quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Juro que fiquei com medo...

São 4 minutos e 53 segundos de puro e atroz sofrimento (para nós, é claro). Se eu fosse aluno da professora Isabel iria ter receio... muito receio. Primeiro porque iria achar que era um completo e total deficiente mental. Segundo porque achava que a professora dava exemplos um bocadinho... um bocadinho... como é que eu hei-de colocar isto, "estranhos". Diria eu, colega da Isabel, são exemplos que eu daria se tivesse acabado de acordar de um coma profundo (daqueles que me impediam de ficar com um "cérebro mais forte" e de saber que "um dia tem 24 horas").

Vejam, ouçam e depois digam alguma coisa.


44 comentários:

  1. das duas uma: ou ela está drogada, ou pensa k somos todos dificientes mentais! meu deus....e é esta a face governativa da educação em portugal... sem comentários.

    ResponderEliminar
  2. Não fomos os únicos a estranhar tal discurso!

    http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/noticias-pais/2010/9/ministra-da-educacao-gravou-mensagem-de-boas-vindas-ao-novo-ano-lectivo15-09-2010-0505.htm

    ResponderEliminar
  3. Este post vai para o meu top 3 deste ano. AH AH AH AH Esse humor está nos píncaros.

    ResponderEliminar
  4. Mas quem terá encomendado esta coisa? Devem ter pintado a sala com tinta e o cheiro subiu à cabeça.

    ResponderEliminar
  5. Peço desculpa!

    Quem é senhora?

    De que planeta é?

    Ou...está bem a senhora, está tudo bem com ela fiquei preocupado agora.

    Se eu tivesse uma ministra da Educação assim ficava preocupado.

    ResponderEliminar
  6. Há uns anos dava um anúncio na tv que dizia:

    "Estou... maravilhado"

    ResponderEliminar
  7. ...que coisa estranha...
    mesmo a expressividade...estranho...
    (isto era uma mensagem só para o pré-escolar)... --'

    ResponderEliminar
  8. ah! e questiono, ela sabe/conhece a carga horária dos miúdos?!...de certeza que nao...

    ResponderEliminar
  9. Isto é "memo", "memo", "memo", "memo", uma daquelas coisas que "fazem" ficar com muito medo de ver! ;)

    ResponderEliminar
  10. Os miúdos do pré-escolar, se ouvem isto, não mais querem ir à Escola...
    Triste e lamentável. Só em Portugal...

    ResponderEliminar
  11. Tadinha! O cérebrosinho dela não dá pra mais...

    ResponderEliminar
  12. E a realização... os planos aproximados faziam-me encostar com força à cadeira com medo da senhora que me manda estudar e que quer ter orgulho em mim.

    ResponderEliminar
  13. Que rica menina! Memo, memo, memo!
    Só é pena não saber fazer "desporto" com os dossiês do ME! É que não só lhe fazia bem ao cérebro como também fazia bem aos meus ouvidos!
    Mas deixo-lhe aqui os meus Parabéns por ter atingido o "Princípio de Peter"!
    Um abraço.

    P.S. A "bruxa má" era memo, memo, memo má, mas pelo menos tinha um espelho para falar!

    ResponderEliminar
  14. Fiquei a pensar, depois de ouvir a Senhora Ministra, no discurso de Obama a propósito da abertura do ano lectivo anterior nos EUA.
    Senti-me defraudada e triste com a imagem sorridente de alguém que parece completamente alheado da realidade educativa.
    Lembrei-me ainda, e assim num repente, da "benzina" de que falava o Eça de Queirós. Lembram-se?!!! Está a fazer falta.
    Espero que entendam.

    Saudades, Ricardo!
    A promessa de vires não resultou!!!
    Bom ano lectivo e felicidades.

    Sempre colega
    Teresa Leonardo Fernandes

    ResponderEliminar
  15. Agora imaginem eu a apresentar isto aos meus 'manus di ghetto'... eheheheh


    Estou mesmo a imaginar os comentários 'Essa dama andou a dar nela à força toda!!!'...

