segunda-feira, 18 de junho de 2007

Demissões adiadas?

No Jornal de Notícias de 18/06/2007: "Por princípio não gosto de enfatizar o desempenho individual, prefiro antes avaliar a política de um governo pelo seu todo e não pelas performances de cada um dos seus membros. Mas há limites e o pior é que, sabendo que tem as costas quentes com o limbo da presidência da União Europeia que se inicia dentro de dias, pessoas como Lurdes Rodrigues e Mário Lino podem refinar a sua proverbial tendência para o disparate e a sua irreprimível atracção por decisões insustentáveis. E, convenhamos, isto não é só um perigo para o próprio governo, é sobretudo um grave risco para o País.

Um ministro que afrontou sindicatos, pais e estudantes, que defendeu a legitimidade e legalidade de mandar repetir exames só para alguns alunos, que assim prejudicou (de forma séria e em muitos casos irreparável) milhares de jovens, não pode reagir como o fez à recente condenação do Tribunal Constitucional. Um governante deve saber que a reparação política destas situações só pode ser feita pela sua própria demissão do cargo que lhe permitiu decidir dessa forma. A reacção de Lurdes Rodrigues - limitando-se a desafiar descaradamente quem sugeriu a necessidade democrática da sua saída - mostra bem a sua pequenez política. Exactamente a mesma pequenez que a levou a reconduzir Margarida Moreira na DREN!...

No que respeita ao apego ao poder, Lurdes Rodrigues rivalizou esta semana com Mário Lino. (...)"

Ver Artigo Completo (Jornal de Notícias)

Melhor (quase) impossível...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...