terça-feira, 25 de setembro de 2012

A proposta de listagem de atividades que deverão ser consideradas letivas (FENPROF)

Ontem (aqui), divulguei as propostas da FENPROF para aquele que será, porventura, o tema mais quente das negociações de outubro (ou seja, a vinculação de professores). No entanto, nem toda a nossa atenção deverá recair sobre este processo... Existem outros igualmente relevantes.

A negociação das atividades que poderão ser consideradas letivas, também é tema importante por, em teoria, poder contribuir para contrariar o pernicioso efeito economicista da recente revisão curricular. Assim, as propostas da FENPROF, para equiparação a atividades letivas, são:

- Atividade desenvolvida com a turma, genericamente designada por “aula”;

- Toda a atividade de apoio, entendida enquanto espaço destinado à despistagem e ultrapassagem de problemas relacionados com a aprendizagem e com o combate ao insucesso e ao abandono escolar, desenvolvida com alunos, individualmente ou em grupo. Aqui se incluem as atividades de apoio ao estudo, apoio pedagógico acrescido, salas de estudo, reforço curricular, programas de tutoria, entre outras. Isto é, aqui se incluem as atividades descritas nos pontos 1 a 6 da página 1, ponto 9 da página 2 e pontos 3 a 8 das páginas 2 e 3 das orientações para a distribuição de serviço letivo emanadas pelo Senhor Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, datadas de 17 de julho de 2012;

- Coadjuvação de docente em sala de aula do mesmo ou outro nível de ensino, incluindo-se, neste caso o ponto 5 da página 1 das referidas orientações;

- Atividades educativas desenvolvidas com alunos com vista à substituição de docente em falta, independentemente da sua natureza;

- Atividades de enriquecimento e de complemento curricular. Aqui se incluem clubes, projetos, programas específicos, bem como o programa AEC referido no ponto 11 da página 2 das orientações acima referidas;

- Todas as atividades de desporto escolar desenvolvidas com alunos, independentemente do nível ou grau de ensino a que pertençam. Estão, neste caso, consideradas as atividades do ponto 10 das orientações emanadas pelo Senhor SEEAE;

- Atividades destinadas à orientação escolar dos alunos no final do ensino básico (ponto 2 da página 2 das orientações);

- Atividades a desenvolver no âmbito do PTE (Ponto 4, da página 1 das orientações para a distribuição de serviço letivo).

Embora ninguém tenha dúvidas de que estamos perante propostas ambiciosas e de difícil negociação, parecem-me um bom ponto de partida. 

Por último... Para quando a divulgação das propostas da FNE e de outros sindicatos de menor dimensão?

5 comentários:

  1. Concordo que todas as atividades enunciadas passem para a componente letiva! Mas, no meu entender, falta tb o desempenho de cargos que tb deveriam entrar nesse pacote: o caso dos coordenadores de ciclo e de coordenadores de departamente. No entanto, o que a FENPROF apresenta, se fosse aprovado pelo MEC, já seria MUITO BOM!

    ResponderEliminar
  2. Um MILHÃO (1 000 000) de analfabetos em Portugal e tantos professores no desemprego.
    40 000 professores sem emprego.
    Em vez de estarem a pagar 800 euros no subsidio de desemprego, pagavam os 1100 do índice 151, contavam-nos o tempo, tudo normal, colocavam as pessoas no ativo e lutava-se contra o analfabetismo.
    Pelo menos uns 10 000 a 20 000 professores seriam necessários (são os que estão no subs de desemprego.)
    E há tantos sítios onde podíamos lecionar ( Coletividades desportivas, lares, Juntas de Frequesias, etc)
    Alfabetização em Portugal já!
    Passem a palavra...

    ResponderEliminar
  3. À espera de propostas de quem???? :O))))

    ResponderEliminar
  4. Não acredito nestas negociações. Professor já não é professor é docente, arranjar uma maneira de darem mais "aulas" e pagar-lhes? Já nem respeito lhes têm.

    Pagamentos é só para os amigos e são às centenas de milhões, vejam onde é que eles são enterrados, não são de certeza nos docente nem nos alunos.

    E além disso não tenho que explicar tudo aqui, usem a cabeça para chegar lá. Vão aos orçamentos e vejam a classificação das despesas muitas nem sequer são classificadas.

    ResponderEliminar
  5. Só deixo um comentário em relação ao seguinte ponto:

    - Atividades de enriquecimento e de complemento curricular. Aqui se incluem clubes, projetos, programas específicos, bem como o programa AEC referido no ponto 11 da página 2 das orientações acima referidas;

    Isto parece-me muito bem, no entanto, é de salientar que o tempo de serviço nas AEC é feito de forma diferente, com uma fórmula diferente. Uma hora de AEC não é igual a uma hora de comp letiva num horário dito normal. Que injustiça! Passei anos a trabalhar nas AEC (Desde o tempo em que não eram AEC), muitas vezes achando que completava o meu horário, para chegar ao fim e ver uma declaração com menos dias do que o suposto...

    Espero que pensem nisto enquanto negociarem! Os professores das AEC são professores como os outros!

    Cristina

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...