    Leopoldina no seu melhor!!! :D

    ResponderEliminar
  16. Não acredito nisto!...conversa para atrasados mentais, literalmente.

    ResponderEliminar
  17. Hilariante!!! Imaginem a senhora a fazer este discurso numa turma CEF! O que acham que acontecia? Eu pagava para ver.

    ResponderEliminar
  18. Simplesmente HILARIANTE!!!

    Sugestão para o seu próximo livro: " Uma aventura no além!"
    (coitada da Ana Maria Magalhães, eheheh)

    Sempre "atentamente"

    Ana

    ResponderEliminar
  19. hahahhahahahhahahhhahahahahahahhhhhhhhhhhhahhahahahahhahahahhahahhahahahahahhahahahhahahhahahahhahahahahhaahahahahhahah.Uma bruxa disfarçada de fada madrinha, é o que ela é.A outra ao menos era bruxa com todas as letras e não disfarçava.

    ResponderEliminar
  20. Estou aterrorizada! Esta besta teve um AVC?

    ResponderEliminar
  21. Faz lembrar o lobo mau da história do Capuchinho Vermelho. Estou assustadíssima!
    Que mais nos poderá acontecer!

    ResponderEliminar
  22. Acerca da mensagem da ministra, tenho que publicar como resposta este vídeo, pois para coisas sem sentido respondo de igual forma ;):

    http://www.youtube.com/watch?v=astISOttCQ0&feature=channel

    ResponderEliminar
  23. "...o dia, todos sabem, tem 24 horas..."

    "temos que dormir bem"
    "temos que nos alimentar bem todos"

    "o tempo que é para estudar é mesmo para estudar!"


    "não se esqueçam desta mensagem: todos temos 24 horas num dia!"


    Bem.. das duas uma:
    1) a ministra sentiu-se muito inspirida e canalizou todos as suas conclusões que adquiriu na sua experiência de vida, neste discurso. Como é que nunca me lembrei disto?

    2) o acessor(a) qe escreveu isto deve ter um currículo espetacular (factor C).

    ResponderEliminar
  24. lool..isto é melhor k ir ao circo... eu cá voto na tese de alcoolizada..se bem k o AVC também me parece provável embora não levasse a tal estado de demencia...

    estaria ela a tentar aplicar a lógica do "esplica-me como se eu fosse mt burra...???" ou será k a ela é k lhe devem esplicar pk é mt BURRA!!!!

    É simplesmente deplorável... tão deplorável que de cada vez k olhar pra mulher vou-me sempre lembrar e dizer aos meus filhos: tás a ver akela senhora k até escrevia uns livros interessantes pra tua idade?? tás? ela não é assim tão inteligente como a gente pensava! devia ser a outra a escrever os livros...

    é k é mm impossivel tamanho exemplar de gado azinino governar a educação em portugal..gostava dela caladinha a escrever livrinhos, se bem k agora tenho mais lenha pró frio do inverno, pk nem consigo olhar pra eles...

    ResponderEliminar
  25. Eureka!!!
    Afinal o discurso da Sr. Ministra teve algo de positivo!
    O que ela "nos" queria transmitir era que sabe fazer arredondamentos!!!
    A duração de um dia é de 23 horas, 56 minutos, quatro segundos e nove centésimos de segundo...
    Muito bem! Ela sabe!
    Qualquer dia dará um entrevista a explicar a existência de um ano bissexto de 4 em 4 anos. Aguardem pelo início do próximo ano lectivo!

    Sempre "atentamente"

    Ana

    ResponderEliminar
  26. Enquando ouvia o discurso, o meu filho que tem 8 anos e andava por perto, a determinada altura disse (e atenão que não é anedota, disse mesmo):
    "Essa senhora só diz disparates... se eu estiver a ver bonecos e a fazer os trabalhos ao mesmo tempo é claro que vejo bem os bonecos..."

