quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

As minhas contas


As minhas contas são baseadas no 102 milhões de euros anunciados como o que se vai poupar com a reforma curricular anunciada.

Só conheço uma forma desta alteração resultar em poupança. No salário de professores que não vão contratar.

O salário de um professor contratado, no índice 151, é de 1373,13 €.
Poupar 102 milhões de euros significa poupar quase 74283 ordenados mensais (102 milhões / 1373.13).

Num ano tradicional, ou seja, com 14 ordenados por professor, seriam menos 5305 professores (74283 / 14).

Mas este ano não é tradicional. Como não vão receber os subsídios de natal e de férias, só seriam pagos 12 ordenados, logo o corte deverá ser de 6190 professores (74283 / 12).

Mas esta reforma só se vai aplicar no próximo ano lectivo, ou seja a partir de setembro, logo os cortes serão feitos em apenas 4meses. 74283 ordenados mensais / 4 meses = 18570 professores contratados a menos no próximo ano lectivo!!!

18 comentários:

  1. Também há bastantes desempregados este ano lectivo.Provavelmente também entrarão na "conta-poupança"dos 102milhões.
    E a carga horária dos professores?Como fica?Na mesma não fica com certeza.
    Dolce Vita

    ResponderEliminar
  2. Dolce Vita
    Estou a basear-me numa noticia que o Ricardo ontem chamou a atenção. Nela é dito que NC afirmou que esta reforma curricular vai poupar os tais 102 milhões. Se é esta reforma curricular que vai poupar os 102 milhões, então os cortes deste ano não entram nestas contas.

    ResponderEliminar
  3. Sugestão...

    Podiam poupar nas Horas Extraordinárias, conheço agrupamentos com mais de 30 docentes, a grande maioria nos 3 últimos escalões...(alguns auferem mais do que o ordenado minímo em HE) perfaz mensalmente cerca de 10.000euros em HORAS EXTRAS!!!! (a maioria deles têm redução...)

    Se precisarem de fundamentação para uma queixa na IGE, estou disponível.

    Assistente Tecnico

    ResponderEliminar
  4. Algumas considerações sobre as suas contas: a poupança inscrita no orçamento para o próximo ano é relativa ao orçamento deste ano, portanto não precisa de ser alcançada apenas nos últimos 4 meses. As alterações curriculares em vigor já produzem poupança. Depois, pode considerar as aposentações de todo o próximo ano, que tb produzem poupança significativa. Por último, e por muito mau que seja o panorama, não me parece que com as alterações anunciadas consigam uma redução líquida de 18570 professores; não me parece que os cortes anunciados sejam aproximadamente de 16% da carga letiva total atual. Mas isto sou eu a pensar.

    ResponderEliminar
  5. Também já estive em escolas onde os coordenadores de grupo, no topo da carreira, tinham horas extraordinárias com colegas do mesmo grupo com horário incompleto.
    Só que os lesados nunca fizeram queixa preferiam engraxar os coordenadores.
    M&M

    ResponderEliminar
  6. A "fábrica" vai fechar e colocam 18570 "operários" na rua????????
    Não pode ser porque "fábrica"precisa de "produção"

    ResponderEliminar
  7. :-( é o que me vai tocar em setembro, o desemprego :(

    ResponderEliminar
  8. tudo só é possível porque pelos vistos só toca aos contratados.Que são para abater como se estes não fossem professores, não tivessem família. Mas quando os professores do quadro virem os seus lugares em risco talvez os professores realmente se façam ouvir...Bom Natal dentro do possível porque sei que há colegas que nem isso podem ter ...desempregados. Onde está a solidariedade de uma classe.

    ResponderEliminar
  9. Qualquer dia chega aos QZP,não demora muito. Somos uma classe nada unida.

    ResponderEliminar
  10. Torno a repetir o que disse no texto e num comentário anterior.
    Os meus cálculos são baseados numa afirmação atribuída ao MEC NC de que esta reforma curricular vai permitir poupar 102 Milhões de €.
    Se é esta reforma curricular que vai poupar 102 milhões de €, os cortes já realizados no corrente ano lectivo não entram nestas contas. Relembro também que, fazendo contas a 12 meses, o corte é de 6190 horários, e só este ano o corte foi superior a isso. Assim sendo, não me parece que os cortes já realizado estejam contabilizados nestes 102 milhões.

    ResponderEliminar
  11. Nuno Crato comete muitas imprecisões:

    "nenhum professor será despedido" - Não existe este termo na administração central do estado.

    "vamos passar TIC para o 6º ano" - Segundo a proposta curricular TIC passa para o 5º e o 6º ano.

    ResponderEliminar
  12. De todas as contas que já vi por aí, estas são as que julgo serem mais parecidas com aquelas que foram feitas pelo MEC.
    Não estou a querer tirar o mérito a ninguém. Longe de mim fazer isso a quem merece todo o meu respeito (e o MEC não me merece nenhum) mas parece-me que eles terão começado exactamente assim: com a quantia que queriam poupar, daí passaram à quantidade de horários e ordenados que teriam que abater, quantas horas isso significava a menos no desenho curricular e... 3x9=27... +3=30... noves fora nada e coisetal... e é o que se viu.
    Agora vai a discussão pública para ficar bonito na fotografia e fingirem que são democratas. De caminho dizem que é para o bem das criancinhas e do país e são todos eleitos misses de portugal (com letra minúscula porque já não tenho pachorra para lhe pôr a maiúscula).

    ResponderEliminar
  13. Este vive para alarmar os outros, se não são as colocações, é a prova de ingresso, se não é a prova de ingresso, são as colocações... mas seja como for, sempre uma versão apocalíptica.

    ResponderEliminar
  14. Concordo com as tuas contas... Infelizmente começo a pensar que nós contratados estamos aqui somente para sermos eliminados a qualquer hora.
    Estou revoltada e desiludida...
    Mas resta saber... Quantos contratados foram colocados este ano letivo?

    ResponderEliminar
  15. O Homem é louco por essas contas existiriam menos 50 mil professores o ano passado com o valor do corte que houve.

    ResponderEliminar
  16. Os custos da reforma não incidem apenas sobre os professores, menos tempo dos alunos nas escolas implicam menos outros gastos...

    ResponderEliminar
  17. Penso que, após o encontro "extraordinário" do Governo, neste fim de semana, em conjunto com o "pedido" do 1º Ministro no jornal "Correio da Manhã" de hoje, para que os Professores Portugueses emigrem, que este Governo sabe muito bem o que tem preparado contra os Professores e que o seu objectivo é apenas o máximo desemprego possível na classe docente... já viram que desde há quase dez anos que o Ministério da Educação tendencialmente é o único que despede?! Não contente com os ceca de 50 mil professores que colocou no desemprego, quer acrescentar para o ano mais uns 20 mil do "Quadro", mais os restantes 2 mil ainda contratados este ano Lectivo... Se não despedirmos rápidamente este desGoverno, é ele que nos matará de fome a todos nós!!!!

    ResponderEliminar
  18. Muitas escolas têm mais de 30% de Professores contratados! O sistema educativo não funcionará sem os Professores contratados, nomeadamente os de longa duração que já têm mais de 10, 15 anos de tempo de serviço. O que é que os sindicatos têm feito para resolver esta situação? Têm ocupado horas de tempo de antena com fait - divers. São os grandes responsáveis pela desunião dos Professores!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...