

Li algures que por alguém não ser sindicalizado na FENPROF perde o direito de criticar o seu dirigente máximo. Resposta de quem apanhou demasiado sol ideológico! É que mesmo não sendo sindicalizados, todos nós sofremos na pele aquilo que é negociado entre os sindicatos e o Ministério da Educação, e como tal, todos, mas mesmo todos, temos uma palavra a dizer no que é feito, dito ou escrito pelos sindicalistas...

E quanto ao argumento de que Mário Nogueira está comprometido com o atual Ministério da Educação, e que o seu silêncio têm como destino um bem maior. Pois... Mesmo estando comprometido com este Ministério da Educação, Mário Nogueira podia fazer algum tipo de reparo, mesmo que de forma mais branda ou diplomática. 

Para terminar: eu não critico por encomenda... Sou apartidário, não tenho qualquer filiação sindical e nem tão pouco discuto para alimentar egos (principalmente nas redes sociais).

11 comentários:

  1. Nota-se q tudo decorre na perfeição...
    Fui colocada por MI tendo assistido e partcipado em reuniões. De seguida fui colocada por MPD e la sigo a nova vida desta vez com normalidade (pensava eu...)
    De repente telefonaram-me da escola onde fui colocada por MI e tive de regressar, assistir a reuniões, abandonando aqueles que serão realmente meus alunos, depois regressarei na próxima 2.a à escola de MPD.
    Isto sim é iniciar o ano com normalidade...

    ResponderEliminar
  2. Volto ao que já disse antes…
    Por acaso este ano os concursos e destacamentos são só por mais 1 ano…
    Mas vamos à situação Normal… em que a MI é plurianual (pelos normais 4 anos)… Porque raio é que uma vaga que à partida será por 4 anos deverá ser ocupada por um destacamento de MPD que será de 1 ano e que liberta (quando liberta) um horário também anual???!!!… Só para que o horário, de 1 ano (completo ou não, depende das reduções), não seja tomado em conta para a RR e vá perturbar a MI???!!!… É que isto é que não tem lógica nenhuma…
    A lógica é colocar-se os QZP e os QA/QE sem componente letiva na 1ª Prioridade e os QA/QE da 2ª Prioridade nos horários da MI (por norma plurianuais)… e posteriormente a MPD que liberta horários Anuais para a RR… e repito Anuais…
    Se mete tanta confusão a "libertação" de horários da MI por causa da MPD… então os colegas que pedem MPD que concorram à MI apenas para a escola/agrupamento para onde pedem MPD… esse problema desaparece…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os QZPs são obrigados a concorrer a todo QZP sabia?!

      Eliminar
    2. Pois sim… conte-me histórias…
      Tem que concorrer a todo o QZP, mas pode por primeiro as escolas de outro QZP que lhe interessam…

      Eliminar
  3. Os docentes do QZP têm de concorrer na MI (pelo menos) a toda a sua zona. Logo, não podem concorrer só a 1 escola...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Refiro-me obviamente a QA/QE que concorrem nessas condições…

      Eliminar
  4. Uma zona, no meu caso, são 2 distritos.
    Se a minha bola de cristal funcionasse e eu adivinhasse as vagas a concurso.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu também… por essa mesma razão costumo dizer que é um QZP muito grande… :-/

      Eliminar
  5. O ano letivo continua de vento em popa...
    Ontem "obrigaram-me" a ir para a escola de MI, hoje estava p entrar para mais uma reunião (de um turma que não será minha) e telefonaram-me a dizer que tinha que ir imediatamente para a escola de MPD....
    Desde as 10horas que não voltei a ser contactada....nunca se sabe ....

    ResponderEliminar
  6. O conceito de obrigar é muito relativo. Vai quem quer. Se não for, corre riscos? Sim. Vale a pena? Depende de pessoa para pessoa. Há quem tenha sido pressionado a muitas 'idas' e não tenha 'ido'. A ver vamos, nunca se sabe quase nada sobre as 'tramas' da vida que parece crescerem em terreno fértil. Tendo seguido as indicações de Nota Informativa e declarações do Ministro da Educação e outras coisas, não ter 'ido' foi possível. Valeu a pena? SIM.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...