    ResponderEliminar
  27. isto quando a nossa amiga dizia que uam criança a fazer duas coisas ao mesmo tempo não fazia nenhuma delas bem... ve-se mesmo que não as conhece

    ResponderEliminar
  28. Ando a pensar candidatar-me a ministra da Educação. Tenho a certeza que conseguia fazer uma obra-prima destas com facilidade!

    ResponderEliminar
  29. Já nem sei o que pensar, mas com um discurso assim para os meninos, é natural que consiga pôr todos os profs desempregados a olhar para o PC durante mais de uma semana à espera da saída das famigeradas bolsas de recrutamento. É que este discurso demorou muito a preparar e todos os assessores estavam a ajudar, enquanto nós, desgraçados, assistimos incrédulos a tudo o que se está a passar nesta primeira semana do novo ano lectivo.
    Lamentável Sra. Ministra (e eu que aprendi tantas coisinhas com 'Uma Aventura'). :(

    ResponderEliminar
  30. depois vem o coelhinho....

    na na...o coelhinho vai com o Pai Natal no comboio ao circo!!!!

    ResponderEliminar
  31. "Canção de embalar" por "canção de embalar" prefiro esta!
    http://www.youtube.com/watch?v=eYzPjqG83cg&p=DE3D37D7AB259E81&playnext=1&index=2
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  32. Pessoalmente, acho que os colegas não perceberam bem a verdadeira intenção da Sra. Ministra!!! Na verdade ela tem consciência da degradação a que sujeitaram o ensino: facilitismo, muitos CEF, EFAs e RVCC... claro que tudo isto tem como consequência uma deficiente formação dos actuais alunos (alguns, apenas com o RVCC, já frequentam o ensino superior).
    Daí esta Sra. já apresentar um discurso ao nível daquilo que obrigaram os prof.s a produzir, isto é, dar habilitações a quem não aprendeu... daí o discurso parecer ser dirigido para pessoas com sérias dificuldade de compreensão!

    Imaginem o futuro que nos espera!!!
    Como dizia o Albarran: "Tenha medo...tenha muito medo!"

    ResponderEliminar
  33. Dou os parabéns a quem fez a montagem. Até parece mesmo que é a ministra a falar. A senhora é que é capaz de não gostar da brincadeira. Ninguém acredita que uma ministra da educação poderia falar assim. São os perigos da Internet.

    ResponderEliminar
  34. Olá a todos!
    Será hoje a primeira vez em alguns anos que decido comentar desta forma um blog ou fórum de professores. Mas ... dá que pensar!
    Primeiro, é completamente verdade que serei mais um a concordar que, apesar de bem-intencionado e pensado para chegar a camadas menos informadas, é um discurso muito pouco satisfatório, de alguém que se diz escritora, que contactou com o Ensino Português e que brevemente causará mais algumas mudanças na vida de cada um de nós (professores). Boas ou más, só poderemos saber quando efectivamente sentirmos o impacto delas.
    Neste momento, também me sinto no direito de dizer, a vós colegas internautas e professores que, simplesmente dizer mal, não chega! Acompanho este blog com regularidade e começo a achar que comentar pela simples vontade de dizer mal não cai nada bem à nossa classe, ainda por cima quando o fazemos com erros ortográficos mais do que óbvios e muito mais preocupantes do que a Sra Ministra dizer "memo". Essa pequena questão poderá ser perfeitamente justificada com um ligeiro problema de dicção ou nervosismo. Quem não o tiver que atire a primeira pedra!
    Sejamos um pouco sensatos e maduros nestas questões, não somos nós professores e modelos/referências para os nossos alunos? Lanço este apelo, especialmente para não continuarmos a ser acusados de "espalha brasas" que fazem a confusão mas na hora de fazer algo efectivamente, os professores preferem ficar em casa a descansar no seu maravilhoso sofá, em vez de dar o litro com os alunos e preparar estratégias alternativas de busca de motivação, interesse e trabalho prático significativo.
    Infelizmente todos sabemos que os alunos tão "mal afamados" que temos, são também eles consequência da sociedade que construímos. Ou serão os únicos culpados do seu estado? Que exemplos recebem? Que referências têm?
    Será que aos professores que deram aulas (anos a fio) de jornal aberto, enquanto os meninos se entretinham conforme podiam dentro dessas regras ditadas por trás do jornal (alguns até em grande sossego, perante tal atitude), não terão alguma parte de “culpa”? E aos pais que preferem ensinar aos filhos que ter telemóveis, roupas de marca, ter 10 Euros por dia no bolso, tabaco, computador portátil, internet, Tv por cabo e beber álcool em grandes quantidades são os requisitos mínimos para ser aceite na sociedade e que esse é o caminho certo para se tornar um cidadão português? Não teremos nada a dizer quanto a estas duas “pequenas” situações? Já sei que aos pais todos atribuem culpas… pensemos no todo, no conjunto de factores que poderão conduzir os nossos “futuros cidadãos” aos tão indesejados alunos ou os nossos alunos aos tão indesejados futuros cidadãos!
    (Podem parar para respirar durante 5 segundos e continuar.. no seguinte comentário)

    ResponderEliminar
  35. Não me pretendendo identificar mas, tendo eu 28 anos e estando a leccionar há já 5 anos (tirando a vivência como aluno educadíssimo e cumpridor), penso que já vi demasiado do que se passa nas escolas portuguesas e do pedestal que ERA ser "SENHOR DOUTOR". Sinceramente, a mim, custa-me imenso ver até os funcionários (pessoas incansáveis, excepcionais no seu trabalho e que colocam muita energia para conseguirem 450EUR mensais) a humilharem-se perante os professores toda a vez que passam no corredor ao longo de um só dia. Até nisso se pode ver o tipo de sociedade que queremos para nós! É este tipo de sociedade que quero para mim? Diferenças sociais esfregadas na cara? Prefiro estar e conviver ao mesmo nível (muito mais gratificante e enriquecedor) e dar um pouco mais do que tenho, por uma sociedade um pouco melhor.
    Não sou dos que dormem 8 horas por dia (pelo menos como me recomenda o médico), mas dos que trabalham para dar aos alunos aquilo que eles precisam dentro das minhas capacidades. Não sou nem melhor nem pior do que ninguém! Reconheço claramente que é uma profissão desgastante (e que tem perdido regalias de uma forma muito acelerada mas, não acho que seja desculpa para se boicotar toda e qualquer estratégia de recondução da sociedade e qualquer actuação até da direcção local das escolas. Só poderei dizer se este discurso da Sra Ministra (assim como de outros membros dirigentes) foi um tremendo fracasso e semelhante catástrofe, quando sentir os professores de forma mais positiva. No mínimo que reconheçam e valorizem alguma da atitude/intenção de fundo, embora critiquem um pouco pela forma apressada com que prepararam esta "mensagem" tenha posto em causa a sua eficácia.
    Senhores professores, se for esta a forma de respondermos aos nossos alunos (pela negativa) acredito piamente que a sociedade só irá piorar e em grande escala, pois estamos a fazer uma grande afronta aos mesmos e a qualquer tentativa de participação que venha desse lado. Afinal queremo-los interessados e com opiniões ou desmotivados e apagados da sociedade porque nunca fazem nada bem?
    Por fim acrescento, senhores professores, caso não estejam bem informados, deviam já saber que uma grande parte dos pais e encarregados de educação dos nossos alunos é muito pouco alfabetizada e talvez por isso, a mensagem até tenha alguma intenção na sua simplicidade e até alguma eficácia. A melhor e mais suculenta fruta tem um aspecto tosco e provem da mais pequena árvore.
    Saibam também que, ao contrário de gente bem letrada com capacidades e aptidões para tecer críticas cruéis sobre tudo e todos (mesmo que sem razões bem fundamentadas), o povo ainda ouve o que os governadores dizem (pois são um patamar inatingível para eles e sabem que as ordens/leis vêm de lá), pena é que nem sempre consigam compreender o que isso implica na sociedade e o prejuízo directo que tal atitude pode acarretar. Mas pelos vistos já nem os seus filhos irão perceber, porque vão chegar a casa e dizer, "Aquilo não tem interesse nenhum! Os professores andam todos a gozar com a cara da ministra, ela devia estar drogada! Desliguem lá isso que é tudo treta! Os meus professores dizem que o que ela quer dizer é que somos todos uns deficientes mentais!"

    ResponderEliminar
  36. Não pretendo com o meu comentário lançar polémicas ou gerar telenovelas/guerras ou confusões. Não adoro/detesto a Sra Ministra Isabel Alçada nem venho com demonstrações partidárias baratas. Simplesmente acho também lamentável que até a comunicação social se digne a criar matéria informativa de "notícia" com comentários puramente "cor-de-rosa" acerca deste momento “trivial” tentando desacreditar tudo o que vem de elementos dirigentes.
    Será que não vale a pena reflectir um pouco na forma como nos pronunciamos sobre as coisas? Queixemo-nos nós agora que os alunos falam de qualquer maneira e que não pensam antes de reagir!
    Canalizar essas energias para actividades mais produtivas e valiosas para a sociedade: debates com alunos sobre o seu estatuto, sobre os seus deveres e direitos. Acima de tudo, ajudá-los a perceber as leis e interpretar a sociedade que não aceitam nem querem conhecer.
    (A esta hora já devem estar a pensar… este fulano… deve ser de lá do meio deles… e veio semear a boa nova… Não! Tenho esta opinião e vale o que vale.
    Uma vez que vivemos na era que toda a gente tem o direito de comentar um espaço na Web, limito-me a dizer que julgo o meu comentário muito mais pertinente do que muitos comentários já aqui expostos sobre este ou outros temas.)
    Bom início de ano e continuação do excelente serviço de informação que este blog presta.
    Fiquemos concentrados em dar o nosso melhor e dar um pouco de espaço para as pessoas da sociedade darem o seu contributo (seja ele bom ou menos bom).
    Um abraço,
    PS: Perdoem-me algum erro ortográfico ou construção frásica menos apropriada, pois escrevi tudo de "rajada" e conforme senti as coisas, para além de que não sou professor da área da Língua Portuguesa, ou algo que tenha que ver com escrita, muito pelo contrário.

    ResponderEliminar
  37. OMG! A ministra é que deveria ter avaliação de desempenho com aulas observadas... piava logo baixinho quando lhe dessem o suficiente.

    ResponderEliminar
  38. Olha NG vai dar sermões aos teus alunos, e canaliza as tuas energias para lhe ensinares o português que sabes, em vez de vires corrigir ou falar mal de professores, que já têm sido muito martirizados.
    Dás aulas há 5, há quem dê há mais de quinze

    ResponderEliminar
  39. Tirem-me deste filme!
    Isto só pode ser um pesadelo!!!

    ResponderEliminar
  40. Tens um rico discurso, já podes ser ministra, ò NG.

    ResponderEliminar
  41. E aí estão eles... já temos os primeiros alunos a brincar com a situação. Acham que eles acordaram, num lindo dia de sol a pensar "hoje vou brincar com aquela cena fixe da ministra" e decidiram ir procurar os vídeos oficiais, ou terão tido simplesmente a sugestão por ouvir falar tão mal de tudo o tem o prefixo "ministro", especialmente o caso mais recente, a educação.
    Portanto... e se moderássemos a forma como comentamos as coisas?
    "Vale a pensa pensar nisto"

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...